domingo, 15 de setembro de 2019

CASA DA MÃE JOANA.
Por Marli Gonçalves*

O SENHOR ÓBVIO


O esquecido Senhor Óbvio. Ele faz piruetas, dança, samba, se joga, se mata para mostrar as coisas, apontar para problemas que, não tem jeito, vão estourar. Ele vai, ele volta. Dá sinais objetivos, pequenos a princípio, mas reais. Em alguns casos, imagino até o Senhor Óbvio tocando uma corneta no ouvido das autoridades, que teimam em não lhe dar atenção e aí...

As tragédias acontecem. E o Senhor Óbvio, de sobrenome Ululante, não deve acreditar quando escuta no noticiário, por exemplo, que os barracos de madeira debaixo do viaduto pegaram fogo, deixando centenas de pessoas sem abrigo e algumas milhares de pessoas sendo prejudicadas de várias formas entre seu ir e vir, presos no trânsito, ou sem transporte coletivo. Assim é com a fiação elétrica que emite pequenos raios de seus fios descascados. Assim é com o cheiro de gás que antecede explosões.

O óbvio está sempre diante de nós. É evidente, não se esconde, não se camufla, não se disfarça para ser visto a nu por olhos, narizes, consciências. Não deixa dúvidas, salta" à vista", embora às vezes seja também, digamos, filosófico. Elementar, meu caro Watson.

Mas o Senhor Óbvio é bastante irônico e há fatos e falas que ouve aqui no Brasil que o fazem só mexer os ombrinhos para cima e para baixo, de tão óbvios que são. Mas fatos e falas que viram notícia como se representassem verdadeiramente algo inédito, diferente, real, ou mesmo que não fossem apenas deslavadas mentiras.

- Não me diga! – ele exclama, cada vez que se depara com um desses fatos, muitos que, inclusive, já viveu para ver que obviamente não serão cumpridos. Ou que o silêncio caberia melhor naquele momento, para que todos nós não fiquemos tão irritados em ouvir tais declarações.

Em geral, promessas. Por exemplo, a do indicado pelo presidente Bolsonaro para ocupar o importante e estratégico cargo de Procurador Geral da República, Augusto Aras, e que estava fora da lista tríplice enviada pelos procuradores ao presidente, que a ignorou solenemente. Na sua campanha pela aprovação do Senado, de mãozinhas juntas, garantiu, primeiro que será independente do tal presidente que o indicou acima de tudo e todos. Se seria grato, se haveria moeda de troca? Respondeu: "Minha gratidão é com o país, não com as pessoas". Antes já havia sido flagrado falando a um senador que o "presidente Bolsonaro não vai poder mandar e desmandar" na Procuradoria.

Quase leva o Senhor Óbvio Ululante às lágrimas. Só não levou porque o nosso personagem estava às voltas com uma enorme pesquisa – para a qual inclusive pede ajuda de vocês – sobre quantas multas vultuosas, milionárias, aplicadas com números lindos e divulgadas com toda aquela alegria pelos apresentadores, como punição, com rigor e etceteras, foram real e efetivamente pagas. Começou a pesquisa pelas tragédias provocadas pela Vale.

Tadinho. Tá lá procurando os recibos. Não tenho coragem de contar a ele que durante décadas esses valores serão contestados.

Outra coisa que o perturba é ainda mais comum. O cara, a cara, ou a empresa/empresário, corruptos ou assemelhados, são pegos pela polícia com a boca na botija. Qual é a mais nova moda de declaração sucinta? "Estamos colaborando com as investigações. Atenderemos aos chamados para esclarecermos tudo".

- Não nos diga!

Pensamos, eu e o Senhor Óbvio Ululante, que os chamados seriam ignorados, que dariam uma banana (aquela, dada com o braço) aos policiais, investigadores, promotores...

A mesma banana que as autoridades dão aos alertas, aos perigos, e às vistorias que quando mandam fazer pegam os resultados rapidamente. E os mandam, sem dó nem dor de consciência, para a gaveta. Ou, como dizemos no jargão jornalístico, "para a cesta seção". O lixo.


Marli Gonçalves. 
Jornalista, consultora de comunicação, editora do site Chumbo Gordo, autora de Feminismo no Cotidiano - Bom para mulheres. E para homens também, pela Editora Contexto. À venda nas livrarias e online, pela Editora e pela Amazon. Foto: Gal Oppido.
Me encontre
marligo@uol.com.br
marli@brickmann.com.br


Leia> O Brasil Sobre Rodas

quinta-feira, 12 de setembro de 2019

NOVOS HORIZONTES NA AVIAÇÃO BRASILEIRA.
Por Fábio Augusto Jacob *

A aviação representa um importante elo na estrutura de transportes de qualquer país, e de forma especial, de um país de grandes dimensões como o Brasil. Por esse motivo, e desde o início do século XX, o desenvolvimento desse modal recebeu especial atenção dos sucessivos governos. Diante da escassa malha rodoviária e ferroviária, o avião foi visto como um agente integrador. Com ele, era possível levar notícias das cidades do litoral, capitais dos estados litorâneos, até o interior – o que antes poderia levar meses.

A rapidez com que o avião conectava as diferentes regiões levou a um suporte estatal a essa iniciativa. Empresas aéreas que voavam no litoral foram estimuladas a voarem também para o interior do país. Ainda assim, somente as capitais e algumas poucas cidades maiores acabaram recebendo o transporte aéreo de pessoas e cargas. As grandes distâncias e a falta de infraestrutura aeroportuária eram entraves, que só foram sendo reduzidos com a aproximação da virada do século XX para o XXI.

Como os demais países latino-americanos, e mesmo carecendo deste transporte, o Brasil tratou de proteger tanto as empresas nacionais que operavam as poucas linhas, como o próprio cidadão, que em mãos estrangeiras poderia acabar sendo explorado – financeiramente e mesmo quanto às condições de trabalho. Por essa razão, os países resguardavam o transporte regional interno para as empresas nacionais e colocavam medidas restritivas para a operação de empresas estrangeiras no país.

Essas medidas visavam também a proteger as próprias empresas de uma eventual competição predatória de outras maiores estrangeiras. Essa proteção tinha dois lados: um que permitia a segurança de um mercado protegido e, portanto, mais seguro para a sobrevivência dessas empresas, mas, por outro lado, reduzia o tamanho do mercado alvo, no caso do Brasil, onde a população em geral dispunha de baixo poder aquisitivo. Ou seja, na medida em que protegia, limitava o acesso e a possibilidade de crescimento – e deixava as empresas frágeis frente a eventuais crises.

É interessante observar que este desenvolvimento da aviação ocorreu de forma semelhante nos diferentes países latino-americanos, guardadas as diferenças de dimensões entre eles. Essa situação os levou, já vivendo os novos tempos do século XXI e sob os ares da globalização e expansão das comunicações, com destaque para a internet, a procurarem dinamizar o transporte aéreo, reduzindo as proteções internas aos agentes externos, mas em compensação, abrindo caminho para a chegada de negócios, turistas e todo tipo de materiais.

Neste novo cenário, em novembro de 2010, os estados desta região, reunidos em uma Comissão Latino-Americana de Aviação Civil (CLAC), prepararam um acordo de Céus Abertos, no qual se comprometiam a reduzir as restrições para a operação de empresas estrangeiras, no caso os estados membros da CLAC, de modo a estimular as ofertas de voos na região. O acordo foi promulgado pelo presidente Bolsonaro no dia 7 de agosto último, após aprovação pelo Congresso Nacional. Esse ato já coloca o país como um dos que estão na vanguarda regional para o incentivo do transporte aéreo – e que pode, desde já, usufruir dessas novas possibilidades. E de que forma isso pode ser observado? Novas empresas operando no país, mais ofertas de voos, mais cidades servidas, mais negócios, mais turistas... enfim, maior integração, objetivo primeiro.

Essas medidas também serão saudáveis para as empresas nacionais, pois em contrapartida, o Estado se propõe a interferir menos no mercado e dar mais liberdade para as operações. Já é possível ver resultados. Empresas nacionais estão anunciando mais voos regionais, em aeronaves menores, ligando cidades médias e até pequenas. Recentemente, as brasileiras Gol e Azul divulgaram novos voos e cidades atendidas. Essa interiorização e aumento de oferta já começou, bem como queriam os pioneiros da aviação.

* Fábio Augusto Jacob é Coronel Aviador da reserva da Força Aérea Brasileira, coordenador e professor da Academia de Ciências Aeronáuticas Positivo (ACAP) da Universidade Positivo.

METRA REFORMA HORTA COMUNITÁRIA E CENTRO DE CONVIVÊNCIA EM SÃO BERNARDO DO CAMPO

Ação social faz parte do “Dia de Fazer a Diferença” e envolverá 50 colaboradores voluntários e moradores da Vila São José



Reformar uma horta comunitária, plantar árvores e equipar área de convivência e playground para os moradores e crianças do bairro Vila São José, em São Bernardo do Campo. Esta é a ação social escolhida pela Metra, operadora de transporte do Corredor ABD, na 11ª. edição do “Dia de Fazer a Diferença”, que será realizado no próximo sábado, dia 14 de setembro, a partir das 8h, para proporcionar bem-estar e melhor qualidade de vida para milhares de pessoas da região.

A ação conta com o apoio da associação dos moradores do Bairro Vila São José e acontece na Rua Wanda Bueno Coelho, altura do número 31, em terreno da Petrobras por onde passa um oleoduto. Segundo Pedro Batista, responsável pela preservação da área, o espaço precisava de uma reforma e melhorias, o que a Metra se dispôs a fazer. “É muito importante esta ação porque, além de beneficiar diretamente os moradores, permite a preservação ambiental, com o plantio de mudas de árvores, hortaliças, verduras e legumes que serão utilizados para a alimentação saudável dessas famílias”, explica.

Além da horta, outra medida importante é a reforma da área de convivência e do playground das crianças. Estão sendo instalados novos brinquedos e equipamentos para que todos possam desfrutar, como gangorra, balanços e ponte elevada, entre outros.

Ação social “Dia de Fazer a Diferença”


A Metra, operadora do Corredor ABD que atende a região do Grande ABD e também parte da zona Sul e Leste de São Paulo, promove, desde 2009, a ação social "Dia de Fazer a Diferença", sempre com foco na a qualidade de vida e bem-estar das comunidades próximas à empresa. No ano passado, transformou o Dia de Fazer a Diferença em uma ação de um mês inteiro, com a arrecadação de mais de uma tonelada de alimentos, destinados à entidade Casa de Lucas, que há quase 25 anos ajuda crianças e adolescentes na prevenção de situações de risco, promovendo suas potencialidades.

O “Dia de Fazer a Diferença” é o maior evento de mobilização para ações sociais simultâneas do mundo, com a participação de mais de três milhões de voluntários. É um dia de grande emoção em que a sociedade se une para fazer a diferença, realizando ações sociais na comunidade e experimentando o sentimento único da solidariedade coletiva.

A iniciativa surgiu nos Estados Unidos, em 1990, a partir de uma ideia da jornalista Marcia Bullard, quando ela era editora da revista USA Weekend. No Brasil, a ação é realizada desde 1998 com a participação de empresas, Organizações Não-Governamentais, escolas e diversas entidades.

GOL LINHAS AÉREAS INTELIGENTES LANÇA KENNEL PARA VIAGEM DE GATOS E CACHORROS


Em parceria com a Cobasi, um dos maiores shoppings dedicado ao universo pet no Brasil, a empresa lança uma nova caixa de transporte exclusiva (kennel) para garantir a segurança e o conforto de cães e gatos, já desenvolvido nas dimensões oficiais para facilitar o embarque na cabine das aeronaves. O produto é confeccionado em tecido de lona, alça reforçada e redes nas duas portas e em cima, para maior ventilação, além de firmeza no piso com suporte rígido e maciez com espuma.

Além disso, como complemento para viagens, foram disponibilizados ainda diversos itens com desconto, entre eles bolsas conforto, snacks e garrafinhas de água, que podem ser adquiridos diretamente no site criado para esta parceria: voegol.cobasi.com.br.

“Muito mais do que oferecer um serviço que permita transportar o pet na cabine, a GOL está sempre preocupada em atender com conforto todos que escolhem voar com a Companhia. Queremos proporcionar a melhor experiência para nossos Clientes e seus animais de estimação por meio do deslocamento adequado e seguro durante os voos”, afirma Renzo Mello, diretor de canais de vendas da GOL.

“Assim como a GOL, a Cobasi pensa suas ações para gerar a melhor experiência para o cliente, e essa parceria permite que mais pessoas tenham acesso a kennel e transporte seu pet com conforto e segurança. A Cobasi tem a preocupação com a qualidade de vida do tutor e seu pet e por isso uniu forças com a GOL, que proporciona atualmente a melhor experiência de viagem com animal de estimação” diz José Guilherme Baghin, Gerente de Categorias da Cobasi.

A GOL se orgulha em ser uma empresa Pet Friendly e permite, desde 2015, com o serviço Pet na Cabine, que cães e gatos de até 10kg embarquem em suas aeronaves para voos nacionais e internacionais. Só no primeiro semestre de 2019, a Companhia já transportou mais de 25 mil animais de estimação a bordo.

Regras do Serviço “Pet na Cabine” da GOL

Para ser transportado nas cabines, cães ou gatos precisam:

ter idade mínima de quatro meses e peso máximo de 10kg, incluindo a caixa de transporte (kennel), que deve ter espaço suficiente para o animal dar uma volta completa em torno de si e abertura para circulação de ar;

kennel identificada com nome, endereço e telefone do Cliente;

o pet deve permanecer dentro da caixa de transporte na sala de embarque, durante o voo, na sala de desembarque ou no GOL Premium Lounge.


quarta-feira, 11 de setembro de 2019

AIRBUS FOUNDATION COMBATE FOGO NA AMAZÔNIA BOLIVIANA

A Airbus Foundation, em parceria com o Centro francês de apoio a crises, está apoiando os esforços na Bolívia contra os graves incêndios que afetam o país atualmente.



No último fim de semana, um avião de testes Airbus A330 transportou 38 bombeiros franceses com uma série de equipamentos saindo de Vatry, na França, para a Bolívia, onde participaram do combate aos incêndios que já devastaram mais de dois milhões de hectáres da Amazônia boliviana.

Em parceria com a HeliAmerica - operadora de helicópteros boliviana com sede no departamento de St. Cruz -, a Airbus Foundation ofereceu 45 horas de voos de helicóptero para avaliar as áreas afetadas. As aeronaves também combateram ativamente os incêndios com a ajuda do equipamento "bambi bucket", capaz de despejar até 800 litros de água por viagem.

Durante os días 3, 4 e 5 de setembro, dois helicópteros monomotores H125 operaram na área de Concepción, ao leste do país, despejando mais de 500 toneladas de água. A operação contribuiu para delimitar os incêndios e evitar que afetem as comunidades da região. Mais voos serão realizados nos próximos dias.


A Airbus Foundation, criada por Guillaume Faury, CEO da Airbus, conta com Airbus, Airbus Helicopters e Airbus Defence and Space como contribuintes e membros fundadores. A fundação é a divisão da Airbus para filantropia corporativa, usando os recursos, produtos aeronáuticos e espaciais, competências, força de trabalho diversificada e cultura de inovação do grupo para tratar de problemas sociais. A fundação apoia, particularmente, a comunidade humanitária global e inspira e prepara os jovens para os desafios de amanhã. Desde seu lançamento em maio de 2008, a Airbus Foundation facilitou mais de 70 voos de caridade para inúmeros destinos ao redor do mundo. 

Helibras
Airbus
JeffreyGroup Brasil

Leia> O Brasil Sobre Rodas

SENAI VAI AUMENTAR OFERTA DE CURSOS TÉCNICOS EM ENERGIA SOLAR FOTOVOLTAICA

A capacitação técnica em Energia Solar Fotovoltaica vai chegar a mais 10 escolas do SENAI em todo o Brasil para atender às necessidades de um setor em expansão. 


As unidades escolhidas pela chamada, lançada em junho deste ano, vão participar de um ciclo de preparação de Centros de Treinamento e qualificação de docentes ao longo de 24 meses, além de receber equipamentos básicos para o ensino. A iniciativa é fruto de parceria entre o  Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI), a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR), o Ministério de Minas e Energia (MME) e da Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ), por meio da iniciativa Profissionais para Energias do Futuro.

A ação tem como principal objetivo acompanhar a demanda crescente por profissionais qualificados em energia solar fotovoltaica. De acordo com a ABSOLAR, somente neste ano, a geração distribuída solar fotovoltaica duplicou de tamanho, chegando a 100 mil sistemas instalados até junho. “O SENAI sempre se preocupa em atender as demandas da indústria, e faz projeções de quais tecnologias serão demandas. Essa ampliação de docentes capacitados busca justamente isso, levar esse conhecimento a mais localidades do país”, explica Felipe Morgado, gerente executivo de Educação Profissional do SENAI Nacional.

Segundo Morgado, as expectativas para o mercado de trabalho do setor são otimistas: “Nossos levantamentos mostram boa empregabilidade para alunos que concluíram cursos de energias renováveis, então, acreditamos que será também uma oportunidade para jovens desempregados, já que estamos falando de um setor que está em cenário de crescimento”.

Atualmente, o SENAI oferece 24 cursos na área de energias renováveis, sendo 14 deles voltados à energia solar (fotovoltaica e solar térmica). Agora, essa oferta vai chegar a estados que ainda não contavam com os cursos, como Mato Grosso, Santa Catarina, Amapá, Amazonas e Piauí.

Segundo o cronograma da chamada, as atividades vão começar em outubro de 2019. Em cada uma das escolas, dois professores indicados vão participar de treinamento de 120 horas sobre instalação, dimensionamento e monitoramento de sistemas solares fotovoltaicos, entre outros temas relacionados. Além das localidades já citadas, os estados do RS, MA, PE, RJ e MG também foram selecionados e farão parte do treinamento. Os centros de treinamento vão contar com a estrutura básica para os cursos de Instalador de Sistemas Fotovoltaicos, oferecidos por nove empresas que compõem a ABSOLAR.

Para o presidente do conselho de administração da ABSOLAR, Ronaldo Koloszuk, a iniciativa conjunta reforça a responsabilidade das instituições parceiras com a capacitação de qualidade e continuada dos profissionais do setor, especialmente instaladores. “Com o mercado crescendo exponencialmente, existe uma demanda elevada no setor por profissionais capacitados para instalar sistemas em residências, comércios, indústrias, propriedades rurais, prédios públicos e em usinas de grande porte”, destaca Koloszuk.

A oferta de cursos e ampliação da infraestrutura, ressalta o presidente executivo da ABSOLAR, Rodrigo Sauaia, são fatores-chave para o fortalecimento do setor no país: “A medida contribui para aumentar a qualidade, segurança, durabilidade e performance dos sistemas instalados, no curto, médio e longo prazos, beneficiando, principalmente, os consumidores e usuários da tecnologia”.

Mercado de Energias Renováveis


A Empresa de Pesquisa Energética (EPE) projeta um aumento nas instalações de geração distribuída para 1,35 milhões em 2027, com um total de 12 GW instalado. Segundo a ABSOLAR, a necessidade de profissionais por MW para a fonte solar fotovoltaica é avaliada entre 25 a 30 vagas. Com isso, a ABSOLAR projeta a criação de 672 mil empregos acumulados até 2035 no Brasil. Para atender a esse cenário, a iniciativa do SENAI conta com o apoio do setor privado, oferecendo um ensino prático próximo à realidade dos futuros profissionais. Para garantir a qualidade da formação, os cursos acompanham o padrão nacional desenvolvido com entidades atuantes no setor.

Profissionais para Energias do Futuro


A iniciativa Profissionais para Energias do Futuro faz parte do projeto Sistemas de Energia do Futuro II, cooperação técnica entre o Ministério de Minas e Energia (MME) e o Ministério Federal da Cooperação Econômica e do Desenvolvimento (BMZ) da Alemanha, por meio da Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ) GmbH. O Ministério de Educação, o SENAI e universidades são os principais parceiros, além de outras instituições e associações dos setores de energia e educação. O projeto faz parte da Cooperação Alemã para o Desenvolvimento Sustentável, com objetivo de apoiar a melhor integração das energias renováveis e eficiência energética no sistema brasileiro de energia.

Fundada em 2013, a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR) congrega empresas e profissionais de toda a cadeia produtiva do setor solar fotovoltaico com atuação no Brasil, tanto nas áreas de geração distribuída quanto de geração centralizada. A ABSOLAR coordena, representa e defende o desenvolvimento do setor e do mercado de energia solar fotovoltaica no Brasil, promovendo e divulgando a utilização desta energia limpa, renovável e sustentável no País e representando o setor fotovoltaico brasileiro internacionalmente.

CUMMINS INC. ANUNCIA AQUISIÇÃO DA CANADENSE HYDROGENICS CORPORATION


A Cummins Inc. anuncia a aquisição da Hydrogenics Corporation, empresa sediada em Mississauga, no Canadá, e fornecedora de tecnologias de produção de células a combustível e de hidrogênio industriais e comerciais, bem como sistemas de armazenamento de energia.

Segundo Tom Linebarger, presidente e CEO da Cummins Inc., "estamos entusiasmados em receber os funcionários da Hydrogenics na família Cummins. A Hydrogenics é um dos principais fornecedores mundiais de tecnologias de produção de células a combustível e hidrogênio; sua experiência e abordagem inovadora fortalecerão a Cummins em capacidades de células de combustível. Esse é mais um passo à frente, pois continuamos investindo em uma ampla gama de produtos e tecnologias limpas, com baixo consumo de combustível e alto desempenho, que agregam valor aos nossos clientes".

A Cummins começou o desenvolvimento de células de combustível há mais de 20 anos e a aquisição da Hydrogenics, com o apoio da Air Liquide, irá acelerar a capacidade da Cummins de inovar e ampliar ainda mais as tecnologias de células de combustível de hidrogênio em vários mercados. Possuir a geração de células de combustível e hidrogênio a partir de recursos de eletrólise permitirá à empresa oferecer uma solução completa e diferenciada de hidrogênio, do início ao fim, perfeitamente integrada as necessidades dos clientes.

"A Air Liquide e a Cummins têm uma visão compartilhada do papel principal que o hidrogênio desempenha na transição energética. Como acionista e mais amplamente como empresa, a Air Liquide é altamente favorável a uma sociedade baseada em hidrogênio. As duas empresas globais, líderes no setor, têm experiências complementares no desenvolvimento de energia de hidrogênio. Graças ao investimento da Cummins, acreditamos que as tecnologias da Hidrogenics poderão acelerar significativamente seu desenvolvimento", afirma disse Pierre Etienne Franc, CEO, The Hydrogen Company.

A Hydrogenics, liderada por Thad Ewald, vice-presidente de estratégia corporativa, se reportará diretamente para a Unidade de Negócios da Cummins, a Electrified Power (EPBU), e suas operações continuarão na sede em Mississauga, no Canadá. Fundada em 2018, a Cummins Electrified Power projeta e fabrica sistemas de trem de força totalmente elétricos e híbridos, juntamente com componentes e subsistemas inovadores para atender aos mercados comerciais à medida que adotam a eletrificação. Até a presente data, a empresa introduziu soluções completas de trem de força eletrificado em seis mercados e continua a lançar produtos líderes em parceia com clientes em todo o mundo.

A aquisição da Hydrogenics Corporation foi concluída por US$ 15,00 por ação, representando um valor corporativo de aproximadamente US$ 290 milhões e segue a aprovação dos acionistas da Hydrogenics. A Air Liquide será proprietária de aproximadamente 19% da empresa, enquanto a Cummins mantém aproximadamente 81% de propriedade e consolidará totalmente a entidade em suas demonstrações financeiras.

Cummins Brasil
Textofinal de Comunicação Integrada

Leia> O Brasil Sobre Rodas

ESCOLHIDOS OS FINALISTAS DO PRÊMIO BOMBARCO DE EXCELÊNCIA NÁUTICA


São 15 os finalistas do primeiro Prêmio Bombarco de Excelência Náutica que será realizado dia 17 de setembro, durante jantar de gala no Edifício Itália, em São Paulo. Serão premiados cinco barcos das categorias Diversão (até 25 pés), Barco do ano (até 32 pés), Família (até 45 pés), Luxo (até 65 pés) e Iate (acima de 65 pés).

Os finalistas são: categoria Diversão, Atymar 23, Focker 242 GTO e Ventura V195 Crossover; Categoria Barco do Ano, Armatti 300 Spyder, Focker 272 GTC e NHD 270; categoria Família, Armatti 450 Sport Coupé, F420 Gran Coupé, Intermarine 45 e Sedna 42; categoria Luxo, Azimut 62 (foto), Tethys 54 Fly e Triton 52 Fly; e categoria Iate, Azimut, Grande 27 Metri e Intermarine 24M.

A pré-seleção dos concorrentes foi feita no último fim de semana. Cada embarcação indicada recebeu a análise do corpo de jurados especializados da premiação. Os critérios cuidadosamente verificados foram: Acabamento interno, Itens de segurança, Design, Layout interno, Custo benefício, Instalação elétrica, Instalação hidráulica e Mercado.

Os barcos finalistas participantes da premiação são fabricados no Brasil pelos principais estaleiros do país, como Intermarine, Azimut Yachts, Sedna Group, Fibrafort, Ventura Marine, Armatti Yachts, Atymar, Tethys Yachts, Triton Yachts, Ônix Yachts e New HD Boats.

Além dos cinco melhores barcos produzidos no Brasil, o Prêmio Bombarco também vai homenagear personalidades de destaque no universo náutico brasileiro. Serão conferidos quatro prêmios a pessoas que contribuíram de alguma forma com a comunidade náutica em suas respectivas áreas de atuação, como explica Marcio Ishihara, CEO do Bombarco: “O prêmio Grande Capitão será conferido a um empresário do setor, o Bom Marinheiro irá homenagear o representante de uma categoria fundamental para quem ama barcos, o Defensor dos Oceanos vai reconhecer os esforços de quem luta pela preservação do meio ambiente, e o Herói do Mar homenageará um grande esportista náutico brasileiro”, disse.

A premiação conta com o patrocínio das empresas: Unifisa, Volvo Penta, Kapazi e Propspeed,com apoio dos parceiros Revista The President, Família Schurmann e Madalena Cerveja Premium.

Bombarco
Casa da Notícia Comunicação
Nereu Leme
nereu@casadanoticia.com.br

terça-feira, 10 de setembro de 2019

AIRBUS ENTREGA MILÉSIMO HELICÓPTERO SUPER PUMA

Um H215 bimotor multifuncional montado em Marignane, na França, foi entregue à Polícia Federal Alemã (Bundespolizei) para dar suporte ao Havariekommando alemão (CCME), que gerencia emergências marítimas na costa da Alemanha.

A entrega completa o pedido de quatro H215 da Polícia Federal alemã. Os três primeiros foram entregues em dezembro de 2018, e expandem para 23 a frota de Super Puma da Polícia Federal alemã, que inclui 19 unidades AS332 L1, tornando-os hoje um dos maiores operadores de Super Puma do mundo.

"A família Super Puma de helicópteros civis e militares tem apresentado um consistente bom desempenho, graças à sua capacidade de atuar em diversos segmentos de missão, seja em combate a incêndios, na construção de linhas de transmissão, transportando militares ou salvando vidas em ambientes extremos", disse o CEO da Airbus Helicopters, Bruno Even. "Graças às nossas estreitas parcerias com clientes de longa data como a Polícia Federal alemã, a quem nos sentimos honrados por operarem o nosso milésimo Super Puma, podemos melhorar continuamente para que este importante produto continue atendendo às crescentes necessidades do mercado ao longo das próximas décadas".

Hoje, o Super Puma é operado por quase 100 clientes em 59 países, representando todas as regiões do mundo. A família Super Puma é composta pelos modelos H215 e H225 para o mercado civil e é produzido pela Airbus Helicopters para operações policiais, trabalho aéreo, busca e salvamento, transporte offshore e missões governamentais, sendo apreciado por sua versatilidade e capacidade de operar em condições ambientais extremas. No setor militar, a Airbus Helicopters oferece o H215M e o H225M para busca e salvamento, transporte de militares, operações especiais e missões de serviços públicos, entre outros.


segunda-feira, 9 de setembro de 2019

BARCO COM DESIGN SUPERESPORTIVO SERÁ LANÇADO NO BRASIL

Novo modelo da coleção 2020 da Armatti Yachts, de quase 13,72 metros, 45 pés, será apresentado pela primeira no São Paulo Boat Show, na capital paulista.


A embarcação chega ao mercado em duas versões, Sport Coupé e Sport Fly. Foto: Acioni Cassaniga

Similar a uma casa de alto padrão sobre as águas, com duas suítes, cozinha, sala, churrasqueira e ampla área externa. Além do conforto de suas instalações, tem visual superesportivo que impressiona mesmo à distância, além de ótimo desempenho para navegar. Esta é a nova Armatti 450 que integra a coleção Armatti Yachts 2020. A versão Sport Coupé, com Hard Top (HT - similar ao teto solar), será exposta pela primeira vez no São Paulo Boat Show 2019, de 19 a 24 de setembro no São Paulo Expo. Na ocasião, o estaleiro também anunciará os detalhes da versão 450 Sport Fly (com Flybridge), mais uma novidade ao mercado. 

A embarcação, com 13,72 metros de comprimento e quase 4 metros de largura, privilegia as áreas externas além de grande iluminação natural em seu interior garantida por amplas janelas panorâmicas tanto nas suítes quanto no salão. Com capacidade para receber 15 pessoas, a nova Armatti 450 alia esportividade e conforto e prioriza a qualidade construtiva, funcionalidade, privacidade, além de performance na navegação. O modelo chega nas versões Sport Coupé (com hard top, similar ao teto solar) e Fly (com flybridge).

Em sua área externa, a 450 tem praça de popa privilegiada, equipada com mesa e confortável sofá, e integrada tanto com a plataforma de banho estendida quanto com o salão interior, dividido por porta de vidro. A proa conta com agradável área para relaxamento e banhos de sol com espreguiçadeiras com encostos rebatíveis. 

Os interiores, climatizados, iluminados e amplamente equipados, seguem um estilo contemporâneo, com uma decoração suave aliada à funcionalidade dos espaços. No salão, os sofás podem se transformar em cama de casal extra. Há mesa de jantar com ajuste de altura além de cozinha gourmet equipada com geladeira, fogão por indução, microondas e áreas estrategicamente desenvolvidas para armazenamento. Integrado ao espaço, a central de comando possui painel de alta tecnologia e banco duplo.

Abaixo do convés, estão duas amplas suítes para pernoite. A máster conta com janelas panorâmicas nos dois lados e ocupa toda a largura do barco, na meia nau. Os banheiros seguem o mesmo padrão de qualidade, ambos com box e chuveiro inox com regulagem de altura, e pé direito que chega a 1,90 metros.

Mobiliários e acabamentos de alto padrão são encontrados nos mais diversos ambientes como madeiras, estofamentos anti-mofo, tecidos náuticos, inox, pedras, vidros e outros. 

O estaleiro oferece uma série de opcionais para o modelo, incluindo motorização, gasolina ou diesel, de 2 motores de 350HP a 2 motores 380HP.

Azimut Yachts.
Rotas Comunicação.

Leia> O Brasil Sobre Rodas.