quarta-feira, 19 de setembro de 2018

COMPLEXO NÁUTICO CATARINENSE RECEBE MEGAIATE DE MAIS DE 40 METROS.

Luxuosa embarcação de 144 pés da italiana Benetti Yachts está na Marina Itajaí. 

Com mais de 40 metros de comprimento, a embarcação da italiana e centenária Benetti Yachts - líder mundial na construção de megaiates e gigaiates de alto luxo - acaba de atracar na Marina Itajaí. Assim como a Benetti 144, outras embarcações a motor e a vela de grande porte, acima de 30 metros, já utilizaram o complexo náutico catarinense para guarda ou para realização de serviços como reparos e manutenções preventivas.

São barcos procedentes não apenas do Brasil, mas com bandeiras de diversas partes do mundo, o que demonstra o impulso gerado por meio da estrutura náutica para movimentação e valorização econômica da região.

"Assim como este megaiate que está atracado hoje na marina, há exatos dois anos, recebíamos uma embarcação de 172 pés, ambos de dimensões bastante consideráveis. Cada embarcação que chega na Marina Itajaí é de suma importância não apenas para o complexo, mas para toda a nossa região. Além dos vários empregos gerados diretamente apenas para atender um barco de grande porte, os navegadores, na maioria das vezes, usufruem de uma série de serviços de fornecedores locais, compra de peças, além da infraestrutura de lazer e de apoio catarinense como turismo, compras, gastronomia, entre vários outros. É também uma justificativa de quanto a náutica é um importante agregado ao turismo brasileiro, aos negócios, e um potencial em desenvolvimento", explica o diretor náutico da Marina Itajaí, Carlos Oliveira.

A Marina Itajaí, graças à sua completa estrutura, é um exemplo da contribuição do desenvolvimento da região por conta da náutica. O complexo, que pode receber de pequenas embarcações a grandes iates e veleiros de mais de 170 pés, também está em baía protegida que não sofre influência de marés e conta com um calado de 4 metros de profundidade facilitando o acesso dos barcos. Também tem servido de ponto de apoio e parada para quem deseja realizar manutenções e reparos – possui amplo pátio que permite, por exemplo, a realização de serviços simultâneos em até 11 embarcações de 80 pés - além de ter equipamentos modernos para movimentação de barcos de até 75 toneladas e única marina do sul com posto de combustível com Diesel Verana.

Outro fator que tem contribuído para que os navegadores escolham pela Marina Itajaí está a sua localização estratégica. No centro da cidade de Itajaí permite fácil acesso ao comércio, serviços e atrativos, além de estar próxima aos principais destinos turísticos e náuticos do estado como Balneário Camboriú, Joinville, Florianópolis, Joinville, Porto Belo e Bombinhas.

Inaugurada em dezembro de 2015, a Marina Itajaí está localizada no centro da cidade catarinense de Itajaí – na Rua Vereador Carlos Ely Castro n° 100, ao lado do Centreventos, - sendo um importante polo náutico, naval, turístico e industrial. A marina oferece atualmente 320 vagas, sendo 155 vagas secas e 165 vagas molhadas. Modernos equipamentos como ForkLift para até 12 toneladas e TravelLift para até 75 toneladas, são um diferencial na sua configuração; ainda há posto de combustível com bandeira BR sendo a única marina no sul do país com Diesel Verana. Possui opções de lazer como espaço gastronômico  e amplo estacionamento como parte de sua estrutura.

Rotas Comunicação.

SESC SÃO CAETANO RECEBE ISADORA CANTO QUE CANTARÁ REPERTÓRIO ESPECIAL PARA CRIANÇAS.


Para tratar de temáticas que giram em torno do universo da maternidade, família e da conexão mãe e filhos o Sesc São Caetano recebe dia 29 de Setembro a partir das 16h "Isadora Canto" com o espetáculo "Vida de Criança"  onde através de canções autorais, conteúdo musical de qualidade e letras construtivas, que contam sobre o medo do escuro, sobre o desfralde, sentir a chuva e tantos outros momentos deliciosos e marcantes da infância. Atividades são abertas ao público geral com necessidade de retirada de ingressos com 1h de antecedência na central de atendimento.

Isadora Canto apresenta suas músicas no show "Vida de Criança", baseado no CD lançado em 2016, com mesmo título. Pioneira no propósito em conectar e dar o tom da maternidade através do canto, neste trabalho, Isadora se dedica às crianças e celebra suas descobertas e os desafios que o desenvolvimento traz. Músicas do seu primeiro álbum "Vida de Bebê" também estão presentes. No repertório, canções como Pitanga, Cocô, Banho Bom, Vovô e Vovó, Bom dia e Para-parabéns. Para 2018, traz ainda duas novas canções, Super Irmão e Vamos brincar.

Nascida no Rio de Janeiro, Isadora Canto é musicista e compositora com 18 anos de carreira. Seu primeiro álbum, Vida de Bebê, foi indicado ao Grammy Latino de 2007 como "Melhor CD Infantil" e deu fôlego para a artista desenvolver inúmeros projetos que tem como propósito fortalecer a conexão mãe-bebê através da música. Há 16 anos criou o Acalanto, vivências musicais na gestação e pós parto. É fundadora, regente e diretora artística do grupo vocal Materna em Canto, que desde 2008 possibilita que mães cantem com e para suas crias. Desde 2016, trabalha o álbum Vida de Criança, que deu continuidade ao seu trabalho, experiências e aprendizados como mãe. Nele, Isadora se dedica às crianças, celebrando descobertas e os desafios que o desenvolvimento traz.

Serviço
Sesc São Caetano
Rua Piauí,554 - Santa Paula
São Caetano do Sul - SP
29 de Setembro - 16h
Recomendação etária: Livre
Ingressos: grátis.
Retirada de ingressos com 1h de antecedência na central de atendimento.
Informações (11) 4223-8800
Para informações sobre outras programações acesse o portal sescsp.org.br/saocaetano.
Horário de atendimento/bilheteria do Sesc São Caetano:
de segunda a sexta, 9h às 21h30, sábados e feriados, das 9h às 17h30 .  

Imprensa Sesc São Caetano.

Leia> O Brasil Sobre Rodas.

terça-feira, 18 de setembro de 2018

RECICLAGEM DE ESPONJAS ENGAJA CONSUMIDORES E ALCANÇA A MARCA DE 1 MILHÃO DE UNIDADES COLETADAS.


Anualmente são produzidas milhões de esponjas, que por terem um tempo indeterminado de decomposição, podem causar grande impacto ambiental quando descartadas incorretamente. Pensando nesta questão, a marca Scotch-Brite da 3M se uniu à TerraCycle para criar o Programa Nacional de Reciclagem de Esponjas, voltado à coleta e processamento desse resíduo. Após 4 anos de existência, a iniciativa acaba de alcançar 1 milhão de unidades coletadas por consumidores, escolas, instituições sem fins lucrativos, cooperativas, empresas privadas, entre outros.

Por ser um programa gratuito e acessível a todos os brasileiros, qualquer pessoa pode participar, sendo que alguns se tornam verdadeiros agentes mobilizadores e chegam a engajar cidades inteiras na coleta das esponjas. Um dos protagonistas dessa transformação ambiental encontra-se na cidade de Monte Azul Paulista - SP, que incorporou a coleta de esponjas ao Projeto Crescendo com Qualidade, realizado pela Associação Vida Bem Vivida. Desde 2014, o time promove uma campanha de reciclagem nas escolas municipais, conscientizando a população acerca dos problemas trazidos pelo descarte incorreto do lixo e da importância da reciclagem. Além disso, a cada 100 esponjas enviadas, a Associação recebe R$ 2,00 em doações que contribuem com o propósito da instituição de oferecer subsídios para promover a qualidade de vida das crianças assistidas e seus familiares, beneficiando a sociedade como um todo.

Outro time que tem colaborado ativamente com este resultado é o Centro de Promoção para um Mundo Melhor, localizado na cidade de Campinas, em São Paulo. Inscrito há três anos no programa, o Centro que atua com crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade, lançou a campanha "Reciclar é Ajudar" que já enviou mais de 10 mil esponjas para reciclagem. A entidade conta com a ajuda da voluntária Cris Umino que realiza um trabalho de conscientização entre os membros da comunidade e se responsabiliza pelo envio das esponjas coletadas.

A Escola Municipal Rizzieri Poletti, de Cândido Rodrigues, interior de São Paulo, também aderiu ao programa criando o Time Rodriguense, que movimenta todo o município na coleta de esponjas e outros materiais para a reciclagem. A diretora, Marly Cambero conta: "Estamos engajados desde 2017 no projeto das esponjas e poder fazer parte da marca histórica de 1 milhão de unidades coletadas é motivo de orgulho para nós, sobretudo por sermos uma escola de 270 alunos localizada em uma cidade de apenas 2.000 habitantes! Vamos continuar coletando!"

O Programa de Reciclagem de Esponjas mobilizou o país inteiro, permitindo que aproximadamente R$ 30 mil fossem arrecadados em doações para ONGs e escolas públicas, engajando diretamente cerca de 800 mil pessoas. Os resultados alcançados até o momento mostram o poder da união entre indivíduos comprometidos com uma causa. 

Para fazer parte deste movimento socioambiental, basta se cadastrar no site da TerraCycle e inscrever-se no Programa Nacional de Reciclagem de Esponjas. Se você tem interesse em saber como funciona o processo de reciclagem, clique na telinha e assista o vídeo produzido pela TerraCycle.



sábado, 15 de setembro de 2018

CASA DA MÃE JOANA.
Por Marli Gonçalves*

MULHERES, UNI-VOS!


Mas que seja para sempre, união além eleições, além luta contra o inominável abominável, contra os paspaqueras que pululam para nos destratar. Temos tantas coisas para lutar juntas e conseguir sucesso, oxalá ainda neste século, que nossas mãos dadas poderão realmente tornar esse mundo melhor. Fico orgulhosa de ver as novas gerações chegando com garra. Ou melhor, garras, afiadas, e coloridas com todos os matizes.

Mulher é tudo de bom. Mulher está na moda. Vamos aproveitar! Que foi assim, com perseverança, que o movimento feminista dos Anos 70 conseguiu tantas vitórias que talvez muitas e muitos de vocês que estão chegando agora não saibam o quanto tudo era ainda muito pior. Mulher não trabalhava fora, não tinha direitos reconhecidos, não tinha liberdade de escolha. Não tinha a quem recorrer. Mulheres não gostavam de trabalhar com outras mulheres, não se respeitavam entre si, era difícil juntar-se em grupos. Foi uma batalha danada, gente!

Vejo agora o reflorescimento vital de um novo movimento. Chamemos, sim, de feminismo, porque o é, embora ainda muitas teimem em não admitir, uma vez que tanto foi feito – e ainda tentam, mas não vai adiantar nada - para denegrir a palavra da qual devemos nos orgulhar. Feminismo. Agora é mais ainda, Feminismo 3.0, porque estamos mais adiante em nossas conquistas. O movimento hoje incorpora tranquilamente a sexualidade, o prazer. Prevê o combate ao racismo, à violência, à desigualdade, ao não pode isso, não pode aquilo.

Podemos tudo. E, juntas, poderemos mais.

Bata no peito, empine os seios, com orgulho. Incrível que o mais novo motor tenha sido, pelo menos por esses dias, juntarmo-nos contra aquele ser que pretende ser presidente de nossa República. Pelo menos para alguma coisa boa servirá sua presença no cenário. Mesmo que ele – infelizmente, tudo é possível - consiga o seu intento, já é claro o suficiente que enfrentará uma mobilização muito especial, linda, ruidosa, cheia de vontade. Forte. As mulheres.

Que sejam de todas as classes. Que sejam de todos os credos, raças, posições políticas. As questões femininas são muito claras, devem sempre ter visibilidade dentro do cenário nacional; aconteça o que houver. Temos de ampliar, aumentar, agregar, conquistar - inclusive as desgarradas que ainda não perceberam a total dimensão que os novos fatos poderão tomar.

Em poucos dias formou-se um Grupo no Facebook – Mulheres Unidas CONTRA Bolsonaro, ao qual se agregou imediatamente mais de um milhão de mulheres, já prontas a ir às ruas. As hashtags só se avolumam. A geral é #EleNao.

Mas quero dizer que é mais do que contra Ele. É a favor de tantas coisas que precisamos mudar, conquistar, conseguir visibilidade e respeito: Saúde, Educação, Trabalho, Direitos, dar um basta ao assassinato diário de mulheres apenas porque são mulheres.

Imploro que se mantenham unidas, ao contrário do país conflagrado e dividido. Que não seja para beneficiar um ou outro partido ou candidato. A maioria – repare – ainda são homens. O poder ainda é de maioria masculina; daí glorificarmos com razão muitas que estão ali no meio, levantando a voz. Que a união se mantenha além das Eleições – acreditem: vamos precisar disso, repito, haja o que houver.

Não se incomodem (!) com desaforos. Sim, sempre foi assim. Para nos combater nos xingam de um tudo. Falam até de nossas axilas! Se temos pelos aqui, lá, é um problema nosso. Se depilamos, se usamos calcinha ou não, se somos novas, velhas, gordas, magras, feias, belas, se umas amam outras, se queremos ou não casar e ter filhos é um problema nosso. Só nosso. De cada uma de nós. O corpo é nosso. E só quem é mulher sabe onde o sapato, sapatão, alto, baixo, rasteirinha, chinelo, chinelinho, aperta. Não é coisa para virem ordenar, nem com religião, muito menos com política e abuso de poder, mesmo inclusive que a tentativa venha de outra mulher que tente ter autoridade para tal. Nossas avós e mães já comeram o pão que o homem amassou, e agora é novo tempo, mesmo que muitas delas não entendam ainda quais foram as suas frustrações.

Salvem suas filhas desse tempo de horror, quando para onde a gente olha novamente está encontrando uma patente, coronel disso, general daquilo, olhos e caras duras, para os quais não bateremos nunca continência. Apenas, claro, se desejarmos, se quisermos. Hoje podemos também sermos militares, usarmos as roupas verdes e camufladas. Mandar e comandar.

Queremos é escolher. As lutas femininas começam, entendam todos, definitivamente, por uma palavra só: Liberdade. Essa é a palavra de ordem que nos manterá unidas cada dia mais.

Beijo com marca de batom, 2018.





* Marli Gonçalves, jornalistaComo disse, mulher está na moda, e já vemos até o marketing dando uma abusada nisso. Mas que essa moda não passe mais, nunca mais acabe. A propósito, em breve terei novidades para contar, e para as quais conto com vocês, mulheres e homens de bemTenho um blog. Divertido e informante ao mesmo tempo, no marligo.wordpress.com. Estou no Facebook e no Twitter. Visite o "Chumbo Gordo": www.chumbogordo.com.br.  e-mails: marli@brickmann.com.br e marligo@uol.com.br.


Leia> O Brasil Sobre Rodas.

sexta-feira, 14 de setembro de 2018

KSB BRASIL EXIBE SOLUÇÕES COMPLETAS PARA O SETOR DE SANEAMENTO.

A KSB Brasil apresenta seus principais produtos para o segmento durante 29ª Feira Nacional de Saneamento e Meio Ambiente – FENASAN 2018. Durante o evento, que acontece entre os dias 18 e 20 de setembro, no Pavilhão Branco do Expo Center Norte, em São Paulo (SP), a líder na fabricação de bombas hidráulicas expõe bombas, peças sobressalentes e projetos voltados a eficiência energética que visam redução de custo na operação. 

Tradicional no mercado de bombas submersíveis, as bombas KRT são indicadas para todos os tipos de esgotos em estações de tratamento e elevatórias de esgoto bruto não tratado, efluentes, processos industriais e águas de despejo.

Disponível nas versões com rotor aberto, rotor tubular e rotor triturador, a bomba KSB KRT traz tamanho que varia entre DN40 até 700 mm, vazões de 5 até 10.000 m3/h e potência máxima de 1080 hp.

Com carcaça bipartida axialmente, a KSB RDLO, será outro grande destaque no estande da KSB. Com baixo custo de manutenção, é projetada com dupla voluta, rotor com dupla sucção, vida útil aos rolamentos de até 100 mil horas de operação. Seu design proporciona manutenção simplificada já que a bomba traz auto centralização da parte superior da carcaça e conjunto girante prétensionado que permitem a montagem do equipamento sem ajustes especiais. 

Com vazão de até 10.000 m3/h, a RDLO pode ser aplicada na área de saneamento, indústria em geral, termoelétricas, petroquímica, naval e off-shore. 

As soluções de eficiência energética desenvolvidas pela empresa, através do, KSB PumpDrive e KSB PumpMeter, serão exibidas na prática e instaladas na bomba KSB Megabloc. O PumpMeter, desenvolvido pela matriz na Alemanha, é utilizado para realizar o diagnóstico preciso e completo da operação das bombas centrífugas. Trata-se de um acessório que, por meio de sensores, possibilita ao cliente fazer o monitoramento da bomba. Ao gerar um relatório completo de operação, o PumpMeter permite um trabalho minucioso sugerindo melhorias, como variação da rotação e redução da potência consumida, evitando o desperdício de energia e, consequentemente, gerando benefícios para os clientes.

Já o PumpDrive foi projetado para garantir o funcionamento da bomba de forma orientada para a obtenção da máxima economia de energia, controlando continuamente a rotação da bomba conforme a demanda real do sistema, assegurando uma operação confiável, aumentando a vida útil das bombas, além de reduzir os custos de manutenção.

Ao controlar a vazão da bomba, o PumpDrive é capaz de compensar automaticamente as variações de pressão, calculando as perdas por atrito que variam com a vazão. A novidade da KSB também permite a operação simultânea de até seis bombas associadas em paralelo.

Ao exibir os rotores das bombas KSB LCC, Megaflow K e de dupla sucção de bombas bipartidas a companhia reforça seu compromisso de oferecer as soluções completas para seus clientes, da venda de produtos até a manutenção, com peças de reposição originais, serviços de reparo e modernização. O uso de materiais utilizados pela KSB são diferenciados e atendem aplicações especiais (alta dureza, grandes tamanhos de partículas, materiais nobres, entre outros).

Na feira também é possível conhecer mais sobre o KSB Powerhouse, uma solução para a produção de energia descentralizada a partir da força hidráulica por meio de BfT (bombas funcionando como turbinas). Todos os componentes necessários para a construção de uma rede isolada são fornecidos, montados e configurados pela KSB em um contêiner padrão e são fornecidos pré-configurados e completamente montados. Assim, o sistema pode ser colocado em operação rapidamente. A instalação da primeira unidade ocorreu no primeiro semestre de 2018, em uma das estações da Sabesp, localizada em Barueri, na Grande SP.

A bomba centrífuga de produção nacional, trabalha operando em sentido inverso, ou seja, recebe a água com uma determinada pressão pelo flange de descarga e sai pelo flange de sucção. O sistema produzirá a energia, que será utilizada localmente e o excedente poderá ser transferido a concessionara de energia através da rede de distribuição. Essa e os demais produtos e soluções de eficiência energética podem ser conferidos com a equipe de especialistas KSB no estande da empresa.


KSB PumpDrive e KSB PumpMeter, instaladas na bomba KSB Megabloc.


KSB Brasil – É uma das líderes mundiais em fabricação de bombas e válvulas com um sistema completo de serviços e soluções adequados e completos para todas as necessidades de transporte de fluidos. Presente no Brasil desde 1954 e sua matriz, na Alemanha, em 1871, a KSB Brasil oferece ao mercado ampla linha de produtos, com projetos, manufatura e fornecimento de bombas centrífugas, válvulas, sistemas e serviços sempre dentro dos melhores padrões de qualidade

Textofinal de Comunicação Integrada.

Leia> O Brasil Sobre Rodas.

quinta-feira, 13 de setembro de 2018

AMERICAN AIRLINES REALIZA SONHO DE DUAS CRIANÇAS BRASILEIRAS EM PARCERIA COM A FUNDAÇÃO SOMETHING MAAGIC®.

A American Airlines e a Fundação Something mAAgic® se uniram para oferecer a 25 crianças da Fundação Make-A-Wish® de diferentes países uma experiência inesquecível. No Brasil, a empresa levou Ebony e Frank William, ambos de 14 anos, para uma semana de férias na Give Kids the World Village® na Flórida.

Em várias partes do mundo, voluntários da American trabalharam para criar celebrações temáticas e customizadas durante o embarque de acordo com o gosto de cada criança. Ontem, Ebony e sua família foram recebidos no Aeroporto Internacional de São Paulo-Guarulhos (GRU) com um check-in decorado com o tema da clássica animação da Disney "A Pequena Sereia" e funcionários fantasiados, além de presentes, como não poderia faltar na festa de uma verdadeira princesa.

A recepção da Ebony no check-in da American no Aeroporto Internacional de São Paulo-Guarulhos. Foto: Sérgio Cruz, agente de aeroporto da American.

Frank William, seu pai e sua avó foram recebidos no Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro-Galeão (GIG) por uma funcionária da American vestida de pirata, que os guiou por um caça ao tesouro no aeroporto com o tema do filme "Piratas do Caribe", como escolhido pelo adolescente. Ele teve que desvendar seis mistérios até chegar em uma festa temática surpresa no Admirals Club da American Airlines antes do embarque.

A recepção do Frank William, seu pai e avó no check-in da American no Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro-Galeão. Foto: Ana Monteiro.
Frank William teve que enfrentar um caça ao tesouro para chegar até a sua festa surpresa. Foto: Ana Monteiro.

A ação anual "mAAgic flight" tem o objetivo de realizar o sonho de crianças com condições médicas graves e criar uma experiência transformadora. Voluntários da American e a equipe dos aeroportos colaboraram na preparação da festa com doações. A ação também contou com a ajuda da produtora de eventos Andrea Guimarães e a Gate Gourmet, em São Paulo, e o Flamengo Futebol Clube, Rei das Malas e a Stay Sweet.

"Essa é umas das iniciativas mais aguardadas do ano. Nossa equipe se empenhou muito para proporcionar um momento inesquecível para as crianças e seus familiares. Esse é um evento que mexe muito com o sentimento do time como um todo", disse Suzana Yeh, gerente geral no Aeroporto Internacional de São Paulo/Guarulhos.

"O mAAgic flight sempre faz o time se sentir mais unido e motivado, além de fortalecer os laços de trabalho e amizade. Agradecemos ao William, a Ebony e suas famílias por nos proporcionar essa experiência transformadora", comentou Elio Hamaoka, gerente geral no Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro-Galeão.

As famílias que participam do "mAAgic flight" ficarão hospedadas durante uma semana no Give Kids the World Village® na Flórida.

Há 28 anos no Brasil, a American Airlines é a maior companhia aérea entre Brasil e Estados Unidos, atendendo quatro destinos no país: Brasília, Manaus, Rio de Janeiro e São Paulo, com mais 59 voos semanais. 

American Airlines Group (NASDAQ: AAL) é a holding da American Airlines. Em conjunto com empresas parceiras regionais, operando como American Eagle, a American Airlines oferece uma média de, aproximadamente, 6.700 voos por dia para quase 350 destinos, em mais de 50 países. A American é membro fundador da aliança oneworld®, cujos membros e parceiros atendem a quase mil destinos com 14.250 voos diários para 150 países. Este ano, a American encabeçou a lista de melhores empresas em recuperação da revista Fortune e suas ações foram incluídas no S&P 500 index. Conecte-se com a American no Twitter @AmericanAir e no Facebook.com/AmericanAirlines.

quarta-feira, 12 de setembro de 2018

KSB BRASIL LANÇA BOMBA CHTR VANE ISLAND COM NOVA HIDRÁULICA PARA BAIXA VAZÃO E ALTA PRESSÃO.

A KSB Brasil, líder na fabricação de bombas hidráulicas, acaba de lançar no mercado brasileiro a bomba modelo CHTR Vane Island horizontal multiestágios bipartida radialmente, tipo BB5, fabricada de acordo com a API 610 11º Ed. 



O novo modelo foi lançado para atender as aplicações que geram demandas de baixa vazão com alta pressão, complementando a linha KSB CHTR. Esta linha de produto foi projetada para aplicações no segmento industrial, como refinarias, indústrias químicas, alimentação de água de caldeira e geração de vapor.

“O diferencial desta bomba com hidráulica projetada de acordo com os padrões globais de desenvolvimento da KSB é atender demandas de baixas vazões com altas pressões. Robusta, traz flexibilidade na hidráulica para contribuir com extenso campo de aplicações, graças à intercambiabilidade de rotores e difusores, rotores com sucção simples ou dupla, estágios cegos e extrações que permitem a utilização da mesma bomba em condições de operação futuras distintas”, diz Edison Borges, gerente de Vendas da KSB Brasil.

A CHTR Vane Island atende a uma faixa de vazão de 5 a 25 m³/h, altura manométrica até 1.500 m, suporta temperatura de até 400ºC, pressão de sucção até 30 bar, pressão de descarga até 250 bar e rotação até 6800 rpm. Com carcaça robusta tipo barril e com caixa de selagem também em conformidade com a API 610, a CHTR Vane Island possui mancal radial com rolamento de rolos, mancal de escora com rolamento de contato angular de esferas, pistão de equilíbrio para forças axiais agindo diretamente no conjunto girante. Todas as classes de materiais API 610 estão disponíveis na novidade da KSB.

A nova CHTR Vane Island traz flanges conforme ASME B 16.5 com cargas nos bocais atendendo aos requisitos da API 610, com diversas opções de posição dos bocais de sucção e descarga para atender ao layout da instalação. A linha CHTR tem projeto de simples manutenção, sem necessidade de desconectar os flanges de sucção e descarga para realizar manutenção ou inspeção nas partes internas da bomba, remoção rápida do cartucho completo e selos mecânicos tipo cartucho conforme API 682. 

Visite: www.ksb.com.br.

BAYER ANUNCIA NOVAS LIDERANÇAS NO BRASIL.

Após a conclusão da aquisição global da Monsanto, tornando a Bayer a maior empresa do agronegócio mundial, a companhia comunica que, a partir de setembro de 2018, o espanhol naturalizado brasileiro Marc Reichardt é o novo presidente da Bayer no Brasil, e o paulista Gerhard Bohne o novo presidente da divisão agrícola no país. Ambos possuem uma consolidada e experiente trajetória no Grupo Bayer na área da agricultura e nutrição.


Anteriormente, Marc Reichardt era membro do Conselho Executivo da divisão Crop Science da Bayer, na Alemanha, responsável mundial pelas Operações Comerciais Agrícolas. No Brasil, atuou como diretor de Operações da divisão agro entre 2006 e 2013. Na Bayer há 33 anos, Marc é formado em Engenharia Agronômica pela Escuela Técnica Superior de Ingenieria Agraria, na Espanha. "É uma grande honra assumir a presidência do Grupo Bayer no Brasil nesse momento tão especial e relevante para a companhia. Com a aquisição da Monsanto, o Brasil tornou-se o segundo maior mercado e país para a empresa no mundo. Temos desafios interessantes pela frente, mas com nossa equipe de profissionais talentosos e dedicados, estou muito confiante e otimista que construiremos um futuro brilhante para a empresa, para nossos clientes e para o nosso país", explica o novo presidente da Bayer no Brasil, relembrando que a Bayer foi uma das primeiras empresas alemãs a se instalar no país.  "A Bayer está há mais de 120 anos no Brasil e acredita fortemente no potencial do país, oferecendo um portfólio robusto, inovador e completo em proteção de cultivos, sementes e biotecnologia", completa Marc.


Com mais de 30 anos de atuação no grupo, Gerhard Bohne ocupou diversas posições nas áreas de Regulatório, Pesquisa, Desenvolvimento, Marketing e Operações. Em 2015, tornou-se diretor Global de Marketing, dentro da estrutura de Operações Comerciais, na Alemanha. Retornou ao Brasil no início de 2017 como Chief Operation Officer (COO) da divisão Crop Science. O executivo é formado em Engenharia Agronômica pela Universidade Estadual de Botucatu (UNESP). "Em 2017, o investimento global da Bayer em Pesquisa e Desenvolvimento foi de € 4,5 bilhões. Eu acredito que os próximos anos serão um período muito promissor para a agricultura brasileira com novas tecnologias e lançamentos de soluções para o campo. Nosso foco permanecerá sendo nos clientes, na ética, na inovação e na sustentabilidade.", enfatiza Gerhard Bohne, presidente da divisão Crop Science da Bayer no Brasil.

A Bayer é uma empresa global com competências em Ciências da Vida nas áreas de agricultura e cuidados com a saúde humana e animal. Seus produtos e serviços são desenvolvidos para beneficiar as pessoas e melhorar sua qualidade de vida. Além disso, a companhia objetiva criar valor por meio da inovação. A Bayer é comprometida com os princípios do desenvolvimento sustentável e com suas responsabilidades sociais e éticas como uma empresa cidadã. Em 2017, o Grupo empregou cerca de 99 mil pessoas e obteve vendas de € 35 bilhões. Os investimentos totalizaram € 2.4 bilhões e as despesas com Pesquisa & Desenvolvimento somaram € 4.5 bilhões 

Bayer – Comunicação Brasil. 
JeffreyGroup Brasil.

Leia> O Brasil Sobre Rodas.

terça-feira, 11 de setembro de 2018

HELIBRAS AMPLIA OFICINA DE CONJUNTOS DINÂMICOS EM ITAJUBÁ E AUMENTA COMPETITIVIDADE.

A Helibras inaugurou neste ano uma oficina de Conjuntos Dinâmicos em sua fábrica de Itajubá (MG). O espaço agora conta com 860 m² de área produtiva, um grande aumento comparado ao espaço anterior: 490 m². A área industrial otimizada é exclusiva para atividades de Manutenção, Reparos e Operações (MRO). A mudança coloca a Helibras como forte player no mercado mundial de MRO Conjuntos Dinâmicos e trará ainda mais competitividade ao setor.

Entre as novidades, destaca-se o processo de decapagem mecânica, os equipamentos para limpeza de componentes, nova cabine de pintura e sistema digital para acompanhamento de processo.

O objetivo da nova organização foi reduzir o ciclo dos serviços e custos operacionais, aumentar o desempenho da oficina e também a satisfação do cliente. Para este projeto, a empresa focou na criação de um layout onde o fluxo produtivo fosse ainda mais claro e definido, separando os espaços conforme as fases do processo de trabalho. Todos os procedimentos relacionados a MRO de Conjuntos Dinâmicos estão agora em um mesmo local, diminuindo em mais de 85% a movimentação de componentes dentro da empresa.

"A Airbus tem padronizado todos seus centros de serviços ao redor do mundo para que estejam no mesmo nível de eficiência de processo, visando o reforço da segurança operacional e o aumento de qualidade e satisfação do cliente. Ampliamos nossa capacidade para poder atender ainda mais clientes na América Latina", afirma Alberto Duek, Vice-Presidente de Operações da Helibras. Com a padronização, oportunidades de melhoria foram detectadas para alinhamento com as melhores práticas do mercado no mundo. A área implementou processos ainda mais modernos visando também a redução dos impactos ambientais.

JeffreyGroup Brasil.

Leia> O Brasil Sobre Rodas.

sexta-feira, 7 de setembro de 2018

CASA DA MÃE JOANA.
Por Marli Gonçalves*

É FOGO. É FACA. ZUNE NO AR A PALAVRA.


"O brilho cego de paixão e fé, faca amolada". As palavras podem ser tão cortantes quanto uma traiçoeira faca, que também nos atravessou – a todos - numa ensolarada tarde em Minas Gerais. Uma semana que jamais será esquecida, e que botou fogo em um museu, numa história, e criou uma outra que será levada adiante muito tempo, todas transmitidas ao vivo.

As pessoas estão tão loucas nesse nosso tropical país que não bastou o atentado a Jair Bolsonaro praticamente ser transmitido ao vivo, registrado por inúmeras câmeras de celulares, em detalhes e vários ângulos. Elas queriam ver o sangue, vermelho, muito sangue, como veem nos filmes – aquele ketchup que jorra nas paredes. Então, muitas duvidaram. Duvidaram. Duvidaram durante horas, mesmo com informações minuto a minuto sobre a gravidade do ocorrido. Aquela gigantesca faca que um ser brandiu e enfiou 12 centímetros no candidato e na democracia, ferindo-a e expondo – ainda mais – as suas delicadas entranhas.

As chamas, as labaredas do fogo que consumiu objetos e detalhes milenares guardados no Museu Nacional do Rio de Janeiro, ainda fumegavam, mostrando um outro lado do descaso, da incompetência, da barriga que empurra, da corda rota que se estica até que rompa, dando vazão a todo mal que seguravam. Nem os deuses e divindades gregas personificados em imponentes e trágicas estátuas que do alto do telhado daquele Palácio a tudo observavam, do nada que restou de seu interior, e que como que estranhamente protegeram a casca do Museu, nem o próprio Oráculo de Delfos, creio, poderiam prever mais fatos dessa longa semana.

É a desordem, mais do que algo fora da ordem, estamos mesmo em um país com os nervos à flor da pele, caótico, dividido, raivoso. Do fogo e da faca surge a ignorância total, o desconhecimento e a falta de compromisso com a lógica e com a verdade, coisas sobre a qual ficamos evitando falar para não parecermos uns melhores do que os outros.

É mais séria do que poderíamos prever, no entanto, a situação. Muito além do frigobar instalado com fios desencapados no quarto do imperador, que o diretor do museu fez de seu para gabinete. Além dos pedaços de reboco que caiam tentando alertar, calados apenas por espaços e portas fechadas ao público, como vendas nos olhos. Quantas situações parecidas acompanhamos ainda silenciosos? Quantas ainda serão reveladas?

Na política, o fogo das paixões, o caldeirão fervendo, a água derramando, e uma incompetente escolta policial veio à luz no brilho da lâmina brandindo à luz do dia e em meio a uma multidão. Não consigo deixar de ironizar a cada vez que ouço falar em "inteligência" seja nesta ou em qualquer investigação. Andava observando que em todas as aparições o candidato que se fez pela truculência aparecia cercado de brucutus muito assemelhados inclusive à velha e terrível imagem da supremacia branca: caras enfezadas, postura agressiva, seguranças particulares, seguidores da doutrina da bala, do armamento. Mas como tudo parece apenas virtual...

Entretanto, a realidade é sempre cruel. Ironia ter sido uma faca, não uma bala. Não há muito o que pensar se o autor é ou não desequilibrado mental. Parece óbvio que não é inteligente, autor de um atentado estudado, planejado, pelo menos não por profissionais. Preso na hora, sortudo por não ter sido linchado, é o exemplo da disseminação do ódio nas redes sociais, estimulado pelos dois lados dessa corda, os dois extremos. Queria matar, parece que sim. Queria ficar famoso? Quem mais?

Agora é acompanhar a saga médica, que começou estrondosa. Salvo da morte que se apresentou com sua foice, pela equipe de Juiz de Fora, em horas já ocorreram conflitos de equipes dos dois hospitais que disputavam, de São Paulo, o show em que já se transformou essa recuperação, essa eleição, e tudo o que virá em seguida.

Vídeos, fotos, gravações e declarações dispensáveis feitas de dentro de uma UTI. Boletins anódinos. Desfile de visitas que se apresentam à imprensa que dormirá nessa porta durante dias. Cobri a permanência de Tancredo Neves no Incor há 33 anos e vejo a exata repetição.

Como já relatado por comentaristas, os nove segundos que o candidato contava agora viraram 24 horas diárias, sete dias da semana. Talvez alguns anos para todos nós. 

Nosso destino mais uma vez se desenrola de dentro de uma UTI..

Brasil, 2018







* Marli Gonçalves, jornalistaÉ fogo na roupa. Fé cega, faca amolada. Agora não pergunto mais pra onde vai a estradaTenho um blog. Divertido e informante ao mesmo tempo, no marligo.wordpress.com. Estou no Facebook e no Twitter. Visite o "Chumbo Gordo": www.chumbogordo.com.br.  e-mails: marli@brickmann.com.br e marligo@uol.com.br.


Leia> O Brasil Sobre Rodas.