quarta-feira, 26 de junho de 2019

PROJETO "MÚSICA NO JARDIM" RETORNA AO SESC SÃO CAETANO OFERECENDO MÚSICA INSTRUMENTAL


Em clima intimista, projeto tem foco em música instrumental com versões acústica


O Sesc São Caetano aproveita o canto dos pássaros e o clima aconchegante de seu jardim para receber no dia  6 de Julho a partir das 11h o projeto "Música no Jardim", em proposta de música instrumental e erudita apresentadas no formato acústico. Nesta edição quem se apresenta é  "Adelson Moreira Duo" que trará composições do seu EP Tributrio Jazz Brasil com standard de jazz, bossa nova, baião e MPB . A entrada é gratuita e aberta ao público geral.

O Duo traz a sonoridade purista do Jazz, Bossa Nova e a miscigenação da música brasileira no gênero instrumental. No repertório, uma mescla de músicas autorais e standards, com momentos de improvisação.

Guitarrista e compositor Adelson Moreira, trabalhou com variados artistas e gêneros musicais, e desenvolveu após anos de experiência seu projeto Instrumental, que se dedica atualmente à gravação, onde já lançou a primeira parte com o EP Tributrio Jazz Brasil.

Quem participa da apresentação do Duo é o parceiro e contrabaixista Aislã Sousa, natural de São Bernardo do Campo. Iniciou seus estudos passando pela Casa da Música de Diadema e com grandes Mestres como Yuri Popoff e Ricardo Marão. Trabalhou na TV Record e realizou turnês pela África e América do Sul.

Clique na telinha e assista o vídeo


Serviço
Sesc São Caetano
Rua Piauí, 554 
Santa Paula – São Caetano do Sul
Dia 6 de Julho
Horário: 11h
Duração: 60 minutos
Recomendação etária: Livre
Ingressos: Grátis
Telefone para informações: (11) 4223-8800
Para informações sobre outras programações acesse o portal sescsp.org.br
Horário de atendimento/bilheteria do Sesc São Caetano:
De segunda a sexta, 9h às 21h, sábados e feriados, das 9h às 17h30 .

SBCTRANS APRIMORA NÍVEL DE SEUS COLABORADORES COM TREINAMENTO: “O CLIENTE EM PRIMEIRO LUGAR”


A SBCTrans, empresa de transporte de passageiros de São Bernardo do Campo, promoveu um treinamento denominado “O Cliente em Primeiro Lugar”


Coordenado pela assistente, Ariana Gomes, o programa foi ministrado por Sandro Guarda, da empresa S&C Coach Consultoria, pós-graduado em gestão de pessoas. Setenta colaboradores de diferentes áreas estratégicas da empresa participaram e, ao final, definiram a ação como “Amor ao Relacionamento Profissional”.

Em sua palestra, Sandro Guarda realçou o valor do relacionamento interpessoal para atingir a satisfação plena dos clientes. Por intermédio da valorização do atendimento ao cliente, os colaboradores da SBCTrans puderam compreender a importância em aperfeiçoar a identificação de possíveis falhas e corrigi-las no menor tempo possível, especialmente em casos que ameaçam o conforto e segurança durante as viagens.

Para Sandro, o objetivo do treinamento é transmitir o sentimento de felicidade dos colaboradores na missão de agradar os clientes, o que resulta em crescimento mútuo. Para a SBCTrans, é mais uma ação para consolidar a posição conquistada recentemente como a melhor prestadora de serviços de transportes públicos de passageiros do Estado de São Paulo.

A SBCTrans, fundada em 1998 na cidade de São Bernardo do Campo, conta hoje com uma frota com mais de 400 veículos. Com pouco mais de 20 anos de atuação, foi considerada recentemente como a melhor empresa de transporte público do Estado de São Paulo e segue com a missão de oferecer proximidade, facilidade e qualidade nos serviços prestados ao cliente, visando enriquecer toda experiência e trabalho oferecido em ritmo elevado de inovação.

Foto: Jéssica Torres

CUMMINS BRASIL PROMOVE AÇÕES NO MÊS DO MEIO AMBIENTE


A Cummins Brasil promove uma série de ações em comemoração ao mês do Meio Ambiente. Neste ano, o Departamento de HSE (saúde, segurança e meio ambiente) realiza diversas atividades interativas voltadas à conscientização do desperdício de alimentos, resíduos, energia elétrica e água, com o engajamento dos colaboradores voluntários da companhia.

A economia circular foi temática dos eventos desenvolvidos para os colaboradores da unidade fabril, localizada em Guarulhos (SP). “Por meio de esquetes, intervenções e jogos com informações sobre o conceito do desenvolvimento sustentável, conseguimos atingir cerca de 700 pessoas dentro de nossas instalações”, diz Raquel Batistucci, técnica de Meio Ambiente da Cummins Brasil. 

A segunda semana foi marcada pela conscientização do desperdício de alimentos e gestão de energia. Entre as ações, a doação de 30 g de alimentos para cada bandeja devolvida sem sobras de comida nos pratos. No total da semana, a Cummins arrecadou 135 quilos que serão doados para a comunidade local. 

No que se refere à eficiência energética, o foco foi o compartilhamento dos resultados da ações promovidas pela empresa, entre elas, a conclusão de 100% da instalação de LED em toda a rede da fábrica prevista para o final deste ano, além da economia gerada com a substituição de equipamentos mais eficientes.

Nesta semana, além de receber o diretor global do Meio de Ambiente da Cummins Inc., Brian Mormino, a Cummins Brasil vai promover a conscientização do uso do plástico, com a divulgação de um vídeo produzido pelo Departamento de HSE em realidade virtual, incluindo dados informativos sobre a quantidade deste material descartado nos oceanos. Haverá ainda sorteio de brindes como canudos ecológicos. 

Treinamentos para emergências ambientais aos colaboradores concluem as ações do Mês de Ambiente para a companhia que ainda vai desafiar os seus estagiários a encontrarem oportunidades de melhoria dentro das instalações em Guarulhos (SP).

terça-feira, 25 de junho de 2019

COCA-COLA INAUGURA SUA MAIS MODERNA FÁBRICA DA AMÉRICA LATINA NO RIO DE JANEIRO


Unidade segue modelo da Indústria 4.0, aliando sustentabilidade, tecnologia e desenvolvimento econômico, um investimento de R$ 1,2 bilhão no Estado do Rio


A Coca-Cola Andina Brasil inaugurou nesta terça-feira (25) a mais moderna fábrica da marca na América Latina, em Duque de Caxias, Região Metropolitana do Rio de Janeiro. A unidade é um exemplo do conceito de Indústria 4.0, com monitoramento, geração de dados e automatização (100% dos equipamentos e processos digitalizados), aliando sustentabilidade, tecnologia e desenvolvimento econômico.

Executivos globais Executivos globais da companhia e autoridades participaram de uma cerimônia esta manhã na fábrica, no bairro da Taquara, em Duque de Caxias. Entre os presentes estavam o presidente mundial da The Coca-Cola Company, James Quincey, o presidente do Diretório da Coca-Cola Andina, Juan Claro González, e o vice-presidente executivo da Coca-Cola Andina, Miguel Ángel Peirano.

A fábrica faz parte de um investimento de R$ 1,2 bilhão no Estado do Rio, que inclui ainda construção de um Centro de Distribuição no Caju, na Zona Portuária do Rio, a modernização e ampliação de quatro outros Centros de Distribuição (Bangu, Nova Iguaçu, Campos e São Pedro da Aldeia), assim como adaptações e expansão da fábrica de Jacarepaguá. Ao todo, foram gerados 2.788 novos postos de trabalho.

“A inauguração da nova fábrica da Coca-Cola Andina é uma prova do compromisso da empresa com o Brasil e o Estado do Rio de Janeiro. É em Duque de Caxias que está instalada a mais inovadora unidade do grupo na América Latina. A instalação foi totalmente pensada e projetada para atender às necessidades mais específicas da operação, garantindo mais eficiência, segurança e qualidade para o consumidor. Essa fábrica será uma referência para a indústria de bebidas. Seguimos expandindo nossos negócios de forma sustentável, integrados ao meio ambiente e em sintonia com o desenvolvimento das pessoas e das comunidades em que estamos”, ressalta Renato Barbosa, presidente da Coca-Cola Andina Brasil.

Executivos e autoridades descerram placa celebrando inauguração da fábrica. 

Instalada em um terreno de 2,213 milhões de m², com área construída de 57 mil m², a fábrica tem capacidade para produzir 662 milhões de litros de bebidas, por ano. Estão sendo produzidos no local refrigerantes (Coca-Cola, Coca-Cola Sem Açúcar, Fanta Laranja, Fanta Uva, Fanta Guaraná) e água mineral com e sem gás, em diferentes tipos de embalagens. A nova unidade também permitirá à empresa duplicar sua produção em PET retornável.

"A inauguração desta fábrica inovadora é uma ótima notícia para a Coca-Cola Andina e o sistema Coca-Cola. Nossa estratégia está focada em atender às necessidades dos nossos clientes e consumidores locais. Com a nova unidade, Andina mais do que dobra sua capacidade de produção em garrafas retornáveis. Isso permitirá oferecermos embalagens sustentáveis e convenientes, contribuindo para o nosso compromisso de redução de resíduos. A nova fábrica ainda inclui um alto nível de tecnologia e usa energia limpa, além de contar com os mais altos padrões de qualidade. Parabenizamos a Coca-Cola Andina por este marco e agradecemos o investimento no futuro de nossos negócios”, afirma James Quincey, presidente da The Coca-Cola Company.

A unidade conta com monitoramento online dos dados operacionais, plataformas de Internet das Coisas (IoT), realidade aumentada, soluções de Inteligência Artificial e Big Data. De acordo com Renato Barbosa, o nível de automação e digitalização dos dados alcançados garantem mais agilidade, controle, segurança e eficiência. O modelo de produção é altamente seguro contra contaminações e acidentes, com linhas e fluxos independentes.

Alguns processos e equipamentos existentes na fábrica são únicos no Brasil


O uso de LGVs (Laser Guided Vehicle) para transporte de insumos e produtos, e não só para armazenamento e organização em pallets, dão mais agilidade e controle. Os equipamentos autônomos podem trabalhar 24 horas sem nenhum tipo de emissão de carbono e contam com inteligência artificial para gerenciamento de estoque.

Outro ineditismo é a utilização de linhas de produção com tecnologia triblock, ou seja, todo o processo, desde a fabricação da garrafa, sua etiquetagem, enchimento e colocação da tampa é feito numa mesma máquina. 

Todo o processo de produção é feito com uma economia de 20% em energia e de 30% em água em relação à média do sistema Coca-Cola no Brasil. A arquitetura inovadora da planta também merece destaque e é responsável por uma eficiência energética inédita. A fábrica foi projetada dentro dos critérios do Green Building Council, com itens estruturais como telhados com isolamento térmico, sistema de drenagem pluvial mais eficiente e 100% da iluminação em LED.

Indústria 4.0


Linha de produção: Unidade é exemplo do conceito de Indústria 4.0.

A sala de controle por videowall permite a visualização dos espaços e o acesso a dados e telas por todos os supervisores da planta, assim como o monitoramento dos processos em tempo real (manutenção industrial, propriedade e produção), gerando alerta de eventos não desejáveis, sejam eles relacionados à iluminação, ao ar-condicionado, à detecção de incêndio ou ao consumo de água e de energia.

Todos os processos (linhas, utilidades, preparação de bebidas e até mesmo sistemas terrestres, como ar-condicionado, iluminação e combate a incêndio) estão constantemente gerando informações que são armazenadas no banco de dados em volume nunca praticado nas plantas do Sistema Coca-Cola.

Esta rica informação é o fundamento de todas as tecnologias envolvidas com o conceito da indústria 4.0. Sistemas como aprendizado de máquina (machine learning) e redes neurais (deep learning), por exemplo, só têm sua aplicação possível pela geração de dados completos que estão constantemente orientando os esforços de desenvolvimento.

Um projeto inovador e sustentável


Empresa investiu mais de R$ 20M na recuperação ambiental do terreno e da represa.

Sustentabilidade é um dos pilares da nova fábrica, a terceira de Coca-Cola Andina no país – as outras ficam em Jacarepaguá (RJ) e Ribeirão Preto (SP). Na área destinada à sua construção, a empresa promoveu um processo de recuperação ambiental no qual foram investidos mais de R$ 20 milhões. Dentre das iniciativas realizadas estão a revitalização do terreno e da represa localizada no terreno, o monitoramento da fauna local e o replantio de 3.800 espécies de mata nativa. Também foi criada uma área de preservação ambiental de 31,2 hectares, o equivalente a mais de 30 campos de futebol e implementados 13 programas de educação ambiental na comunidade do entorno.

“Estamos há 25 anos no Brasil e escolhemos o Rio de Janeiro como base de nossas operações no território brasileiro. Esta fábrica reafirma a nossa crença num ambiente de trabalho capaz de atrair, desenvolver e reter os melhores talentos disponíveis. Nos enche de especial orgulho o processo de recuperação ambiental que promovemos no terreno, onde criamos uma área de preservação ambiental permanente de mais de 31 hectares, promovemos um reflorestamento com mais de 3.800 mudas de espécies nativas da Mata Atlântica e criamos um programa de monitoramento de flora e fauna, além da construção da fábrica de acordo com os critérios exigidos para a obtenção da certificação LEED”, reforça o vice-presidente executivo da Coca-Cola Andina, Miguel Ángel Peirano.

Esta é também a primeira fábrica de Coca-Cola no Brasil que não utiliza caldeiras como fonte de energia térmica em seus processos, e sim água quente, e nem amônia na refrigeração. Também foram construídas Estação de Tratamento de Água (ETA) e Estação de Tratamento de Efluentes (ETE) com monitoramento e controle automatizados e redes de efluentes segregadas.

As subestações elétricas são outro destaque, pois utilizam o conceito de “eletrocentros” – unidades pré-montadas em contêineres. A inovação pode ser encontrada também nas mini-xaroparias dedicadas a cada linha de produto, assim como salas de CIP (preparo de fluidos de limpeza) e sistema de refrigeração independentes por linha ou descentralizados.

* A Coca-Cola Andina, uma das três maiores engarrafadoras da América Latina, é a produtora e distribuidora dos produtos licenciados pela The Coca-Cola Company no Brasil, Argentina, Chile e Paraguai. O grupo tem 11 fábricas em operação – três no país. A Coca-Cola Andina entrou no mercado brasileiro em 1994, com a aquisição da Rio de Janeiro Refrescos, engarrafadora da cidade, com fábrica em Jacarepaguá.

segunda-feira, 24 de junho de 2019

SATÉLITE T-16 CONSTRUÍDO PELA AIRBUS É LANÇADO COM SUCESSO A BORDO DO ARIANE 5


O satélite de telecomunicações T-16, construído pela Airbus, foi lançado com sucesso a bordo do foguete Ariane 5 de Kourou, na Guiana Francesa


O T-16 usa como base a Eurostar E3000 da Airbus - uma plataforma geoestacionária altamente confiável - e é o 50º satélite Eurostar E3000 a ser lançado. Ele garantirá capacidade de satélite de alta potência para serviços de transmissão de televisão de alta disponibilidade, inclusive diminuindo os efeitos adversos provocados por chuvas.

Após o lançamento e desacoplamento, a espaçonave Eurostar E3000 utilizará seu próprio sistema de propulsão química para atingir uma órbita geoestacionária em aproximadamente uma semana. O T-16 garantirá serviços de transmissão de alta potência nas bandas Ku, Ka e Reverse. Por ser flexível, a espaçonave pode ser operada a partir de cinco faixas orbitais (de 99º Oeste a 119º Oeste) e cobrirá a área continental dos Estados Unidos, Alasca, Havaí e Porto Rico. Com uma massa de 6330 Kg no momento do lançamento e um poder de espaçonave de 18kW, o satélite foi criado para funcionar em órbita por 15 anos.

"O T-16 é um dos mais poderosos satélites de transmissão direto para casa, com um número recorde de +180 Amplificadores de Alta Potência. O T-16 será capaz de transmitir centenas de serviços de vídeo de qualidade UltraHD 4K diretamente para consumidores finais espalhados pelos EUA. Nossos satélites Eurostar já acumulam mais de 800 anos somados de serviços operacionais em órbita. Esse é um verdadeiro sucesso em dobro para nós, já que também estamos comemorando o 104º lançamento do Ariane 5", afirma Jean-Marc Nasr, Diretor da Airbus Space Systems.

A Airbus é líder global em aeronáutica, espaço e serviços relacionados. Em 2018, gerou receitas de €64 bilhões e empregou cerca de 134 mil profissionais. A empresa oferece a gama mais abrangente de aviões de passageiros e é líder europeia no fornecimento de aviões-tanque, de combate, transporte e missões, bem como uma das principais empresas espaciais do mundo. No segmento de helicópteros, fornece as soluções civis e militares mais eficientes do mundo.

Airbus
JeffreyGroup Brasil.

Leia> O Brasil Sobre Rodas

sábado, 22 de junho de 2019

CASA DA MÃE JOANA.
Por Marli Gonçalves*

NOSSOS INVERNOS INFERNOS INTERNOS


Pode até fazer frio, mas o clima continuará bem quente por aqui no país do dedinho de arminha, da torneira que não vai parar de vazar e das falas, atos e decisões do homem que nos desgoverna sem ter ao que parece qualquer preocupação ou noção dos estragos que semeia com olhar tenso e sem brilho. Pare para pensar quem é que está se dando bem com tudo isso.

O inverno é isso. O país tropical anda rendido. E absolutamente perplexo no dia a dia dos últimos meses assistindo a um espetáculo diário de besteirol sem qualquer graça, sem roteiro e com o apoio solene de comediantes medíocres de stand up. Sim, eles, de pé, em cima de palanques, tribunas, altares, púlpitos, onde quer que estejam, é só esperar, dali coisa boa é que não vem. O caso é pensar como chegaremos às próximas estações.

E, seja em quem foi que você, leitor, possa ter votado, não é possível que não perceba que estamos na famosa sinuca de bico, beira de precipício,  esquina do horror, e que não há reforma que resista a uma crise depois de outra, a tanta insanidade em verde amarelo, azul e branco – que agora aparece até na gravata que o homem coloca para anunciar  os amigos nos espaços vazios das crises.  O patriotismo é mais do que apenas refúgio; pode ser o biombo que esconde a incompetência ou algo mais que ainda não se revelou por completo. Apenas em parte.

Não adianta em público fechar os olhos, fazer marra, considerar-se feliz por tanta perturbação, pelo quanto pior, melhor, ou bater no peito, arrumar briga nas redes sociais, xingar a todos de comunistas ou "petistas", dizer que "estamos" atrapalhando, e que não queremos o fim da corrupção, patati patatá. Esses discursos não cabem mais depois de 180 dias de sandices, isso sem contar todas que já foram disparadas durante o período eleitoral. O governo anônimo, sem marca, do Marcelo Álvaro Antonio e agora do Jorge Antonio de Oliveira Francisco, os nomes de nomes.

Tudo o que se poderia até ter acreditado que ocorreria, veja só, não ocorreu. Os índices continuam ladeira abaixo, nenhuma reforma, e agora até de reeleição já ousou falar, convencido, o mesmo que a negava. Se alguém ainda punha fé na ampla presença de militares de alta patente no sistema, apure seus ouvidos e ouça o burburinho que anda entre eles, tratados com desprezo, este sim, bem patente. No masculino governo sumiram até com as leituras de libras antes tão aplaudidas. Reparou?

Seis meses que se passaram de tal forma que até ser oposição tornou-se dispensável. Também ... com essa que temos, desorientada, sem novos quadros, sem liderança. Ser imprensa acaba sendo apenas uma cruel repetição de gritos no escuro. Registra-se de dia o que à noite será mostrado nos telejornais, isso se não tiver havido algum recuo, uma dança sem par.

Depois eles se explicam lá no Programa do Ratinho. Em geral, gravado antes, bem editado. Não é sintomático?

Alguém, em algum lugar, nesse exato momento, deve estar se dando muito bem com isso tudo. É você? Temo que não.

Os incríveis primeiros seis meses de 2019


* Marli Gonçalves, jornalista. Observadora.

Me encontre:
marligo@uol.com.br
marli@brickmann.com.br


Leia> O Brasil Sobre Rodas

sexta-feira, 21 de junho de 2019

AIRBUS REGISTRA FORTE DEMANDA POR SUAS NOVAS AERONAVES COMERCIAIS E PRODUTOS COMPLEMENTARES DURANTE O PARIS AIR SHOW 2019


Durante a edição de 2019 do Paris Air Show, a Airbus conquistou novos negócios para 363 aeronaves comerciais, sendo 149 pedidos e 214 compromissos. Além disso, companhias aéreas e clientes de leasing também converteram 352 pedidos existentes de aeronaves, majoritariamente de aeronaves de corredor único A320 até aeronaves mais largas, como o A321neo e também o novo A321XLR. 

Esses números são um reflexo claro do sucesso da estratégia da Airbus de oferecer aeronaves com maior alcance aos clientes desse segmento. A feira também trouxe sucessos também para o A220, que conquistou novos pedidos para 85 aeronaves e para o A330neo, de fuselagem larga, que rendeu à Airbus pedidos e compromissos para 24 aeronaves novas.

A estrela da feira foi claramente o novo A321XLR, o novo modelo que representa a evolução do A321LR. O XLR é a aeronave de corredor único mais eficiente e com maior alcance do mundo e permitirá que as companhias aéreas que operam nesse segmento tenham acesso a mercados que exigem ainda mais alcance e capacidade de carga. No total, foram recebidos 48 pedidos desse último modelo, além de compromissos para outras 79 aeronaves e 99 conversões do A321 para o XLR. Esses negócios foram fechados com uma variedade de clientes do mundo todo.

Na categoria de fuselagem larga, o novo A330neo, deu continuidade à boa receptividade que obteve do mercado e conquistou negócios adicionais de clientes como Cebu Pacific e Virgin Atlantic. O aumento de vendas em Le Bourget foi especialmente alto para o A220.

Além disso, a Airbus Services demonstrou como está aprimorando seus serviços tradicionais nas áreas de manutenção, treinamento, operações de voo e upgrades, fazendo uso da plataforma Skywise da Airbus, bem como de outras novas tecnologias.

Airbus
JeffreyGroup Brasil.

Leia> O Brasil Sobre Rodas

CUMMINS BRASIL É RECONHECIDA COM SELO AMBIENTAL GUARULHOS

A Cummins Brasil mais uma vez é reconhecida com o Selo Ambiental Guarulhos, promovido pela Câmara Municipal e pela Prefeitura de Guarulhos. Em sua 15ª edição, o evento premiou os projetos De Gota em Gota, Ilhas Verdes e Óleo do Bem, desenvolvidos pela companhia.


Essa iniciativa tem como objetivo premiar os melhores projetos relacionados à preservação ambiental e foram avaliados por uma comissão julgadora, observando critérios como participação social, potencial de replicação, impacto socioambiental e sustentabilidade.

O projeto “De Gota em Gota” foi criado em 2015 pelos engenheiros da Cummins para minimizar os impactos da crise hídrica. Trata-se de um projeto que abrange tanto as áreas de Meio Ambiente quanto de Educação; os colaboradores voluntários da Cummins desenvolveram protótipos de cisternas, com capacidade de armazenamento de 200 litros para captação da água da chuva que foram distribuídas nas casas da comunidade. Entre 2015 e 2018, o De Gota em Gota instalou mais de 300 cisterna para a comunidade, conservando um total de mais de 847 mil litros, além de engajar 313 voluntários que dedicaram um total de 1.210 horas.

Para combater as zonas de calor e o sequestro de carbono em Guarulhos (SP), a Cummins firmou uma parceria com a Prefeitura da cidade no projeto Ilhas Verdes e desde 2010 colaboradores voluntários da empresa realizam o plantio de árvores. Até agora mais de 6 mil mudas já foram cultivadas proporcionando melhoria na qualidade de vida dos moradores por meio do conforto térmico e melhoria da qualidade do ar da região.

Criado em 2010, o projeto ambiental “Óleo do Bem” incentiva os funcionários da Cummins a trazerem óleo usado de suas residências até os ecopontos disponíveis na fábrica. Este projeto foi desenvolvido com o propósito de promover a sustentabilidade, já que todo o óleo vegetal é destinado a uma empresa parceira que conta com todas as licenças e competências para reciclar 100% deste material. Desde 2010, já foram coletados mais de mais de 33,5 mil litros de óleo de cozinha, o que representa a conservação de 838 milhões de litros de água. Só nesta ação, a companhia contabiliza mais de 540 voluntários engajados em 2018.

e/d: Sergio Lopes, Pedro Pellegrini, Soraia Franco, Celso Oliveira, Renato Medeiros, Abdo Mazloum (Secretário de Meio Ambiente de Guarulhos), Bruna Malaguti e Raquel Batistucci, durante a cerimônia de entrega dos prêmios

Cummins Brasil – Maior fabricante independente de motores Diesel, componentes e grupos geradores, é uma corporação de unidades de negócios complementares que projetam, fabricam e distribuem motores, serviços e tecnologias relacionadas, incluindo sistemas de combustível, turbos, filtragem, soluções para emissões e sistemas de geração de energia elétrica. Presente no país desde 1974, produz uma variada gama de motores para diversos segmentos do mercado, entre caminhões de todos os portes, pickups, ônibus, aplicações estacionárias, máquinas de construção, equipamentos agrícolas, máquinas para mineração e aplicações marítimas. Sua principal unidade fabril, com capacidade de produção de 500 unidades de motores por dia, está localizada no município de Guarulhos (SP), onde estão as áreas de motores, geradores, turbos e soluções de emissões. E em Bonsucesso, a unidade Filtration. 

quinta-feira, 20 de junho de 2019

MOTOR FERRARI QUE EQUIPA O BARCO ARNO XI SERÁ RESTAURADO.
Por Milton Verret*


Único barco equipado com motor Ferrari do mundo foi construído com as bênçãos de Enzo Ferrari


O único hidroplano equipado com motor Ferrari da história está ganhando atenção mundial em sua casa original em Maranello, Itália. Construído em 1952, com envolvimento pessoal de Enzo Ferrari, esse hidroplano histórico inigualável está sendo preparado para seu 70º aniversário, com a restauração do motor no famoso centro técnico Ferrari Classiche.

O barco, chamado Arno XI, foi construído para quebrar recordes mundiais de velocidade e tem uma história sem precedentes, estabelecendo um recorde nunca quebrado de 240 km/h, em 1953, no Lago d'Iseo, na Itália. Em 1951, o primeiro proprietário do barco, Achille Castoldi, se tornou amigo dos pilotos da Ferrari na Fórmula 1 Alberto Ascari e Luigi Villoresi. Os dois pilotos famosos ajudaram Castoldi a conseguir o que se tornaria o único motor Ferrari já construído para uma embarcação. Enzo Ferrari concordou em se envolver pessoalmente no projeto, supervisionando cada etapa da construção e teste do motor. O chefe de Projeto de Motor da Ferrari, Aurelio Lampredi, e sua equipe de engenheiros se envolveram diretamente com o projeto.

"Esse é um dos mais importantes motores da história da Ferrari", disse o chefe da Ferrari Classiche, Luigino "Gigi" Barp. A Ferrari Classiche é a divisão da Ferrari responsável pela restauração de Ferraris clássicas para suas condições originais. "Restauramos as Ferraris mais raras e valiosas já fabricadas, mas, obviamente, só trabalhamos em motores e carrocerias de carros. Restaurar esse motor Ferrari de 1952, especificamente construído à mão para essa montagem única, se tornou a emoção de toda uma vida para todos nós na sede da Ferrari".


"Imagine ser um técnico de ponta na Ferrari e poder trabalhar exatamente nas mesmas peças que o próprio Enzo Ferrari ajudou a projetar e produzir", disse o quarto e atual proprietário do barco Milton Verret, um empresário de Austin. "Como colecionador de Ferraris únicas e raras, sei que não há nada que se compare a um barco de corridas equipado com um motor Ferrari utilizado em corridas de F1. Acrescente a isso o envolvimento pessoal de Enzo e você tem um motor funcional que a maioria dos entusiastas de esportes a motor morre de vontade de ter. É apenas único".

O motor de 1952, que ainda equipa o Arno XI hoje, é um motor Ferrari de 4,5 litros, 12 cilindros, Tipo 375 (1952 está gravado no bloco do motor). Esse é o mesmo tipo de motor que equipou o carro Ferrari que ganhou o primeiro Campeonato Mundial de Fórmula 1, ao vencer o Grande Prêmio Britânico, realizado em Silverstone no ano anterior. O motor tem compressão de 12:1, com potência suficiente para impulsionar a hélice de pás gêmeas para até 10.000 rpms. O motor é equipado com um sistema de ignição por magneto duplo, com 24 velas de ignição, em vez das 12 habituais. Usar magnetos em vez de tampas do distribuidor garante que o motor continuará funcionando mesmo coberto com água.


O motor Ferrari produziu originalmente 350 bhp. Mas após a realização de testes iniciais e corridas no início de 1953 e apesar de o barco haver atingido velocidades bem acima de 160 km/h, Enzo Ferrari ordenou a modificação do motor para uso de metanol como combustível, a fim de aumentar as taxas de compressão. Ele adicionou dois compressores Roots (ou turbocompressores gêmeos) e um par de carburadores sólidos com quatro afogadores, com o resultado de que o motor finalmente produziu mais de 500 bhp. O barco tem uma história cheia de quebras de recordes mundiais de velocidade devido a esse motor Ferrari.

"Quando minha equipe na Ferrari terminar seu trabalho no motor, ele vai funcionar da mesma maneira que fez quando Castoldi e nosso fundador, Enzo Ferrari, o ligaram pela primeira vez em 1952", disse Barp.

"Eu quiz me certificar de que o barco estava em perfeitas condições a tempo para seu 70º aniversário", disse Verret. "Tudo se resume em preservar a história da Ferrari. Esse tipo de raridade faz com que certas Ferraris sejam avaliadas em dezenas de milhões de dólares. Ter um barco que é 'o único' não tem preço".

Desde 2012, o Arno XI está emprestado por Verret aos dois mundialmente famosos museus da Ferrari na Itália. A embarcação já foi vista por centenas de milhares de visitantes. O barco foi exibido lado a lado com a Ferrari ganhadora da F1 em 1951, mostrando do domínio da Ferrari na terra e na água.


Barb acrescentou: "Esse é um capítulo contínuo na história da Ferrari. Nossos motores são realmente feitos para funcionar para sempre e, após quase 70 anos, é uma honra ter esse projeto único, construído à mão, sob encomenda, na oficina da Ferrari Classiche. Verret o confiou a nós e estamos fazendo o mesmo para os entusiastas da Ferrari em todo o mundo".

A Ferrari Classiche espera concluir o trabalho no barco Ferrari no início do outono, quando Verret pretende iniciar uma turnê mundial para mostrar o barco aos fãs da Ferrari em todos os lugares.

Milton Verret é um empreendedor e filantropo de Austin, Texas, que trabalha com instituições beneficentes para crianças nos Estados Unidos. Verret é um colecionador ávido de carros clássicos, barcos e recordações do rock and roll. Ele é responsável pela fundação e operação de empresas e empreendimentos nacionais altamente bem-sucedidos.

Dean Leipsner
PR Newswire

Leia> O Brasil Sobre Rodas

SKY AIRLINE ESCOLHE AIRBUS COMO PARCEIRA PARA TREINAMENTO DE PILOTOS

A SKY Airline, companhia aérea chilena de baixo custo que possui uma frota composta exclusivamente por aeronaves Airbus, escolheu a Airbus como parceira para o treinamento de pilotos. A companhia aérea é o primeiro cliente do novo Centro de Treinamento da Airbus no Chile (ACTC, na sigla em inglês). O Centro oferecerá treinamentos para pilotos chilenos com um simulador de voo completo para os aviões da família A320.

O ACTC será o 18º centro de treinamento da Airbus no mundo todo, sendo o terceiro inaugurado na América Latina, após a criação dos centros de treinamento no México, em 2016, e no Brasil em 2017. Além disso, a Airbus colabora com a Escola de Aviação do México (EAM), que fica na Cidade do México, onde ministra seu novo programa de treinamento de pilotos cadetes.

De acordo com a última Previsão para o Mercado Global da Airbus, a América Latina precisará de cerca de 2.700 aviões novos nos próximos 20 anos (o que representa mais que o dobro da frota atual) e espera-se que a demanda por pilotos cresça a um ritmo anual de 5%. Nas próximas décadas, será necessário formar mais de 52.600 pilotos, além de 53.800 engenheiros de manutenção.

A SKY é cliente da Airbus desde 2010 e em 2013 se tornou operadora exclusiva de aeronaves Airbus. Atualmente, a SKY possui uma frota de 18 A320 para atender sua malha de rotas domésticas e internacionais, sendo que essas últimas ligam o Chile à Argentina, Brasil, Peru e Uruguai.

Com mais de 1.200 aviões vendidos e uma carteira de pedidos com quase 600 unidades, cerca de 700 aviões Airbus estão atualmente em operação na América Latina e Caribe, o que representa 56% do total da frota atualmente em serviço. Desde 1994, a Airbus conquistou por volta de 70% dos pedidos líquidos da região.

Airbus
JeffreyGroup Brasil.

Leia> O Brasil Sobre Rodas