segunda-feira, 18 de junho de 2018

SERVIÇO GOVERNAMENTAL DE AVIAÇÃO DE HONG KONG RECEBE PRIMEIROS H175 CONFIGURADOS PARA SERVIÇOS PÚBLICOS.


O Serviço de Aviação Governamental de Hong Kong (GFS, da sigla em inglês) recebeu três H175 com configuração para o segmento de aviação pública, tornando-se o primeiro operador do mundo com essa nova modalidade, que aumenta a capacidade de missão do H175 para buscas e salvamento (SAR), serviços médicos de emergência, policial, combate a incêndios e controle de fronteiras terrestres e marítimas.

Em 2015, o GFS tornou-se o primeiro cliente do H175 da modalidade de serviços públicos, ao encomendar sete helicópteros. Os quatro helicópteros restantes serão entregues até o final do ano.

"O Serviço de Aviação Governamental esteve envolvido no desenvolvimento dessa nova versão do H175 e é uma honra estar aqui hoje para receber as três primeiras aeronaves", afirmou Michael Chan, Diretor de Controle do GFS. "Graças à velocidade do H175, sua tecnologia avançada e versatilidade, poderemos fortalecer nossa capacidade de resposta, além de poder atuar nas mais complexas situações e em uma grande variedade de cenários."

O novo H175 do GFS substituirá progressivamente a atual frota de AS332 L2 e H155, que oferecem serviços de apoio 24 horas em casos de emergência a partir de sua base no aeroporto Chek Lap Kok atualmente.

"Agradeço ao GFS por seu apoio constante e garanto que o H175 atenderá às suas operações mais difíceis", afirma Bruno Even, CEO da Airbus Helicópteros. "Estamos muito honrados em ter obtido a confiança de um operador SAR e de serviço público conhecido ao redor do mundo, que também é um cliente de longa data, para colocar em serviço essa nova versão do H175. Com 23 aeronaves atualmente em operação no mundo, o H175 continua a cumprir suas promessas em termos de performance, alcance e conforto de cabine para clientes de Oil & Gas, além de serviços públicos e privados.

A versão para segmento de aviação pública do H175 se beneficia de mais de vinte configurações de cabine que podem ser facilmente reconfiguradas com base nas exigências de cada missão. A grande versatilidade da aeronave é suportada por aproximadamente 70 tipos diferentes de equipamentos opcionais, o que inclui um sistema eletro-óptico de observação e rastreamento e tela com mapa digital, ambos controladas por um console de operador instalado na cabine. Demais equipamentos necessários para missões e que constam no H175 incluem um guincho duplo, um farol de busca, uma câmera infravermelha e um detector de radioatividade, que é um equipamento para uso específico do GFS.

O H175 também se beneficia dos mais novos desenvolvimentos do sistema aviônico Helionix da Airbus Helicopters, que sustenta as capacidades de busca e resgate do helicóptero com modos de SAR avançados, permitindo, por exemplo, que a aeronave paire automaticamente acima de embarcações em movimento. 

A Airbus é líder mundial em aeronáutica, espacial e serviços relacionados. Em 2017, registrou faturamento de €59 bilhões de euros redeclarado dentro do padrão IFRS 15 e empregou cerca de 129 mil profissionais. A Airbus oferece a mais completa gama de aviões de passageiros de 100 a mais de 600 assentos. A empresa também é a líder europeia no fornecimento de aviões-tanque, de combate, transporte e missão, bem como uma das empresas espaciais do mundo. Em helicópteros, a Airbus fornece as mais eficientes soluções em modelos civis e militares em todo o mundo.

Foto: Eric Raz.

JeffreyGroup Brasil.

Leia> O Brasil Sobre Rodas.

ID LOGISTICS BRASIL CONTRATA EXECUTIVA COMERCIAL.

A direção comercial da ID Logistics Brasil, operadora multinacional de logística, ganha um importante reforço. Chega à casa a executiva Sandra Del Amonica, com expertise de mais de 15 anos de atuação na área de logística.


Sandra é graduada em economia pela PUC com MBA em Gestão Empresarial pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), tendo passagens anteriores em empresas como Ceva Logistics e FM Logistic. Sandra vem somar na área que é comandada por Rodrigo Bacelar, Diretor de Desenvolvimento de Negócios e Inovação.A executiva chega com o objetivo de manutenção dos níveis de crescimento da companhia, conquistando novos clientes nos setores de varejo, indústria, e-commerce, fragrâncias e cosméticos e alta tecnologia.

O Grupo ID Logistics, dirigido por Eric Hémar, é um dos principais operadores logísticos em nível internacional, com um faturamento em 2017 de 1.329 bilhão de euros. A empresa possui cerca de 300 instalações e está presente em 17 países, alcançando 5,5 milhões de m² em armazéns distribuídos pela Europa, América Latina, Ásia e África, e tendo ao seu dispor 19 mil colaboradores. Com uma equilibrada carteira de clientes em setores como o da distribuição, indústria, cuidados de saúde, automóvel e comércio eletrônico, entre outros, a ID Logistics oferece soluções tecnológicas comprometidas com o desenvolvimento sustentável. A ID Logistics está cotada no Departamento B do mercado regulado Euronext de Paris (Código ISIN: FR0010929125). 

sábado, 16 de junho de 2018

CASA DA MÃE JOANA.
Por Marli Gonçalves*

NINGUÉM ESTÁ FALANDO...


E precisamos pensar e falar de tantas coisas. Ninguém tem mais tempo nem de falar, nem de ler, nem de ver tudo o que circula, muito menos de ouvir. Quer dizer, ninguém, ninguém, não é bem assim. Tem quem tenha tempo para tudo isso, inclusive para preferir enviar por tudo quanto é canto nas redes sociais vídeos que gastam mais tempo e dados para serem baixados do que para saber do que se trata.

 “... O Sol nas bancas de revista. Me enche de alegria e preguiça. Quem lê tanta notícia?"... Imagine se o Caetano Veloso  profetizava isso lá há 50 anos atrás, em Alegria, Alegria como tanta coisa mudou até hoje. Nas bancas de jornal, de um tudo, impressionante, cada dia empurrando mais para lá os jornais e revistas. Outro dia vi uma que vende consertos de sapatos. Viraram pequenos mercadinhos nas esquinas da vida. Melhor que lá no Posto Ipiranga.

Aliás, postos que cada vez também são menos frequentados com o preço sideral da gasolina e outros combustíveis na bomba que estoura nos nossos tanques e bolsos. Aumentando o preço e a temperatura de tudo o que consumimos e que, como vimos recentemente, chega no lombo dos caminhões.  Reparou que o abastecimento ainda não está nada normalizado? Que os preços estão siderais?

É muito louco, meio esquizofrênico. Passamos dias e dias tendo overdose de alguns assuntos. De repente eles somem como num passe de mágica. Foram atropelados por outros sem que tivesse sido concluído o anterior. Exemplos, essa história do frete e preços e os coitados sobreviventes do incêndio no prédio do centro de São Paulo, que continuam lá. Talvez você não saiba, estão lá naquela mesma praça, sem banco,  amontoados em barracas, esquecidos, tendo de roubar banheiros químicos de outros lugares para usar, porque o Governo demorou mais de um mês para lembrar desse detalhe.  Uma situação horrorosa, dramática, vergonhosa.

Ah, e a cada dia é maior o número de pessoas vivendo em barracas, nas ruas, canteiros, praças, avenidas, viadutos e buracos (literalmente) que encontram. Ou vestidas com caixas de papelões, sacos de lixo, jogadas pelas ruas como se lixo fossem. Eles não têm representação política, não são de esquerda, não votam, aliás, nem no PT, nem são vistos pelos aparelhados Movimentos sem alguma coisa. São Nômades, não invadem, ocupam; mas as ruas. Não são nem gente, parece; e aquelas crianças já têm seu futuro altamente comprometido.

Pronto, chegamos a mais um assunto que nos fez, vejam só, invejar a Argentina essa semana! As proles. Lá, ao menos está havendo a discussão parlamentar sobre a descriminalização do aborto, com possibilidade até de aprovação de uma lei sobre o assunto.  Adianta sentar em cima do assunto? Não!

(Não me venham falar - acusando-os de não usarem- em métodos contraceptivos, informação, bibibibododó. Essas pessoas não tem o que comer. Muitas são analfabetas. Aliás, acaso você aí já precisou comprar remédios populares nas farmácias? Pois é, simples não é. E as pessoas que cito agora não tem nem identidade, literalmente. Muito menos receitas).

Mais um #precisamosfalar. Descriminalização da maconha.  Fechar os olhos? Tampar o nariz?  Só assim para não perceber que a cada dia corre mais livre por conta própria, em todos os lugares, todas as idades, além das pesquisas sérias sobre seu uso em medicina.  

Não aguento hipocrisia, nunca aguentei , e é uma das coisas que mais me aborrece nesse pais. Esse atraso, essa cegueira moral que tentam impingir - ou com leis que não são e nunca serão cumpridas, repressão errada , ou simplesmente esquecendo o assunto- a toda uma sociedade que precisa avançar sob o risco de acontecer o que já vemos se aproximar, o retrocesso.

Não dá para falar aqui de todos os assuntos importantes, os verdadeiros direitos humanos, atropelados nas estradas da vida e, inclusive, na imprensa que, coitada, esmorece, atacada, pobre, manipulada. Até desbancada.

Estamos precisando fazer de novo uma publicação que até hoje tem seu nome marcado na história para ser usado de novo: Realidade.

Precisamos falar sobre isso, sobre ela, a realidade, nua e crua.

São Paulo, 2018.












*  Marli Gonçalves, jornalistaEnquanto isso, a bola está rolando lá longe, quase do outro lado do mundoTenho um blog. Divertido e informante ao mesmo tempo, no marligo.wordpress.com. Estou no Facebook e no Twitter. Visite o "Chumbo Gordo": www.chumbogordo.com.br. e-mails: marli@brickmann.com.br e marligo@uol.com.br. 


sexta-feira, 15 de junho de 2018

AIRBUS INAUGURA QUARTA LINHA DE PRODUÇÃO DA FAMÍLIA A320 EM HAMBURGO.


A Airbus inaugurou a quarta linha de produção da Família A320 em Hamburgo, na Alemanha. Fazendo uso de tecnologias digitais e um arranjo produtivo mais flexível, a nova linha, que se destaca por ser inovadora e arrojada, desponta como grande responsável pelo aumento da produção no programa de aeronaves de corredor único, com a meta de se alcançar a produção de 60 aeronaves por mês até a metade de 2019.

Frank Horch, Senador de Economia, Transporte e Inovação de Hamburgo, e Thomas Jarzombek, Coordenador do Governo Federal para Política Aeroespacial Alemã, estavam presentes na inauguração, juntamente com Guillaume Faury, presidente de Aeronaves Comerciais da Airbus e outros 500 convidados de renome em uma cerimônia especial realizada em Hamburgo.

"A inauguração da nossa mais nova e mais moderna linha de produção do A320 marca o início de um novo capítulo na produção eficiente e digital de aeronaves" disse Guillaume Faury. "Com essas novas tecnologias, estamos construindo nossas aeronaves de maneira mais eficiente, algo indispensável para aumentarmos nossa taxa de produção. Gostaria de agradecer às equipes que possibilitaram fazer desse conceito de padrão de produção uma realidade."

Com mais de 14 mil aeronaves das Famílias A320ceo e A320neo encomendadas e mais de 8,1 mil já entregues, a A320 é a família de aeronaves de corredor único mais bem-sucedida do mundo. Contando com as mais modernas tecnologias de ponta, como novos motores de geração e Sharklets, a família A320neo torna possível a economia de 15% do combustível no momento da entrega e 20% até 2020. Até o momento, a Família A320neo já conquistou quase 60% do market share, com mais de 6 mil pedidos e 100 clientes.

As aeronaves da Família A320 são produzidas mundialmente, em fábricas da Airbus localizadas na Europa, China e nos Estados Unidos. Além dessa nova linha de produção, a Airbus também inaugurou em Hamburgo um centro de entrega da Família A320 maior e mais moderno, que agora conta com mais áreas de atendimento ao cliente, processos de entrega mais eficientes e maior gama de serviços de hotelaria.

JeffreyGroup Brasil.

Leia> O Brasil Sobre Rodas.

terça-feira, 12 de junho de 2018

GERDAU ABRE INSCRIÇÕES PARA NOVO PROGRAMA NACIONAL DE ESTÁGIO.

G.Start tem como foco o desenvolvimento acelerado de novos profissionais em diversas regiões do país.


A Gerdau, uma das produtoras de aço mais inovadoras no mundo, lança o programa de estágio G.Start no Brasil. A iniciativa recebe inscrições até o dia 29 de junho de estudantes universitários dos cursos de Engenharia, Ciências Contábeis, Ciências Econômicas, Matemática, Administração, Psicologia, Design, Logística, Sistemas de Informação, Marketing, Comunicação e Publicidade e Propaganda. As inscrições podem ser feitas pelo site www.vagas.com.br/gerdau-programa-estagio. No total, cerca de 100 vagas serão disponibilizadas.

A iniciativa visa contribuir para a formação de novos profissionais, capazes de propor soluções simples e ágeis de forma colaborativa em um ambiente de negócio cada vez mais dinâmico, e contempla um plano de desenvolvimento que estimula os jovens a assumirem o protagonismo de suas carreiras. Isso acontecerá por meio de projetos-desafio, que serão conduzidos em conjunto com os gestores de cada área. Além de conhecer a cultura da Gerdau, os estudantes irão aprender sobre os negócios (processo produtivo, produtos, aplicações e clientes), conhecer metodologias ágeis e receber insights e provocações sobre temas como inovação, simplificação de processos e digitalização.

“O G.Start é um programa para universitários que queiram acelerar o seu desenvolvimento profissional e ajudar a construir a Gerdau do futuro”, destaca Raquel Cardoso, Líder de Pessoas da Gerdau no Brasil. “Durante o programa, os estagiários poderão aprimorar o conhecimento técnico em suas áreas de formação, além de desenvolver outras competências como empreendedorismo, colaboração, abertura à inovação, atitude para a segurança e foco em resultados.” 

Com duração de até 18 meses, o G.Start tem previsão de início para o segundo semestre de 2018 e oferece vagas para unidades da Gerdau em 14 estados – Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Ceará, Pernambuco, Bahia, Paraíba, Distrito Federal, Mato Grosso e Tocantins.

Clique na telinha e saiba mais sobre o G.Start



Inscreva-se: www.vagas.com.br/gerdau-programa-estagio

A Gerdau é líder no segmento de aços longos nas Américas e uma das principais fornecedoras de aços especiais do mundo. No Brasil, também produz aços planos e minério de ferro, atividades que estão ampliando o mix de produtos oferecidos ao mercado e a competitividade das operações. Além disso, é a maior recicladora da América Latina e, no mundo, transforma, milhões de toneladas de sucata em aço, reforçando seu compromisso com o desenvolvimento sustentável das regiões onde atua. As ações das empresas Gerdau estão listadas nas bolsas de valores de São Paulo, Nova Iorque e Madri.

segunda-feira, 11 de junho de 2018

CASA DA MÃE JOANA.
Por Marli Gonçalves*

60, POR HORA, NA VIDA


Acordei e era idosa. Sentei na cama, movi os braços, as pernas. Corri para o espelho. Chequei se continuava tudo ali no lugar, forcei um pensamento mais arrojado e tudo bem, valeu, pelo menos a meu ver, ele surgiu coerente e livre. Ufa! Tudo bem, tudo legal. Na noite anterior, coisa de um minuto para outro eu tinha pulado de fase no jogo da vida, chegando à casinha 60, aquela na qual é preciso parar um pouco, pensar e esperar quais serão as próximas jogadas.

Tudo igual. Que bom. Agora ganhei um epíteto a mais: idosa. Se provocar, tem mais: sexagenária; sessentona - palavra que pesa um pouco nas costas, principalmente as femininas. Os sessentões parecem mais galãs. As sessentonas, quando citadas, dão a entender que são espevitadas e pouco virtuosas. Usada como adjetivo aponta ironia com a informação que dará em seguida “Sessentona isso, sessentona aquilo, sessentona apresenta namorado trinta anos anos mais novo”...

Tem o coroa também, meio gíria antiga, que um dia alguém me explica. É usado para definir qualquer pessoa que seja mais velha do que quem a declama. “É uma coroa enxuta”, uma frase, por exemplo.

Engraçado, ainda bem que me preparei antes, buscando não ter muita ansiedade, meditando bastante e observando como pode funcionar para mim e para os outros. Do meu canto, me observo e observo. Consigo agora até tocar no assunto por aqui.

O redondo 60 é número bonito, sonoro, imponente e importante. Deve ter algo a mais para oferecer. Tanto que horas têm 60 minutos e os minutos, 60 segundos. Dizem que 60 era o número mais admirado pelos babilônios, que dividiam o círculo em 60 partes, e que foi assim a base na qual estabeleceram o calendário, e calcularam os tais 60 minutos da hora e 60 segundos do minuto. Achavam o número harmônico. Tem o número. 60. A palavra. Sessenta. Sixty, que tem som sexy. Soixante, em francês. Perde um “s” em espanhol, vira sesenta.

Dizem que não pareço que tenho sessenta; tem quem ache que eu não devia nem falar, mas nunca menti. Acho legal. Então até já me organizei para tirar a tal documentação que comprove onde eu precisar que agora, de um dia para o outro, ganhei uns direitos, uns descontos, mereço um outro tipo de tolerância obrigatória e até umas leis de proteção, o tal estatuto. Um lugar diferente nas filas. Vou procurar direitinho o que mais posso ter de vantagem. Porque as desvantagens já conheço e estou vendo não é de hoje nessa sociedade que pouco valoriza a experiência, e nos torna invisíveis.

Estamos aí com força total. Como o tempo passa. Outro dia eu tinha nascido, no outro cresci, fui adolescente e sempre mulher. Nenhuma das fases tão marcada a ferro e fogo como esta. O que foi bom porque carreguei e mantenho as outras partes: ainda sou criança, adolescente, adulta, vivi e agora – como determinam - sou idosa, essa fase marcada com um círculo em volta. Tô brincando com isso com meus amigos e amigas. Ouvi muitas gargalhadas e, dos que já passaram dos 70 e quase já chegam ao 80, ouço dizem: esse é um novo começo. E é neles que me fio. Afinal, quando nasci eles já eram até maiores de idade.

Adoro saber do ano de 1958, e me vejo como um acontecimento igual a muitos daquele tempo onde tudo parecia abrir um novo caminho para o país, para as ideias, arejando ideais, e com grande criatividade artística. Creio que foi um ano bem alto astral. Mais alguns anos que se seguiram também, até que apagaram a luz por 21 anos.

60 anos depois, cá estamos nós, e esse ano agora caminha carrancudo. Valeu a pena? Olho para trás e me preocupo muito é se vou ter energia e vontade de novamente lutar enfileirada para que não consigam fazer desandar de novo o tempo que conquistamos e que se perde. Combater chatos e caretas, e outros tantos que pensam torto, e querem regredir ainda mais.

Uma preguiça imensa aparece do nada. E sei que é uma sensação que invade muitos de nós, hoje idosos, e alguns ainda mais idosos -  que não deve demorar a surgir classificação posterior, já que estamos vivendo mais. Os idosos e os mais idosos, todos por aí com muita energia, superando a garotada que parece já ter nascido cansada e isolada em suas redes sociais.

Temos visto terríveis casos de suicídios, de pessoas famosas que aparentavam ser totalmente realizadas. Penso que talvez elas tenham querido apenas congelar o tempo. Porque sempre há o medo, muito medo,  do que virá.

São Paulo, junho de 2018.








Marli Gonçalves, jornalista – Tá bom, admito, esperei 48 horas para só depois escrever tudo isso. Queria ter certeza do que é que podia ter mudado de um dia para o outroTenho um blog. Divertido e informante ao mesmo tempo, no marligo.wordpress.com. Estou no Facebook e no Twitter. Visite o "Chumbo Gordo": www.chumbogordo.com.br. e-mails: marli@brickmann.com.br e marligo@uol.com.br. 

sexta-feira, 8 de junho de 2018

AIRBUS, BOMBARDIER E INVESTISSEMENT QUÉBEC FECHAM PARCERIA.


A Airbus vai adquirir a maior parte das ações na Parceria Limitada de Aeronaves C Series, a partir de 1º de julho de 2018.

Após receber todas as aprovações regulatórias necessárias, a Airbus SE (EPA: AIR), a Bombardier Inc. (TSX: BBD.B) e a Investissement Québec (IQ) concordaram em fechar a transação C Series a partir de 1º de julho de 2018. A transação, na qual a Airbus vai adquirir a maior parte das ações Parceria Limitada de Aeronaves C Series (C Series Aircraft Limited Partnership - CSALP) foi inicialmente anunciada em outubro de 2017. A parceria, que tem base em Mirabel, foi inicialmente estabelecida entre a Bombardier e a IQ, vai se beneficiar do alcance global da Airbus, sua escala, organização em compras e experiência em vendas, marketing e produção da C Series – uma família de aeronave jet de ponta no mercado de 100-150 assentos.

A Airbus vai trabalhar com seus parceiros Bombardier e IQ para liberar por completo o potencial da C Series e agregar um valor significativo para consumidores, fornecedores, funcionários, acionistas e comunidades nas quais a parceria opera. O escritório principal da parceria, a linha de montagem primária e funções relacionadas terão base em Mirabel, no Quebéc.

Como anunciado anteriormente, a Bombardier continuará com seu atual plano de financiamento do CSALP. Devido ao fechamento antecipado da parceria, os termos deste plano são atualizados de acordo com o seguinte cronograma: A Bombardier financiará as deficiências de caixa da CSALP, se necessário, durante o segundo semestre de 2018, até um máximo de US$225 milhões; durante 2019, até um máximo de US$350 milhões; e até um valor agregado máximo de US$350 milhões nos dois anos seguintes, em consideração às ações participantes sem direito a voto da CSALP com dividendos acumulados anuais de 2%. Qualquer excesso de déficit durante esses períodos será compartilhado proporcionalmente entre os acionistas da Classe A da CSALP. A Airbus consolidará o CSALP em vigor a partir de 1º de julho de 2018 em diante. Mais informações financeiras sobre a transação serão fornecidas ainda este ano.

O programa da C Series continua a aumentar. Depois de entregar 17 aeronaves em 2017, está preparando-se para dobrar suas entregas em 2018.

Com a performance em serviço demonstrada pela C Series e a finalização dessa parceria, as partes esperam um aumento de demanda para apoiar uma segunda Linha de Montagem Final da  C Series em Mobile, no Alabama, dedicada a atender consumidores com base nos Estados Unidos. A C Series está posicionada para capturar uma grande porcentagem do que estimam ser 6 mil aeronaves necessárias nesse segmento de mercado nos  próximos 20 anos.

"Essa parceria amplia o nosso comprometimento com o Québec e com todo o aeroespaço canadense. Estamos muito felizes em dar as boas-vindas a muitos membros de equipes da C Series em nossa equipe extendidada Airbus", disse o Diretor Executivo da Airbus, Tom Enders. "A força de toda a organização Airbus estará por trás da C Series. Isso não apenas permitirá que essa excepcional aeronave cumpra seu potencial de mercado, mas também estamos convencidos de que a adição da C Series à nossa oferta geral de aeronaves traz um valor significativo à Airbus, aos nossos clientes e acionistas".

"Esse momento marca o começo de um novo e empolgante capítulo para a C Series e a indústria aeroespacial canadense", afirma Alain Bellamere, Presidente e Diretor Executivo da Bombardier. "A C Series é amplamente reconhecida como a aeronave mais avançada e eficaz de sua classe e essa parceria garante seu sucesso comercial. O alcance global incomparável da Airbus, suas fortes relações com clientes e perícia operacional são ingredientes necessários para deslanchar o valor completo da aeronave. Juntos, vamos trazer novos valores e oportunidades para companhias aéreas, fornecedores, acionistas e funcionários".

"Ao unir a tecnologia aeroespacial mais inovadora e eficaz do mundo – desenvolvida e construída no Québec – com a experiência de mercado da Airbus, estamos criando um promissor e dinâmico novo segmento", observa a Vice Premier do Québec, Ministra da Economia, Ciência e Inovação e Ministra responsável pela Estratégia Digital, Dominique Anglade. "Acima de tudo, estamos garantindo o crescimento da C Series e assegurado os mais de dois mil empregos ligados ao programa em Mirabel. Além de manter o escritório principal da C Series, engenharia e atividades de Pesquisa e Desenvolvimento em Québec, essa parceria torna a Airbus de Montréal o maior centro de pesquisa e desenvolvimento fora da Europa, o que representa oportunidades incríveis para toda a nossa indústria aeroespacial".

"A equipe da C Series no Québec tem orgulho de participar dessa oportunidade para alavancar o sucesso dessa aeronave excepcional", afirma Philippe Balducchi, CEO da parceria C Series. "Nossas equipes têm trabalhado sem descanço para combinar culturas e unir operações com antecedência e estamos confiantes em nossa habilidade para fazer dessa parceria de benefícios mútuos um sucesso comercial próspero. A composição da equipe de liderança da C Series reflete nossos princípios para reunir o melhor dos talentos que cada um dos lados tem a oferecer. Estamos prontos para olhar para fora e ajudar nossos consumidores a obterem a aeronave mais desejada do segmento".

A Airbus é líder mundial em aeronáutica, espacial e serviços relacionados. Em 2017, registrou faturamento de €59 bilhões de euros redeclarado dentro do padrão IFRS 15 e empregou cerca de 129 mil profissionais. A Airbus oferece a mais completa gama de aviões de passageiros de 100 a mais de 600 assentos. A empresa também é a líder europeia no fornecimento de aviões-tanque, de combate, transporte e missão, bem como uma das empresas espaciais do mundo. Em helicópteros, a Airbus fornece as mais eficientes soluções em modelos civis e militares em todo o mundo.

Com mais de 69.500 funcionários espalhados por quatro segmentos de negócio, a Bombardier é líder global na indústria de transporte, criando aviões e trens inovadores e revolucionários. Nossos produtos e serviços oferecem experiências de transporte de primeira classe, que estabelecem novos padrões em conforto de passageiros, eficiência energética, confiança e segurança. Sediada em Montreal, no Canadá, a Bombardier tem locais de produção e engenharia em 28 países nos segmentos de Transporte, Aeronaves de Negócio, Aeronaves Comerciais e Aeroestruturas e Serviços de Engenharia. As ações da Bombardier estão na Bolsa de Valores de Toronto (BBC). No ano fiscal terminado em 31 de dezembro de 2017, a Bombardier registrou faturamento de US$16.2 bilhões.

JeffreyGroup Brasil.

Leia> O Brasil Sobre Rodas.

EDUCAÇÃO.
Por Renato Nalini*


AFOGADO EM DADOS


O excesso de informações é causa de uma das angústias do homem contemporâneo. O dilúvio de dados disponíveis, a velocidade das rupturas e a celeridade das inovações mantêm a humanidade em permanente tensão. O mundo está sob incessante e crescente demanda. 30 bilhões de mensagens de WhatsApp são endereçadas a cada dia e 87% dos jovens americanos disseram que nunca abandonam seus smartphones. 44%  tiram fotos com seus celulares todos os dias. E o compartilhar de imagens, clips, discursos e shows?

O usuário não apenas reparte tudo aquilo que acha interessante – peer-to-peer – como produz também material para ser distribuído. Todos são capazes de fazer um filme e de encaminhá-lo para o rol de amigos, ou disponibilizá-lo nas redes sociais. 

Tudo tem de ser “já”. O “depois” já não interessa. O “agora” é que tem valor, não mais o “amanhã”. A corrida é frenética em ambos os sentidos. O consumidor busca as melhores ofertas na internet, os fornecedores procuram seus clientes mediante agressiva tática de venda.

E isso não ocorre apenas nos Estados Unidos, o campeão no comércio online. A China foi uma gigante desperta para essa realidade. Em 11.11.2015, o Single Day (Dia Único), realizado pelo grupo Alibaba, de comércio eletrônico, faturou mais de 14 bilhões de dólares online. 68% das vendas foram realizadas com uso de dispositivos móveis. Na África subsaariana, a região de maior número de assinaturas de celulares, os telefones fixos restaram superados. Mais de 240 milhões de usuários de internet móvel são esperados na África Subsaariana nos próximos cinco anos. 

Tudo se encontra na internet. Para o bem e para o mal. Quem tiver curiosidade passará a vida aprendendo coisas, visitando países, lendo biografias e se encantando com a exuberância do gênero humano. O conhecimento nunca esteve tão disponível e tão acessível a quantos queiram dele se apoderar. O risco é o indivíduo ficar tão assustado com a imensa exuberância das informações e se desinteressar por aprender, sob argumento de que não sabe o que deve guardar ou o que deve descartar.

O uso saudável das redes sociais é pedagógico. A par de disseminar conteúdo importante para quem está de mente aberta para recolher e abrigar novos conhecimentos, serve para ajudar o eleitor a escolher em quem votar. Lembrando que ainda não existe outra fórmula viável de se gerir uma sociedade, senão mediante eleição de representantes. Até nos convençamos de que depende de cada um de nós implementar a Democracia Participativa, de gradação mais relevante em cotejo com a combalida e desacreditada Democracia Representativa.








* José Renato Nalini é desembargador, reitor da Uniregistral, palestrante e conferencista. Visite o blog: renatonalini.wordpress.com.

quinta-feira, 7 de junho de 2018

ALUNOS DE ENGENHARIA MECÂNICA DA FEI DESENVOLVEM PROJETOS E SOLUÇÕES SUSTENTÁVEIS VOLTADOS PARA A SOCIEDADE.

Formandos em Engenharia Mecânica Plena do Centro Universitário FEI, referência no ensino das Engenharias, desenvolveram projetos que oferecem soluções alternativas para vários segmentos da sociedade. Todos esses trabalhos serão exibidos nesta sexta-feira, 8 de junho, durante a 61ª Expo MecPlena - Exposição de Projetos de Formatura do curso de Engenharia Mecânica Plena*, no campus São Bernardo do Campo (SP).

Entre os projetos desenvolvidos, está o Easymove, uma cadeira motorizada compacta e capaz de se adaptar às condições clínicas de seu usuário. A utilização deste dispositivo oferecerá rápida locomoção entre cômodos e corredores sem grande esforço físico e também maior mobilidade em ambientes de espaço reduzido através de movimentos rotativos, possibilitando que pessoas com necessidades especiais consigam exercer suas atividades sem a exigência de adaptações em locais da empresa ou domicílio para acomodar uma cadeira de rodas convencional.

Outro importante projeto visa facilitar o transporte de produtos farmacêuticos que necessitam de condições de temperatura adequadas para conservá-los. Intitulado STORK, o projeto consiste na engenharia básica de um veículo aéreo não tripulado que fará essa distribuição de forma mais eficiente, auxiliando o transporte tanto em situações comuns como excepcionais: hospitais de difícil acesso, locais de desastre em massa, navios com passageiros gravemente feridos, entre outras.

Outros projetos estratégicos que serão apresentados durante a 61ª Expo MecPlena


COMSOL: Um Sistema de Ventilação Híbrido para fins de Resfriamento do Ambiente. O projeto COMSOL consiste na modificação de um Chiller (resfriador de água), que utiliza como alimentação primária original a energia a gás, para uma alimentação como sistema híbrido, utilizando fontes de energia a gás e solar por um Coletor de Tubos a Vácuo. Um estudo mais aprofundado deste projeto mostrará a viabilidade de abastecer todos os periféricos do resfriador com energia solar, eliminando o uso de energia elétrica.

Conavis: é um projeto que tem como objetivo automatizar o processo de atracagem de navios de carga, uma tarefa de alta responsabilidade e que, atualmente, é realizada manualmente por meio de cabos de amarração. A proposta do projeto é trazer benefícios em produtividade, segurança e redução de custos. O projeto contará com o apoio da empresa Brasil Terminal Portuário (BTP), que atua no porto de Santos e tem um grande interesse em investir na otimização do processo.

CUT OFF-ROAD: Pensando nos pequenos e médios produtores de feijão, os alunos desenvolveram um subsistema automatizado de um implemento agrícola colhedor de feijão, a fim de se adaptar às irregularidades do solo para otimizar o processo de colheita de feijão, principalmente no interior de São Paulo que contém solos irregulares. É também uma oportunidade de trazer tecnologia mecânica e de automação ao pequeno e médio agricultor, visando impactar sua produtividade no Brasil.

EasyCrop: É um sistema mecanizado para colheita de melancias, desenvolvido para otimizar esse processo, na grande maioria feito de forma manual, que, além de acarretar em problemas de ergonomia e esforços físicos excessivos ao trabalhador rural, também gera em média 30% de perdas, causados por queda de produto e "baixo" controle de qualidade.

Eco Path: É um estudo que foi desenvolvido para melhorar a qualidade do concreto utilizado para o asfaltamento, bem como otimizar o processo de pavimentação que, ao longo do tempo sofre deterioração e consequentemente gera custo para manutenção. Uma das técnicas utilizadas é a adição de borracha reciclada de pneus no concreto.

ENGREEN: Pensando ecologicamente, o projeto consiste em um aviário de corte sustentável utilizando os resíduos provenientes da avicultura como insumos para geração de energia, que objetivada a economia de energia elétrica por meio de um biodigestor. O sistema transformará os dejetos liberados pelos frangos em gás metano e este convertido em energia elétrica por um gerador, que abastecerá o próprio consumo do aviário. Além disso, o resíduo gerado pelo biodigestor é rico em matéria orgânica, podendo ser utilizado como adubo.

Planex: Pensando nos pequenos produtores de laticínios, os alunos desenvolveram um equipamento modular e móvel destinado à produção e conservação de diversos tipos de queijo. A solução modular dispensaria a estrutura em alvenaria, facilitando mudanças na capacidade produtiva, além de oferecer mobilidade às cooperativas para que desloquem suas instalações, total ou parcialmente de acordo com suas necessidades, utilizando containers disponíveis no mercado, adaptados com o equipamento.

Simum: É uma máquina de limpeza de peças de usinagem que utiliza ar comprimido como alternativa ao processo, causando assim a redução da utilização de água e desengraxastes. A solução, que acima de tudo é sustentável, foi desenvolvida devido a exigência da indústria em relação a limpeza de peças, que passou a ser um processo cada vez mais presente na área, tanto para assegurar que não haja contaminantes nas peças acabadas, quanto para garantir que estes não interfiram nos processos subsequentes aumentando a precisão de fabricação e montagem.

Com 77 anos de tradição, o Centro Universitário FEI é referência entre as instituições universitárias no Brasil, nas áreas de Administração, Ciência da Computação e Engenharia. A Instituição, com campus em São Bernardo do Campo e na capital paulista, já formou mais de 50 mil profissionais, entre engenheiros, administradores de empresas e profissionais da área de Ciência da Computação, muitos ocupando posições de liderança nas principais empresas do País. Mantido pela Fundação Educacional Inaciana Pe. Sabóia de Medeiros, o Centro Universitário FEI integra a Rede Jesuíta de Educação e agrega marcas históricas de instituições de ensino de São Paulo: Faculdade de Engenharia Industrial, Escola Superior de Administração de Negócios e Faculdade de Informática. Os cursos oferecidos são Administração, Ciência da Computação e Engenharia – habilitações em Engenharia Civil; Engenharia de Automação e Controle; Engenharia de Materiais; Engenharia de Produção; Engenharia Elétrica, com ênfase em Eletrônica, em Computadores e em Telecomunicações; Engenharia Mecânica e Engenharia Mecânica com ênfase Automobilística; Engenharia Têxtil; e Engenharia Química. Oferece ainda cursos de pós-graduação lato sensu nas áreas de Tecnologia e de Administração, entre outros; mestrado em Administração, Engenharia Elétrica, Mecânica e Química; e doutorado em Administração e Engenharia Elétrica.

*Evento restrito aos alunos, avaliadores e imprensa

Grupo CDI - Comunicação e Marketing.

Leia> O Brasil Sobre Rodas.

MASSEY FERGUSON PREMIARÁ ESTUDANTE DE COMUNICAÇÃO SOCIAL COM R$ 7 MIL.


17º Prêmio de Jornalismo receberá inscrições até 2 de julho e reconhecerá as melhores reportagens sobre agronegócio.

Estão abertas as inscrições para o 17º Prêmio de Jornalismo, concurso cultural realizado pela Massey Ferguson, sinônimo de pioneirismo e modernidade na fabricação de máquinas agrícolas. Destinado aos profissionais e estudantes da Comunicação que produzem reportagens sobre o agronegócio, a premiação é dividida em sete categorias: Jornal, Revista, Multimídia, TV, Fotojornalismo, Estudante e Américas do Sul, Central e Caribe.

A Massey Ferguson premiará o primeiro colocado da categoria Estudante com R$ 7 mil. O segundo lugar será premiado com um tablet, enquanto o terceiro melhor colocado ganhará um smartphone.

Os estudantes de instituições de jornalismo reconhecidas pelo MEC, interessados em concorrer ao prêmio, devem inscrever matérias ou fotografias produzidas para uma disciplina ou jornal-laboratório impresso, rádio, revista, internet ou TV. Também serão aceitas inscrições de estudantes que cadastrarem trabalhos publicados durante o período de estágio em veículos jornalísticos. As matérias devem respeitar o prazo de veiculação entre 05/09/2017 e 02/07/2018, conforme o regulamento.

Para participar, o candidato deve preencher o formulário de inscrição no site www.premiojornalismo.com.br. No momento da inscrição, o participante deve fazer upload da sua reportagem para a avaliação do júri, que será composto por profissionais com experiência e conhecimento em comunicação e áreas correlatas ao agronegócio.