terça-feira, 18 de fevereiro de 2020

FAZENDA URBANA CONQUISTA PREMIAÇÃO GLOBAL DO GRUPO DAIMLER

Em sintonia com a busca constante pela inovação, sustentabilidade e pelo bem-estar dos colaboradores, a Mercedes-Benz do Brasil celebra a conquista em premiação global do Grupo Daimler com a primeira Fazenda Urbana instalada dentro de uma indústria no mundo. 


A cerimônia de entrega do prêmio ocorreu na última semana em Stuttgart, na Alemanha.

O Daimler Environmental Leadership Award 2020 (Prêmio de Liderança Ambiental) reconhece os projetos internos que contribuem para melhorar o ciclo de vida dos produtos do Grupo Daimler, bem como para tornar as fábricas o mais ambientalmente compatíveis possível. Esta 12ª edição do Prêmio recebeu 146 projetos inscritos de 30 países. O projeto Fazenda Urbana, parceria entre a Mercedes-Benz do Brasil e a BeGreen, conquistou o segundo lugar na categoria Excelência em Gestão Ambiental.

“Estamos muito orgulhos por trazer para o Brasil esse importante reconhecimento do Grupo Daimler, sobretudo por se tratar de uma iniciativa inédita no mundo e com forte viés de sustentabilidade. O projeto reúne vários pilares que norteiam todas as atividades do Grupo, como inovação, sustentabilidade, saúde e responsabilidade social”, ressalta Carlos Santiago, vice-presidente de Operações da Mercedes-Benz do Brasil. 

“Ter sido reconhecido internacionalmente entre várias marcas do Grupo Daimler demonstra que estamos no caminho certo e nos dá uma imensa alegria pelo trabalho realizado na Fazenda Urbana. Sem contar o reconhecimento dos colaboradores da fábrica que consomem nossos produtos no dia a dia. Esperamos que esse projeto conquiste outras fábricas da Daimler no mundo”, afirma Giuliano Bittencourt, CEO da BeGreen.

Fazenda Urbana



Inaugurada em novembro de 2019, a primeira Fazenda Urbana instalada dentro de uma indústria no mundo está localizada na fábrica de veículos comerciais da Mercedes-Benz em São Bernardo do Campo (SP). A produção de verduras é 100% livre de agrotóxicos para consumo nos restaurantes da Empresa.

A iniciativa inédita de plantar hortaliças em um parque fabril dedicado à produção de caminhões e ônibus tem como foco principal proporcionar uma alimentação de mais qualidade aos colaboradores. É a aplicação do conceito “farm to table”, ou seja, da fazenda para a mesa com a procedência dentro de casa.

“O projeto da Fazenda Urbana evidencia o compromisso da Mercedes-Benz em investir na qualidade de vida de seus colaboradores, como também de seus familiares. Estamos engajados com o presente e principalmente com o futuro de uma sociedade melhor”, afirma Santiago.

Além disso, a Fazenda Urbana permite que a Mercedes-Benz contribua ainda mais com a preservação do meio ambiente. Isso porque a produção na estufa, ao lado do restaurante da Empresa, elimina o desperdício de alimentos durante o transporte e tem zero emissão de CO2.

O projeto da Fazenda Urbana é inovador em muitos sentidos. A Mercedes-Benz do Brasil uniu-se à BeGreen, startup mineira que, desde 2014, dedica-se a produzir alimentos de forma sustentável. Juntas, levaram adiante a parceria entre uma empresa da indústria automotiva e uma startup em um projeto de sustentabilidade. A Mercedes-Benz cedeu o espaço na fábrica e a BeGreen gerencia todo o processo de produção e também é responsável pela administração da rotina da Fazenda Urbana.

"A parceria com a Mercedes-Benz é muito importante para aumentar a contribuição ambiental que nós, da BeGreen, queremos proporcionar para a população. Levar alimentação saudável para mais de 10.000 pessoas, dentro dessa fábrica, e também para seus familiares e comunidade é uma oportunidade de multiplicar o nosso propósito e é, sem dúvida, um marco na história da indústria brasileira", afirma Giuliano Bittencourt, CEO da BeGreen.

Com um cultivo totalmente livre de agrotóxicos, a Fazenda Urbana garante uma alimentação mais saudável, saborosa e nutritiva aos colaboradores, trazendo uma maior diversidade de produtos nas refeições.

Entre as verduras cultivadas estão alface baby (verde e roxa) com sementes importadas da Holanda, rúcula, espinafre, agrião e chicória. Os temperos são salsinha, hortelã, cebolinha, coentro, manjericão e sálvia. Em uma segunda etapa serão produzidos legumes como tomate e berinjela.

Hortaliças podem ser adquiridas pelos colaboradores e abastecer ONGs



Os benefícios do consumo de produtos frescos e saudáveis cultivados na Fazenda Urbana não estão restritos apenas aos colaboradores da Mercedes-Benz do Brasil. Com capacidade para produzir 2.680 quilos de hortaliças – ou 44 mil pés de verduras, ervas e temperos por mês –, a estufa tem a maior parte da colheita destinada aos restaurantes da fábrica de São Bernardo do Campo, mas uma parcela é reservada para os colaboradores que compram os alimentos e levam para casa para preparar nas refeições com a família.

Os interessados podem fazer uma assinatura mensal pelo site da BeGreen e garantem uma cesta de alimentos semanalmente. Além disso, eles podem aprender a plantar verduras orgânicas, multiplicando assim o conceito da alimentação saudável.

As ONGs parceiras da Empresa também são beneficiadas pelo projeto. De acordo com o volume, as verduras podem ser doadas para instituições como a “Hamburgada do Bem” e a Instituição Assistencial Meimei – IAM, que atendem crianças e adolescentes carentes.

Métodos inovadores de cultivo



A combinação das técnicas de aquaponia e aeroponia com o uso de tecnologias como a luz de LED e software de gestão garante a produção em larga escala em um curto espaço de tempo. A aquaponia integra a criação de peixes com a produção de plantas, adotando a água como meio comum. Os peixes ficam em um tanque e são alimentados com ração orgânica, e uma bomba transfere a água do tanque, já rica em nutrientes, até o sistema de hidroponia, em que são cultivadas as hortaliças. A água é então purificada pelas plantas e por meio da mesma bomba é devolvida ao tanque dos peixes, fechando o ciclo. As vantagens da aquaponia são o baixo consumo de energia elétrica e a economia de 90% de água em relação à agricultura convencional. O método de cultivo também dispensa o uso de fertilizantes e pesticidas químicos.

Pela primeira vez na América Latina, a aeroponia é implementada dentro de uma fábrica, confirmando o pioneirismo da Mercedes-Benz. O sistema, desenvolvido em parceria o SENAI CIMATEC da Bahia, o Sebrae e a Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii) e a BeGreen, segue o mesmo princípio da aquaponia, com a diferença de que as raízes das hortaliças ficam suspensas no ar. Nesse método, a água que provém dos peixes chega às plantas após um processo de nebulização, umedecendo as raízes com uma névoa repleta de nutrientes.

A tecnologia fecha esse ciclo virtuoso ao auxiliar o crescimento saudável das hortaliças e possibilitar o cultivo em larga escala. Com a ajuda de um sistema modular para suporte à iluminação LED é possível compensar a falta de luz à noite, por exemplo, além de utilizar a luz apenas em algumas fases do crescimento das plantas e direcionar as ondas para “programar” o cultivo.

Fazenda Urbana 4.0

Trazendo os conceitos da Indústria 4.0 para a Fazenda Urbana, um software desenvolvido exclusivamente para o projeto faz o monitoramento, a operação e a gestão de todos os processos. A tecnologia permite controlar a temperatura, a luminosidade, a umidade, a condutividade e o PH da água. O sistema é online e possibilita o acompanhamento em tempo real de qualquer dispositivo conectado à internet.

Uma série de experimentos técnico-científicos foram conduzidos no laboratório de testes montado e equipado no SENAI CIMATEC pela equipe técnica do projeto. Os resultados obtidos com a utilização do sistema de iluminação LED proposto foram promissores, chegando a reduzir o ciclo de cultivo da alface em até 40% em relação ao cultivo convencional. Ao fim do projeto foi possível definir combinações de iluminação LED ideais para o cultivo de alface e tomate, cuja eficiência foi comprovada em testes laboratoriais. Além disso, o sistema aeropônico desenvolvido e o nível de maturidade alcançados no projeto fazem dele a primeira iniciativa nacional com potencial real de produção comercial em larga escala em um curto espaço de tempo.

“Ao promover a alimentação saudável na Empresa e mostrar processos sustentáveis de plantio com a Fazenda Urbana, a Mercedes-Benz incentiva as pessoas à mudança de hábitos que vão ao encontro de uma melhor qualidade de vida”, conclui Carlos Santiago, vice-presidente de Operações da Mercedes-Benz do Brasil.

Presente no País há mais de 60 anos, a Mercedes-Benz do Brasil, empresa do Grupo Daimler, é a maior fabricante e exportadora de caminhões e ônibus da América Latina e líder em tecnologia de veículos para transporte de cargas e de passageiros. Atualmente, a Companhia é a única a produzir todos os segmentos de veículos na América Latina: automóveis, comerciais leves (Sprinter), caminhões e chassis de ônibus. A Empresa, que emprega cerca de 10 mil colaboradores no Brasil, tem unidades de produção de caminhões, de chassis de ônibus e de agregados em São Bernardo do Campo (SP), de cabinas e de caminhões em Juiz de Fora (MG), e de automóveis em Iracemápolis (SP), além da unidade de Peças e Serviços ao Cliente, Central de Logística de Peças e Global Training em Campinas (SP).

Mercedes-Benz do Brasil

Leia> O Brasil Sobre Rodas

sábado, 15 de fevereiro de 2020

CASA FIAT DE CULTURA ANUNCIA BOTTICELLI NO BRASIL

Conjunto de obras do mestre italiano desembarca pela primeira vez no país



Em 2006, ao completar três décadas no Brasil, a Fiat deu um grande presente aos brasileiros: em fevereiro daquele ano, nascia a Casa Fiat de Cultura, que, desde então, abrigou 55 exposições de porte nacional e internacional, estimulou a renovação das produções artísticas e revolucionou os mecanismos de formação de público. Em 2020, no mês de seu 14º aniversário, a Casa Fiat anuncia outra dádiva aos amantes da arte: o espaço cultural trará, pela primeira vez no Brasil, uma exposição sobre Sandro Botticelli (1445–1510). Com 21 trabalhos do mestre italiano e de seus contemporâneos, a mostra “Botticelli e seu tempo na Casa Fiat de Cultura” aporta em Belo Horizonte (MG) no dia 5 de maio.

Com curadoria do historiador italiano Alessandro Cecchi, um dos mais importantes estudiosos de Botticelli no mundo, a mostra apresentará ao público brasileiro o esplendor da Florença renascentista, que abrigava as grandes “botteghe” (estúdios) dos mais importantes artistas da Europa. A exposição conta com acervos de 11 museus – dentre eles, a Galleria degli Uffizi – e coleções particulares, vindas de cinco cidades italianas: Veneza, Turim, Florença, Milão e Montelupo Fiorentino. A exposição “Botticelli e seu tempo na Casa Fiat de Cultura” pode ser vista em Belo Horizonte (MG) de 5 de maio a 12 de julho de 2020. Toda a programação é gratuita.

Para Fernão Silveira, presidente da Casa Fiat de Cultura, a mostra de Botticelli revela que a instituição, em seus 14 anos de trajetória, permanece imbuída de seu grande objetivo: aproximar as pessoas de nomes consagrados da história da arte, e, ao mesmo tempo, estimular novas discussões, ampliar acesso à cultura e contribuir com a formação de público. “Além das grandes mostras internacionais, buscamos investir em exposições autorais e inovadoras, ligadas à cultura brasileira e à arte contemporânea”, comenta, ao destacar, ainda, o grande cuidado da Casa Fiat de Cultura em elaborar estratégias e conceitos de programação calcados em conteúdos com vasta relevância cultural.

A exposição “Botticelli e seu tempo” é uma realização da Casa Fiat de Cultura, da Secretaria Especial da Cultura e do Ministério da Cidadania, com apoio institucional da Embaixada da Itália no Brasil, do Consulado da Itália em Belo Horizonte, do Circuito Liberdade, do Instituto Estadual do Patrimônio Histórico (Iepha) e do Governo de Minas Gerais. O patrocínio é da Fiat, do Banco Fidis e do Banco Safra, com produção executiva da MetaMorfosis, na Itália e Base 7, no Brasil.

Botticelli no Brasil

Se existe um artista que soube interpretar as profundas mudanças sociais, políticas, culturais e artísticas ocorridas na Itália, na segunda metade do século 15, esse foi, certamente, Alessandro di Filipepi, dito Sandro Botticelli. Pintor favorito de uma das mais importantes cortes italianas daquele período, Botticelli era a referência artística de Lorenzo de Médici, o Magnífico. E foi durante o domínio dos Médicis que o artista realizou a maior parte de suas obras-primas, muitas delas presentes na exposição “Botticelli e seu tempo na Casa Fiat de Cultura”. Por meio de seleção de 21 obras de Botticelli e de seus mestres – como Antonio del Pollaiolo, Andrea del Verrocchio e Filippo Lippi, além de um de seus seguidores, Fillipino Lippi –, a mostra, que apresenta a fase de formação e as profundas mudanças estilísticas na obra do pintor, do século 15 e início do século 16, será dividida em três núcleos: “O primeiro mestre e o início em Florença”; “Entre o ‘Sacro e o Profano’, um intérprete de seu tempo”; e “Crise espiritual e artística”.

Casa Fiat de Cultura: primeiro espaço cultural criado e mantido por empresa de automóveis no Brasil

Em fevereiro de 2006, era criado o primeiro espaço cultural de uma empresa de automóveis no Brasil. A chegada da Casa Fiat de Cultura a Belo Horizonte (MG) revelou-se um marco não apenas para a cidade, mas também para o cenário artístico-cultural do país. Naquele ano, a Fiat completava 30 anos em território brasileiro, e, como presente à população, dedicava-se à fundação de uma “casa brasileira e italiana”, que viria a se consolidar como uma referência na produção cultural fora do eixo Rio-São Paulo, com grandes exposições de padrão internacional. Há 14 anos, a Casa Fiat de Cultura cumpre importante papel na transformação do cenário cultural mineiro e brasileiro, ao apresentar, em Belo Horizonte, algumas das mais relevantes e prestigiadas exposições já realizadas no Brasil.

Reconhecida pela produção de grandes exposições de arte, com alto valor histórico, artístico e educativo, a Casa Fiat de Cultura se consolidou como um dos principais centros culturais do Brasil, inserindo Minas Gerais no roteiro das artes do país. Desde sua criação, a Casa Fiat de Cultura realizou 55 exposições nacionais e internacionais, por meio das quais apresentou mais de 2 mil obras, apreciadas por 2,7 milhões de visitantes, com 550 mil pessoas participantes de suas atividades educativas, além de 13 itinerâncias, que contemplaram cidades como São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Brasília e Buenos Aires.

Nestes 14 anos de atuação, foram realizadas as mostras Arte Italiana do Masp (2006); Speed – A Arte da Velocidade (2007); Amilcar de Castro (2008); Com que roupa eu vou (2008); A Arte dos Mapas (2008); Olhar Viajante (2008); O mundo mágico de Marc Chagall – O sonho e a vida (2009); Rodin, do Ateliê ao Museu (2009); Guignard e o Oriente: China, Japão e Minas (2010); Olhar e Ser Visto (2011); Tarsila e o Brasil dos Modernistas (2011); Roma – A Vida e os Imperadores (2011); De Chirico: O Sentimento da Arquitetura (2012); Caravaggio e seus seguidores (2012); Barroco Itália Brasil – Prata e Ouro (2014); Recosturando Portinari (2014); Quase Poema – Cartas e Outras Escrituras Drummondianas (2014); Fernando Pacheco – Atelier em Movimento (2015); Uma Certa Itália – 15 Artistas do Piemonte (2015); Re-Conhecimento – A Gravura Norueguesa Contemporânea (2015); Umberto Nigi – Cores Cidadãs do Mundo (2015); Formas do Moderno (2016); Yara Tupynambá – Pintando a Natureza (2016); Almanaque – Pinturas de Miguel Gontijo (2016); Ensaios Visuais do Piemonte (2016); Do Outro Lado do Desenho – Leo Santana (2016); Renascimento Gráfico (2016); Pequenos Formatos, Pequenos Gestos (2016); Prazer e Morte – A Escultura Atemporal de Marco Aurélio R. Guimarães (2017); Ritratti di Commercianti (2017); Transformar, deformar, dissipar (2017); Nem tudo tem que ser pra sempre (2017); Sylvio Coutinho mostra Belo Horizonte (2017); Hanami/Mbotyra epiak: um olhar sobre flores (2017); O Tempo dos Sonhos – Arte Aborígene Contemporânea da Austrália (2017); O Corpo da Matéria. A Matéria do Corpo. – Paolo Grassino e Luigi Mainolfi (2017); Fuga - Ana Amélia Diniz Camargos (2017); Contaminações Pictóricas (2017/2018); Refúgio Poético (2018); Construções Afetivas – Nello Nuno e Eliana Rangel (2018); Linguagens Híbridas – Bienal de Arte Digital (2018); Por trás do tapume (2018); Inarredáveis! Mulheres Quadrinistas (2018); Cidades e outras passagens (2018); Estar no mundo, sem ser o mundo (2018); São Francisco na arte de mestres italianos (2018); O que escondo só a mim basta (2018); Ellora (2018/19); Pulsa (2019); Olhares Cruzados: Brasil Canadá (2019); Silêncios Seletivos (2019); Tudo é eco no universo (2019); Os Gigantes da Montanha - Grupo Galpão: do teatro ao quadrinhos (2019); Beleza em Movimento – Ícones do Design Italiano  (2019) e Percorsi Italiani: 120 anos de História (2019).

Sua contribuição à renovação da produção artística e à formação de público se estende por meio de uma programação diversificada de música, literatura, ciclo de palestras e um Programa Educativo que propõe conceitos e reflexões no diálogo com o público em visitas mediadas e nas práticas promovidas no Ateliê Aberto, um espaço de experimentação artística livre. Por meio de seu núcleo de acessibilidade, dedicado às pessoas com necessidades especiais, oferece atendimento em libras e audiodescrição, materiais em braile, peças em 3D para apreciação tátil e exercícios sensoriais. 

A Casa Fiat de Cultura integra um dos mais expressivos corredores culturais do país, o Circuito Liberdade, em Belo Horizonte. Em sua sede no histórico edifício do Palácio dos Despachos apresenta, em caráter permanente, o simbólico painel de Portinari, Civilização Mineira, de 1959.

Casa Fiat de Cultura em 14 anos

o  2,7 milhões de visitantes

o  550 mil jovens e crianças atendidos pelo programa educativo

o  55 exposições

o  Mais de 2 mil obras de arte

o  60 curadores internacionais e nacionais

o  Renascimento, Barroco, Surrealismo, Futurismo, Modernismo, Concretismo, Arte Contemporânea e Arte Digital são alguns dos movimentos abordados nas mostras

o  Mais de 100 instituições parceiras em todo o mundo

o  13 itinerâncias realizadas, promovendo a circulação dos acervos e o acesso às exposições em São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Brasília e Buenos Aires

o  1 Festival na Itália. Festival Itália-Brasil, realizado entre 2011 e 2013, com a participação de artistas como Nelson Freire, Grupo Uakti, Irmãos Campana, Nicolas Krassik, Grupo Galpão, Toquinho, Yamandu Costa, o artista plástico Vik Muniz, o violoncelista Antonio Meneses e a pianista Maria João, o pianista Eduardo Monteiro, o cravista Bruno Procópio, o barítono Paulo Szot e a exposição sobre o arquiteto Paulo Mendes da Rocha, a cravista Elisa Freixo e o artista plástico Ernesto Neto.

o  5 prêmios de Comunicação e Desenvolvimento Cultural

o  16 catálogos publicados

o  1 residência artística em Arte Digital

o  20 novos artistas contemplados na seleção da Piccola Galleria

o  Maior quadro de Portinari em Minas Gerais, a obra “Civilização Mineira”, de 1959, integra o acervo fixo da Casa Fiat de Cultura

o  5 presépios colaborativos com a participação do público

o  Mais de 200 empregos diretos e indiretos a cada exposição

Retrospectiva: TOP 14

2006 – Nos 30 anos de Fiat no Brasil, é criado o primeiro espaço cultural de uma empresa de automóveis no Brasil, a Casa Fiat de Cultura. Um presente aos brasileiros. A primeira exposição foi “Arte italiana do Masp na Casa Fiat de Cultura”, que levou 40 mil visitantes ao Belvedere, antiga sede do espaço cultural.

2007 – A exposição Speed - A arte da velocidade na Casa Fiat de Cultura inicia as comemorações do centenário do Manifesto Futurista.

2008 – Casa Fiat de Cultura realiza a maior retrospectiva do artista Amilcar de Castro no Brasil.

2009 – No ano da França no Brasil, a Casa Fiat realiza duas grandes mostras internacionais: Marc Chagall e Rodin. Pela primeira vez, a monumental escultura Les trois ombres [As três sombras], de Rodin, foi retirada do jardim do Musée Rodin, na França, onde está instalada. As obras L’Éternel printemps [A eterna primavera] e a escultura Les bénédictions [As bênçãos], algumas suas mais bonitas peças em mármore, realizadas entre 1896 e 1911, também nunca haviam saído do museu francês.

2010 – A Casa Fiat de Cultura realiza a exposição “Guignard e o Oriente: China, Japão e Minas”, em parceria com o Instituto Tomie Ohtake (São Paulo) e a Fundação Iberê Camargo (Porto Alegre). A mostra buscou traçar relações entre a arte oriental e o artista fluminense, radicado em terras mineiras nas duas últimas décadas de vida.

2011 – É realizado o primeiro Festival Itália-Brasil, numa parceria da Casa Fiat de Cultura com a Embaixada da Itália em Roma. Nomes como Nelson Freire, Vik Muniz, Irmãos Campana, Grupo Galpão e Toquinho participaram do Festival.

2012 – Pela primeira vez, o Brasil recebe uma exposição de Caravaggio. Destaque para Medusa Murtola que saiu pela primeira vez da Itália e causou comoção em todo o país. A exposição integrou a programação do Momento Itália-Brasil.

2013 – Casa Fiat de Cultura inicia o restauro de sua nova sede, no antigo prédio do Palácio dos Despachos – edifício tombado pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (IEPHA) – constituindo-se como um dos principais pilares do Circuito Liberdade. O restauro do quadro “Civilização Mineira”, de 1957, de Candido Portinari, instalado no hall da Casa Fiat de Cultura, possibilita sua exibição em acervo permanente. A obra é o maior quadro de Portinari em Minas Gerais, e retrata a mudança da capital mineira – de Ouro Preto a Belo Horizonte –, em 1897. Registra, ainda, a Inconfidência Mineira, de 1789, como marco para o Estado.

2014 – Em junho, mês da abertura da Copa do Mundo no Brasil, a Casa Fiat de Cultura inaugura sua nova sede no Circuito Cultural da Praça da Liberdade. O histórico prédio do Palácio dos Despachos, totalmente revitalizado dentro das normas museológicas internacionais, é aberto com a exposição “Barroco Itália- Brasil”, com obras suntuosas dos Tesouros de San Genaro, em diálogo com obras raras do Barroco brasileiro, de Aleijadinho, Mestre Valentim, Mestre Piranga e Alfredo Ceschiatti, entre outros.

2015 – A Casa Fiat de Cultura resgata uma tradição e lança a primeira edição do seu Presépio Colaborativo, todo criado com materiais reutilizáveis, e feito de forma colaborativa, com o público. 

2016 – É criada a Piccola Galleria, novo espaço expositivo, com o objetivo de apoiar e promover novos artistas. A cada ano, abre-se processo de seleção para escolha dos projetos.

2017 – Lançamento das peças multissensoriais do painel de Portinari, que fica em exposição permanente na Casa Fiat de Cultura. Novos recursos de acessibilidade e mediação para pessoas com deficiência visual ampliam o acesso à obra, que conta com ficha técnica em braile.

2018 – Obras de mestres italianos, como Tiziano, Perugino e Guido Reni que retrataram São Francisco de Assis aportam em Belo Horizonte, Rio de Janeiro e São Paulo. A exposição na Casa Fiat de Cultura é destacada entre as 100 mostras mais visitadas no mundo, na categoria Old Masters, segundo a revista Inglesa The Art Newspaper.

2019 – Inédita, a mostra “Beleza em Movimento – Ícones do Design Italiano” reúne várias linguagens e impressionante acervo, composto por mais de cem peças, entre obras de arte, automóveis históricos, objetos, miniaturas e instalações multimídia. Pela primeira vez uma exposição da Casa Fiat de Cultura ocupa todas as galerias do espaço.

2020 – Casa Fiat de Cultura traz, ao Brasil, pela primeira vez, uma exposição sobre Botticelli, um dos maiores pintores do Renascimento Italiano.


Personal Press
Polliane Eliziário
polliane.eliziario@personalpress.jor.br 
(31) 997-883-029

Leia> O Brasil Sobre Rodas

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2020

SESC SÃO CAETANO: ESPETÁCULO “SENTIMENTAL” FAZ PÚBLICO SE DIVERTIR COM UNIVERSO BREGA


Projeto Cena Aberta apresenta espetáculos em diversas linguagens artísticas


Aproveitando o clima do Carnaval de diversão e alegria, o Sesc São Caetano apresenta o espetáculo “Sentimental”, com a Cia. Frente Inflamável de Cena, que aborda o universo do brega e sua relação com histórias de amor. As apresentações acontecem dias 21 e 28 de fevereiro, às 20h. Os ingressos podem ser adquiridos na rede Sesc.

Com proposta inusitada e divertida, “Sentimental” proporciona ao público viver a “sofrência” de diversas histórias de amor, por meio de interações, como cantar no karaokê, mandar recadinhos de amor para outras pessoas da plateia ou dançar músicas populares românticas tocadas por uma banda ao vivo.

Pensado como um espetáculo-baile, a peça  traz para a cena narrativas sobre o universo romântico, erótico e afetivo de São Paulo. Os cinco atuantes possuem cinco histórias e as contam ao público através de um sorteio, que define qual história será contada e em qual ordem.

Criada em 2016, a Frente Inflamável de Cena tem como pesquisa artística a relação entre o teatro e os fenômenos populares da cultura de massa, como o funk e o brega.

Serviço
Sesc São Caetano
Dia 21 e 28 de Fevereiro
Rua Piauí, 554
Santa Paula – São Caetano do Sul
Duração: 90 minutos
Recomendação etária: Não recomendado a menores de 14 anos
Ingressos: R$ 30,00 / R$ 15,00 / R$ 9,00
Capacidade: 50 pessoas
Telefone para informações: (11) 4223-8800
Para informações sobre outras programações acesse o portal sescsp.org.br
Horário de atendimento/bilheteria do Sesc São Caetano
De segunda a sexta, 11h às 20h
Sábados e feriados, das 9h às 17h30

Sesc São Caetano
Assessoria de Imprensa

Leia> O Brasil Sobre Rodas

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2020

ITAJAÍ SAILING TEAM GARANTE SEGUNDA POSIÇÃO NO 31º CIRCUITO OCEÂNICO DA ILHA DE SANTA CATARINA


O Itajaí Sailing Team venceu neste domingo (9) a sexta e última regata do 31º Circuito Oceânico da Ilha de Santa Catarina e garantiu a segunda classificação na Categoria IRC A, repetindo os resultados da edição passada desse circuito. A competição contou com uma regata longa de 42 milhas náuticas, cerca de 67 quilômetros, na costa norte da ilha, mais cinco regatas entre boias [barla-sota], nas raias da sede oceânica do Iate Clube de Santa Catarina, em Jurerê, Florianópolis.

"Podemos seguramente dizer que foi um bom resultado, principalmente pelo alto nível técnico dos competidores", diz o comandante e manager do IST, Alexandre Santos. As condições climáticas também não ajudaram muito. Os competidores enfrentaram tormentas na regata longa [na quinta-feira] e tempo fechado na sexta-feira. O sol apareceu apenas no sábado e veio acompanhado do típico vento nordeste, entre 12 e 16 nós, para a alegria dos velejadores. No domingo enfrentaram vento sul de 12 a 20 nós e muita chuva.

O evento abriu o calendário de vela do Iate Clube de Santa Catarina, válido para a Copa Brasil de Vela de Oceano, é considerado a principal competição de vela oceânica do estado. Está ainda entre as três maiores semanas de vela do país, ao lado de Búzios e Ilhabela. "Esse resultado mostra o bom entrosamento da nossa tripulação e as excelentes condições técnicas de nosso veleiro", acrescenta Santos.

O projeto Itajaí Sailing Team tem o patrocínio da APM Terminals Itajaí, Portonave, Conexão Marítima, Multilog, Platinum Log, Braskarne Terminal, Brasfrigo e o apoio da Molim, B&G Sailing Eletronics e Marina Itajaí.

Foto: Fabiano Benedetti

BT Editora

Leia> O Brasil Sobre Rodas

sábado, 8 de fevereiro de 2020

FISHING 350 RAPTOR É NOVIDADE NO MERCADO NÁUTICO

O estaleiro brasileiro Fishing Raptor caminha em ritmo acelerado em produção e vendas, com expectativa em torno de 20% de crescimento para este ano. Sucesso no país e no mercado internacional pela qualidade construtiva, a fábrica acaba de concluir mais um modelo em seu portfólio: a primeira unidade da Fishing 350 Raptor, que foi recentemente entregue a cliente brasileiro. O produto também será comercializado em mercados internacionais como países da América do Sul, América do Norte, Europa e Sudeste Asiático.

A Fishing 350 Raptor tem capacidade para 12 pessoas e motorização de 2 x 170hp a 2 x 250hp, conforme escolha do cliente.

“Após dois anos de estudo, decidimos apresentar o projeto a alguns clientes e o resultado e aceitação superaram as expectativas, com venda efetivada e negociações em andamento. Isso, graças ao renome mundial e à qualidade máxima que implementamos em todos produtos Fishing Raptor”, conta o diretor da marca Fernando Assinato.

O modelo é o primeiro da linha Raptor, direcionado ao lazer e passeios a longa distâncias pela alta resistência do casco, o qual tem projeto assinado por reconhecidos engenheiros norte-americanos. Entretanto, a lancha de 35 pés não perde a essência da linha Fishing para a prática de esportes náuticos como é o caso do mergulho e da pesca. Também é equipada com armários estrategicamente posicionados para guarda de equipamentos de pesca e esportivos.

Com cerca de 10,5 metros de comprimento e uma largura (boca) de mais de três metros, garante estabilidade e navegação suave e confortável. Seu cockpit é espaçoso e facilita a circulação e a convivência a bordo. A central de comando conta com moderno painel de instrumentos de navegação protegida por teto solar. Solário na proa, poltrona e bancos rebatíveis, mesa em “teka” e espaços para relaxamento e banhos de sol e de mar compõem a agradável área externa. 

O interior também traz o DNA da Fishing Raptor de qualidade em seu projeto arquitetônico. Área de refeições, espaçosa cabine com cama na meia-nau, cozinha, mesa, sofá e banheiro compõem a sua estrutura.

"Tanto a linha de embarcações Fishing quanto a nova linha Raptor são ideais para pessoas com perfil aventureiro e esportivo, que curtem uma navegação ao estilo "off road", explorar novos destinos e com total privacidade e conforto junto aos familiares e amigos. Tratam-se de embarcações de excelente desempenho, segurança e resistência e que seguem as mais rigorosas normas marítimas. Pelo interesse já demonstrado por nossos clientes e pela alta qualidade em todos os processos, a nova Fishing 350 Raptor será mais um produto que encantará o mercado nacional e internacional. Por isso, temos ótimas expectativas", complementa Fernando Assinato.

Com sede em São José (SC), a Fishing Raptor é o principal fabricante de lanchas de lazer e esportes náuticos do país. Possui em seu portfólio modelos de 21 a 42 pés. Cada embarcação atende ao mais rigoroso controle de qualidade para seguir as normas internacionais marítimas e de segurança.

Fishing Raptor
Rotas Comunicação

Leia> O Brasil Sobre Rodas 

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2020

MÚSICA E TEATRO FAZEM PARTE DA PROGRAMAÇÃO DO PROJETO “ESPETÁCULOS PARA FAMÍLIA” NO SESC SÃO CAETANO


Companhias de teatro e grupo musical divertem toda família aos sábados de fevereiro


Música e Teatro são as atividades oferecidas pelo Sesc São Caetano nos sábados de fevereiro a partir das 16h, as atrações fazem parte do projeto “Espetáculos para Família” com programação que vem despertando grande interesse nas famílias pela diversidade das companhias envolvidas, esse mês serão três CIAs diferentes que garantirão a diversão e entretenimento as famílias presentes.

Os espetáculos são abertos ao público geral sem restrição etária, mas para não ficar de fora é importante adquirir o ingresso na rede Sesc.

Dia 8 de fevereiro a companhia “Núcleo Caboclinhas” apresenta a adaptação da obra de Ana Maria Machado, que aborda os questionamentos de uma menina do interior, no espetáculo infantil “Bem do seu Tamanho”, conta a história de Helena, pequena demais para escutar a conversa de um adulto ou bem grandinha para voltar para casa com a roupa toda suja. Qual seria, afinal, o verdadeiro tamanho de Helena?

No espetáculo “A Vida Secreta das Fraldas  – Um tributo à Maternidade” com Andi Rubinstein, que se apresenta dia 15 de fevereiro, encena uma mulher sozinha no palco que se depara com sua tarefa diária de arrumar, lavar e passar. Ao entregar-se a esta tarefa de corpo e alma, sai por alguns minutos do mundo real e cria um mundo imaginário onde os panos se transformam em seres que contam a sua própria história. Toda a ação se passa dentro de uma lavanderia e nos transporta para o universo mágico da possibilidade da transformação.

E para quem gosta de pular até suar, não pode perder o espetáculo musical “Pula, Estica” com o grupo Baleia Banguela, que no dia 29 de fevereiro, trarão releituras que abrangem diferentes décadas, artistas e ritmos. Em um show para se assistir preferencialmente de pé, puxando toda família para dançar.

Serviço
Sesc São Caetano
Rua Piauí, 554
Santa Paula – São Caetano do Sul
Dias: 8, 15 e 22 de fevereiro
Horário: a partir das 16h
Recomendação etária: Livre
Ingressos:  R$ 20,00. R$ 10,00. R$ 6,00 .
Telefone para informações: (11) 4223-8800
Para informações sobre outras programações, acesse: sescsp.org.br/saocaetano
Horário de atendimento/bilheteria do Sesc São Caetano
De segunda a sexta, 9h às 21h30, sábados e feriados, das 9h às 17h30

Sesc São Caetano
Assessoria de Imprensa

Leia> O Brasil Sobre Rodas 

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2020

AEA ABRE INSCRIÇÕES AO 14º PRÊMIO AEA DE MEIO AMBIENTE


A AEA - Associação Brasileira de Engenharia Automotiva abre as inscrições de trabalhos para a 14ª edição do Prêmio AEA de Meio Ambiente, nas categorias Tecnologia, Responsabilidade Social, Responsabilidade Ambiental e Jornalística. Os interessados têm até o dia 6 de abril de 2020 para submeter suas propostas por meio do site da entidade www.aea.org.br.

O Prêmio AEA de Meio Ambiente é uma iniciativa que tem por objetivo distinguir e homenagear empresas e profissionais que se destacaram por meio de desenvolvimento de projetos de tecnologias, responsabilidades social e ambiental e reportagens, que beneficiaram o meio ambiente com resultado significativo quanto à qualidade de vida.

Na categoria Jornalística serão avaliados os trabalhos que demonstraram a evolução e o comprometimento das melhorias implementadas no setor automotivo, que beneficiaram ou beneficiarão ao meio ambiente.

Os três melhores trabalhos de cada categoria, eleitos pela comissão julgadora, serão premiados, sendo que o melhor de cada categoria receberá o troféu "Prêmio AEA de Meio Ambiente" e os outros dois indicados receberão "Menção Honrosa", com uma placa de reconhecimento ao mérito pela sua importância.

Inscrições e mais informações no www.aea.org.br

AEA


Associação Brasileira de Engenharia Automotiva é uma entidade sem fins lucrativos que tem como objetivo ser um fórum neutro de discussão sobre questões estratégicas relativas à engenharia automotiva nacional com envolvimento direto da indústria automotiva, de órgãos governamentais, instituições de ensino e de pesquisa, entidades internacionais e a sociedade em geral.

A entidade conta com um sólido histórico de mais de 30 anos de grandes contribuições para o desenvolvimento da engenharia automotiva e das políticas públicas do setor, com a ação sustentada em pilares como conhecimento científico, tecnologia, competitividade, qualidade, autonomia e sustentabilidade.

Única associação 100% nacional no segmento, hoje a AEA está consolidada no setor automotivo como um centro catalisador de soluções. Atualmente, a entidade conta com mais de 70 empresas associadas, provenientes de diversos segmentos do setor automotivo que participam ativamente de comissões técnicas, grupos de trabalho, workshops, eventos, cursos e projetos voltados para o desenvolvimento da engenharia automotiva nacional.

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2020

HONDA ENERGY INICIA AS OBRAS DE EXPANSÃO EM SEU PARQUE EÓLICO


A Honda Energy, subsidiária da Honda Automóveis do Brasil, avança em seu compromisso ambiental e inicia as obras para a expansão do parque eólico da marca, localizado na cidade de Xangri-Lá, Rio Grande do Sul.

Com a construção de mais uma torre, ampliando para dez o número de aerogeradores, a Honda Energy passa a suprir a demanda energética de sua segunda fábrica de automóveis, em Itirapina (SP), assegurando que a produção da marca no Brasil seja suprida, em sua totalidade, com energia limpa e renovável.

A previsão é que as obras de construção civil e a instalação do aerogerador, fabricado pela Vestas, sejam concluídas no segundo semestre de 2020. Com uma potência de geração cerca de 23% superior, o novo aerogerador (modelo V136 -- 3,8 MW) é mais alto e possui um maior diâmetro das pás, se comparado aos modelos atuais, com longitude de 68 metros. Em seu ponto mais alto, o conjunto alcançará 180 metros de altura.

Alinhado aos esforços para a concretização de uma sociedade livre de carbono, a Honda Energy alcançou, no último ano, o marco de 69 mil MWh de energia gerada. Em cinco anos desde sua inauguração, o projeto contabiliza mais de 366 mil MWh de energia limpa produzida, o que permitiu a produção sustentável de mais de 640 mil automóveis e evitou a emissão de 30 mil toneladas de CO2.

Honda Energy

Localizado na cidade de Xangri-Lá (RS), o parque eólico Honda Energy conta com nove aerogeradores, resultando em uma capacidade total de 27,7MW. Em uso pleno, o empreendimento alcança a geração de 85.000 MWh/ano.

Os equipamentos estão entre os maiores do Brasil. As torres têm 94 metros de altura e o ponto mais alto do conjunto alcança 150 metros. As 27 pás, por sua vez, possuem o comprimento de 55 metros e peso de 15 toneladas cada.

A energia proveniente da Honda Energy supre a demanda energética da unidade de Sumaré, no interior de São Paulo, onde estão localizados a fábrica de automóveis, o Centro de Pesquisa & Desenvolvimento de Automóveis e o escritório sede da marca. A estrutura atende ainda o escritório administrativo da empresa em São Paulo (SP).

SESC SÃO CAETANO TRAZ PEÇA TEATRAL "EX GORDO" E PROVOCA O PÚBLICO A REVER PADRÕES SOCIAIS


Projeto Cena Aberta apresenta espetáculos com diversas linguagens artísticas


Qual o verdadeiro sentido das artes, talvez provocar reflexões e despertar a consciência dos indivíduos? Por essa questão o Sesc São Caetano apresenta no dia 14 de Fevereiro, às 20h, a peça teatral "Ex -Gordo" do Núcleo de Pesquisa Caxote, que estimulará os espectadores a reverem processos e padrões sociais que afastam o ser humano do essencial ou genuíno. A apresentação faz parte do projeto Cena Aberta, com programação aberta à diversidade técnica e estética das linguagens artísticas. Com venda de ingressos pela rede Sesc , a peça tem classificação indicativa de 14 anos.

Com dramaturgia e direção de Fernando Aveiro,  Ex-Gordo conta o drama de um homem que passou recentemente por uma cirurgia bariátrica e vive solitário no 48 º andar de um edifício em uma metrópole e não mais se identifica com o próprio "eu" interior. Para conseguir se reintegrar à sociedade, ele contrata semanalmente um grupo de atores que devem encenar uma espécie de psicodrama com figuras excêntricas em referência ao seu passado. 

Serviço

Peça teatral "Ex -Gordo"
Sesc São Caetano
Dia 14 de Fevereiro
Rua Piauí, 554 
Santa Paula – São Caetano do Sul
Duração: 90 minutos
Recomendação etária: Não recomendado a menores de 14 anos
Ingressos: R$ 30,00 / R$ 15,00 / R$ 9,00
Capacidade: 50 pessoas
Telefone para informações: (11) 4223-8800
Para informações sobre outras programações acesse o portal sescsp.org.br
Horário de atendimento/bilheteria do Sesc São Caetano – De segunda a sexta, 11h às 20h, sábados e feriados, das 9h às 17h30

Próxima atração

Dias 21 e 28/2
Sentimental
Com Frente Inflamável de Cena
Espetáculo interativo que traz para a cena o ambiente de um baile. Ao som de músicas populares românticas tocadas por uma banda, o público é convidado a dançar, cantar, contar e ouvir histórias de amor.

Sesc São Caetano
Assessoria de Imprensa

Leia> O Brasil Sobre Rodas

CONSTRUÇÃO INDUSTRIALIZADA DE CONCRETO AGILIZA OBRAS EM RODOVIAS


O Brasil tem uma permanente necessidade de ampliar e manter em bom estado de conservação sua malha rodoviária. E o país, ao longo das últimas décadas, tem investido considerável soma de recursos nessa área. Segundo a ABCR - Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias -  desde 1995, as concessionárias destinaram cerca de R$ 97 bilhões para obras e serviços de melhoria da malha viária nacional.

Nesse sentido, vem ganhando espaço sistemas construtivos industrializados que possibilitam a execução de obras de maneira mais eficiente, com menos custo e concluídas em menor espaço de tempo com qualidade. Uma dessas soluções é o pré-fabricado de concreto, que vem se consolidando como a principal alternativa para a construção em viadutos, passarelas, pontes, praças e cabines de pedágios, barreiras de proteção,  muros de contensões,  galerias  e demais obras de arte de estradas e rodovias de todo o Brasil. Isso porque com esse sistema, é possível realizar duplicações sem interferência nas faixas existentes, respeitando o meio ambiente, além de proporcionar facilidade para a manutenção dessas construções.

De acordo com Íria Doniak, presidente executiva da Abcic - Associação Brasileira da Construção Industrializada de Concreto, o uso de pré-fabricado de concreto nesse tipo de aplicação tem se consolidado e ampliado, principalmente, pelo crescente uso e disseminação de soluções técnicas e inovações tecnológicas no segmento, como nas áreas de protensão, dos concretos de alto desempenho, dentre outros avanços. “Colabora também, uma maior disponibilidade de equipamentos de transporte e de içamento com elevada capacidade de carga”.

No estado de São Paulo, por exemplo, recentemente seis praças de pedágio das rodovias SP 255, SP 249 e SP 318 receberam estruturas pré-moldadas de concreto, entre pilares, com duto central para escoamento das águas pluviais, vigas, telhas, cabines dupla e simples e submarinos. O sistema construtivo também atendeu a construção de dezoito obras de artes especiais, (cinco pontes, seis viadutos, cinco passagens inferiores e dois muros de contensão) no prolongamento da Rodovia Carvalho Pinto (SP-070) até o município de Taubaté, no interior de São Paulo. 

Elementos estruturais pré-moldados de concreto  também foram usados  em dezoito  obras de artes especiais (pontes, viadutos de  passagens superiores e inferiores, galerias), nas implantações de vias marginais e alargamentos das expressas no trecho urbano da Rodovia Dom Pedro (SP-065), entre Km 131 e Km 145 e no prolongamento do Rodoanel (SP-083)  em Campinas/SP, entregues ao tráfego em dezembro do ano passado.  

Entre as vantagens e resultados obtidos com o uso do pré-fabricado nas rodovias SP-070,  SP-065 e SP-083 estão a redução de até 30% nos prazos contratuais,  diminuição de 60% no efetivo de mão de obra direta e indireta alocado aos canteiros de obras, menor interferência com transito, maior segurança para trabalhadores e usuários das rodovias, com melhor    qualidade e  menor custo.

A industrialização em concreto também vem sendo adotada para grandes complexos portuários, como foi o caso da construção de uma ponte ferroviária, uma ponte rodoviária e dois viadutos no Complexo Viário de Itaguaí (RJ). Esse projeto envolveu a fabricação de superestruturas, como por exemplo, as vigas do viaduto composto (pera), que foram concebidas inicialmente para ter quase 70t. Devido ao grande peso, para viabilizar a execução em pré-fabricado, houve a necessidade de realizar três vigas em uma: duas vigas com apoio (cabeça) e uma apenas com o corpo.

Na região Nordeste, um exemplo de aplicação de pré-fabricado foi a construção de duas unidades em passarelas que integram o VLT de Fortaleza-CE. A obra exigiu o desenvolvimento de fôrmas especiais para permitir dimensões esbeltas e mais leves, de maneira a atender as restrições de transporte e montagem no local.

Já na região Sul, a construção de um viaduto sobre a BR-277 na frente de uma unidade da Cooperativa Agroindustrial Agrária, próxima do município paranaense de Guarapuava, exigiu o uso de concreto com fck de 50 MPa na produção de peças, além do uso de concreto  auto-adensável com rígido controle de qualidade e protensão  controlada.

A Abcic – Associação Brasileira da Construção Industrializada de Concreto - foi fundada em 2001, com o objetivo de difundir e qualificar os pré-moldados de concreto destinados às estruturas, fachadas e fundações. Com mais de 100 associados, promove ações e iniciativas inéditas para desenvolvimento do setor, como por exemplo, o Selo de Excelência ABCIC, programa que atesta a conformidade aos padrões de tecnologia, qualidade, segurança, meio ambiente e desempenho das empresas do setor de pré-fabricados, o Prêmio Obra do Ano em Pré-Fabricado, que prestigia empresas e profissionais do setor, e o Anuário ABCIC, que traz informações mercadológicas, técnicas e políticas da industrialização na construção. Possui uma integração com prestigiadas entidades nacionais e internacionais, como é o caso da fib - Fédération Internationale du Béton, além de realizar cursos de capacitação profissional e de participar de importantes eventos no Brasil e no exterior.