terça-feira, 30 de maio de 2017

BH AIRPORT IMPLANTA PROJETO DO AEROPORTO SILENCIOSO.


A BH Airport, concessionária do Aeroporto Internacional de Belo Horizonte, reduziu a menos da metade o número de chamadas sonoras para os voos nas salas de embarque e desembarque. A estimativa é que o número de mensagens executadas na sala de embarque caia de aproximadamente 22,5 mil para 9 mil por mês, uma redução de 60%.

Experiência inédita em aeroportos brasileiros, o projeto Aeroporto Silencioso pretende melhorar o conforto acústico para cerca de 10 milhões de passageiros que passam pelo aeroporto ao longo do ano e para toda comunidade aeroportuária.

O projeto foi desenvolvido pela concessionária e prevê que cada voo tenha no máximo três mensagens sonoras nesta fase. Antes do projeto, a quantidade de chamadas pelo sistema de som das salas de embarque e desembarque era de pelo menos cinco, entre a primeira chamada para embarque, orientações, início do embarque, última chamada e passageiros faltantes.

O plano  e redução do número de mensagens no aeroporto começou a ser implantado em 2016, em parceria com as companhias aéreas, e já mostra resultados positivos, segundo avaliação dos próprios passageiros. Em maio deste ano, o indicador de conforto acústico, um dos itens pesquisados pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), registrou crescimento de 13,1% em relação aos últimos resultados de 2016. Atualmente, o Aeroporto Internacional de BH é o segundo melhor colocado neste indicador, entre os terminais com movimentação superior a 8 milhões de passageiros por ano.

“O objetivo é sempre proporcionar uma melhor experiência de viagem para os nossos passageiros. Dessa forma, o projeto do Aeroporto Silencioso busca eliminar o desconforto causado pelo excesso de mensagens sonoras que são ouvidas durante os procedimentos de embarque e desembarque”, afirma o diretor de Operações da concessionária, Daniel Bircher.

A redução do número de chamadas sonoras só foi possível graças às mudanças em todo o conceito de sinalização interna (wayfinding), que incluiu novo layout, revisão do posicionamento e da quantidade de placas e também uma nova configuração dos painéis de voos. Todas essas ações contribuíram para melhorar a orientação dos passageiros dentro do Terminal.

A principal mudança nos painéis, que entraram em operação em outubro do ano passado, foi a indicação das etapas de evolução do embarque, por meio de cores semafóricas: a partir da chamada do voo, cerca de 40 minutos antes da decolagem, o painel indica, na cor verde, a orientação: DIRIJA-SE AO PORTÃO.  Quando o portão é aberto para embarque pela empresa aérea, o novo status muda para  EMBARQUE, em amarelo. A cor vermelha no painel indica ÚLTIMA CHAMADA, próximo ao final do embarque, cerca de 15 minutos antes do fechamento das portas. O número do portão de embarque é indicado no painel 90 minutos antes da decolagem, permitindo assim que os passageiros tenham tempo para se deslocar com tranquilidade até a ponte de embarque.

Além disso, as telas que trazem informações sobre as partidas, com fundo azul, destacam os dados sobre o número do voo, o horário de decolagem, o destino, a companhia aérea, e do portão de embarque. O painel informa também se o voo está atrasado ou cancelado. Já os painéis de chegadas, com fundo verde, indicam o número e a origem dos voos e a companhia aérea e se a aeronave está na fase de POUSO, NO PÁTIO, ENTREGA DE BAGAGENS ou ÚLTIMA BAGAGEM.

Uma nova cultura

A proposta do Aeroporto Silencioso foi inspirada na experiência de diversos Aeroportos Internacionais, como Zurique (Suíça), London City (Inglaterra), Quito (Equador), Helsinque (Finlândia) e Bangalore (Índia), e teve como principais objetivos a prestação de informações de forma mais eficiente e uma mudança na cultura de orientação dos passageiros dentro do terminal.

“Queremos assegurar que as informações possam ser percebidas de forma cada vez mais intuitiva e eficiente, além de garantir o máximo de tranquilidade antes e depois das viagens”, afirma Bircher.

A BH Airport, concessionária do Aeroporto Internacional de Belo Horizonte, é uma Sociedade de Propósito Específico (SPE) formada pelo Grupo CCR, uma das maiores companhias de concessão de infraestrutura da América Latina, e por Zurich Airport, operador do Aeroporto de Zurich, o principal hub aéreo da Suíça e considerado um dos melhores aeroportos do mundo, além da Infraero, estatal com experiência de mais de 40 anos na gestão de aeroportos no Brasil, que tem 49% de participação.