sexta-feira, 10 de julho de 2020

CASA DA MÃE JOANA.
Por Marli Gonçalves*

PERGUNTAS QUE FAÇO



Como você está? Nesses mais de cem dias, que parecem séculos, de quarentena e isolamento social, tanta coisa mudou, tantas coisas ficaram para trás, por imediatamente consideradas desimportantes ou por terem se tornado impossíveis até de se pensar sobre elas. Muitos sentimentos se misturam, e isso é muito pessoal, individual, chega a ser solitário.


Como você está? Tem ficado meio paranoico com limpeza? E os sonhos/ pesadelos estão bem loucos? Ouviu falar que isso está acontecendo com todo mundo? Tem conseguido tomar decisões? Pensar no futuro? Acha que o mundo vai mesmo mudar – para melhor ou pior – depois de tudo isso? Tem tido oscilações de humor, otimismo, que parecem montanha russa, e é obrigado a disfarçar, o que piora ainda tudo mais? Está tudo meio descontrolado? Horários, trabalho, disposição, pensamentos, desejos, inclusive sexuais? Do que sente falta?

Tem encontrado prazer em fazer coisas corriqueiras como cozinhar, jardinagem, séries de tevê, filmes B, comédias românticas que arrancam lágrimas, novelas velhas sendo repetidas? O meu cúmulo, confesso, se deu quando me peguei essa semana arrumando as roupas para secar no varal como se fosse arte para uma foto, tudo esticadinho, cor com cor, calcinhas de um lado, meias de outro, tudo equilibrado.

Enfim, o melhor e mais seguro lugar do mundo passou a ser sua casa e cada vez que tem de sair sofre? Incorporou a máscara? Fica muito exasperado quando encontra alguém ou sem ela, ou com ela no queixo, no braço, no pescoço, pendurada na orelha ou pendurada no retrovisor do carro? E as jogadas nas ruas? Fica perplexo e desiludido com a humanidade ao saber das aglomerações, festas, verdadeiros desafios e focos de contaminação?

Como você está? – pergunto novamente. Dizem que fazer testagem mais completa seria bom, mas já viram os preços? E as dificuldades impostas para consegui-los em postos de saúde ou com os convênios médicos? Os testes rápidos viraram febre, mas têm questionados sua eficácia real, a história do falso positivo, falso negativo.

Pelo que estou vendo, somos normais. Está acontecendo e é geral essa que pode ser chamada angústia, mas é até mais do que isso.

Lidamos com medos o tempo inteiro em nossas vidas, mas parece que desta vez esse sentimento mundial, a possibilidade de morte tão próxima de nós e de quem amamos, ou mesmo de quem apenas sabemos, uma morte besta, por um vírus microscópico, invisível, aéreo, feio e cheio de pontas, nos tornou mesmo outras pessoas. Para o bem e para o mal, que tem gente para caramba se dando bem, e aproveitando para abrir o saquinho de maldades, roubar, deixar passar a boiada em algum assunto.

Como você está? – insisto. 70 mil mortes no país, número oficial, e que pode ser ainda muito maior. Difícil não ter sido atingido de alguma forma, no mínimo por um terrível sentimento de impotência. Ou, pior, pela perda de alguém querido, um familiar, um alguém que lhe era importante. Essa semana perdi um grande e admirado amigo, mestre de décadas: o escritor, teatrólogo e pessoa boa Antonio Bivar. Ficaria horas falando sobre ele. E bem. Um garoto de 81 anos que flanava pela vida da forma mais simples que pode haver, caminhando nas ruas, sentindo o ar, ouvindo as pessoas, se enternecendo por suas histórias, acompanhando-as em suas pequenas vitórias.

Me senti dividida entre sentimentos difíceis de serem descritos, além da tristeza. O alívio de quem não queria que ele sofresse mais numa cama da UTI. Raiva, muita, por esse vírus levar embora ele e tanta gente boa com ainda tanto a fazer, produzir, acrescentar. Dúvidas, ouvindo números assustadores e a reabertura das porteiras, lojas, atividades, de uma forma um bocado confusa. Pavor, por encontrar nas ruas muitos que parecem ainda não se dar conta do quanto pode ser terrível essa doença e que ninguém, ninguém mesmo, sabe se está entre estes que sucumbirão, ou ficarão com sequelas, ou se terão apenas sintomas leves, ou mesmo nem isso – apenas poderão transmitir; deixá-lo, traiçoeiro, onde tocarem, por exemplo.

Fora, enfim, estarmos governados por um presidente, agora infectado, como até parece ter sido, mas que ninguém põe a mão no fogo por conta de tantas mentiras já contadas, e que ainda insiste em propagandear um perigoso medicamento que mandou produzir aos milhões.

Eu teria muitas perguntas ainda a fazer sobre como estamos nos sentindo em vários aspectos, e certa de que estaria ouvindo você responder: "eu também". Mas não temos outro jeito por enquanto a não ser enfrentar nossos medos, nossas tristezas e, especialmente, essa máquina louca de pensamentos só nossos e que às vezes nos pega tão sozinhos os combatendo, os afastando, mas eles teimam em voltar, voltar...

Marli Gonçalves. 
Jornalista, consultora de comunicação, editora do Chumbo Gordo, autora de Feminismo no Cotidiano - Bom para mulheres. E para homens também, pela Editora Contexto. À venda nas livrarias e online, pela Editora Contexto e pela Amazon.
Me encontre, me siga, juntos somos mais.
marligo@uol.com.br
marli@brickmann.com.br

Leia> O Brasil Sobre Rodas

CUMMINS ANUNCIA JOINT-VENTURE COM A NPROXX PARA ARMAZENAMENTO DE HIDROGÊNIO


A Cummins Inc., líder global em soluções de tecnologia e de energia, fez um acordo para formar uma joint-venture com a NPROXX, líder em armazenamento e transporte de hidrogênio, para tanques de acondicionamento deste elemento químico. A joint-venture continuará com o nome NPROXX.

“Estamos entusiasmados por combinar a experiência, a inovação e o compromisso da Cummins para o sucesso do cliente com as principais tecnologias de armazenamento de hidrogênio da NPROXX”, diz Tom Linebarger, presidente e CEO da Cummins Inc.

Ainda de acordo com o CEO, “para evoluir em direção a um futuro descarbonizado, o mundo exigirá várias soluções de energia, incluindo Diesel avançado, gás natural, eletrificação, células de combustível, híbridos etc., e a Cummins está comprometida em liderar o caminho e ser o fornecedor número 1. A adição de armazenamento de hidrogênio às nossas capacidades existentes na produção deste elemento químico e células de combustível nos permite acelerar a viabilidade e adoção dessas tecnologias nos diversos mercados”.

A joint-venture é uma das várias ações tomadas no ano passado pela Cummins para aprofundar os recursos da empresa em tecnologias de produção de células de combustível e hidrogênio. Além disso, fornecerá aos clientes produtos de armazenamento de hidrogênio e gás natural comprimido para aplicações em rodovias e ferrovias e contribuir para o rápido crescimento da capacidade de hidrogênio da Cummins.

A aquisição da Hydrogenics Corporation em setembro de 2019 forneceu à Cummins membranas de troca de prótons (PEM) e células de combustível para gerar hidrogênio. A Cummins também investiu na LOOP Energy, assinou um memorando de entendimento com a Hyundai Motor Company e investiu no desenvolvimento de células de combustível de óxido sólido.

“A Cummins tem mais de 2 mil instalações de células de combustível em uma variedade de aplicações dentro e fora da estrada, além de mais de 500 instalações de eletrolisadores. Seguimos aumentando nossas capacidades em tecnologias de células de combustível, e essa parceria com a NPROXX é outro passo adiante. Estamos ansiosos por fazer uma parceria estreita com eles, enquanto trabalhamos para fechar esta transação”, continua Linebarger.

“A equipe da NPROXX está entusiasmada para trabalhar com a Cummins para oferecer as melhores opções de armazenamento de hidrogênio. A parceria permitirá que nossos clientes desfrutem de todo o potencial que o hidrogênio é capaz de oferecer”, afirma Rainer vor dem Esche, diretor administrativo da NPROXX.

A Cummins e a NPROXX terão 50% de participação cada na joint venture. A formação da empresa está sujeita a aprovações regulatórias e outras condições. As partes esperam que a transação seja concluída até o final do primeiro trimestre de 2021. Os resultados não consolidados da joint venture serão incluídos como parte do segmento de negócios New Power da Cummins.

Cummins Inc.


A Cummins Inc., líder global em energia, é uma corporação de segmentos de negócios complementares que projetam, fabricam, distribuem e atendem a um amplo portfólio de soluções de energia. Os produtos da empresa variam de diesel, gás natural, powertrain elétrico e híbrido e componentes relacionados, incluindo filtragem, pós-tratamento, turbocompressores, sistemas de combustível, sistemas de controle, sistemas de tratamento de ar, transmissões automatizadas, sistemas de geração de energia elétrica, baterias, sistemas de energia eletrificada, geração de hidrogênio e produtos de células de combustível. Sediada em Columbus, Indiana (EUA), desde a sua fundação em 1919, a Cummins emprega aproximadamente 61.600 pessoas comprometidas em impulsionar um mundo mais próspero por meio de três prioridades globais de responsabilidade corporativa críticas para comunidades saudáveis: educação, ambiente e justiça social. A Cummins atende seus clientes on-line, por meio de uma rede de distribuidores independentes e de propriedade da empresa e por milhares de revendedores em todo o mundo. Faturou cerca de US$ 2,3 bilhões em vendas de US$ 23,6 bilhões em 2019. Veja como a Cummins está impulsionando um mundo sempre ativo acessando boletins de notícias e mais informações em https://www.cummins.com/always-on.

NPROXX


A NPROXX é líder global no projeto, desenvolvimento e fabricação de vasos de pressão Tipo 4 para o armazenamento de hidrogênio sob alta pressão. Com 40 anos de experiência em produtos e sistemas de polímero reforçado com fibra de carbono (CFRP) em vários setores, a NPROXX fornece sistemas de tanques compostos e soluções personalizadas para aplicações de armazenamento de hidrogênio: transporte e armazenamento (500 bar, 950 bar), veículos pesados, ônibus e navios (350 bar) e automotivo (700 bar). Mais informações podem ser encontradas em na página de notícias e estudos de caso em https://www.nproxx.com/news-and-case-studies.

Cummins Brasil


A Cummins Brasil é uma corporação de unidades de negócios complementares que projetam, fabricam, distribuem e prestam serviços a um amplo portfólio de soluções de energia. Os produtos da empresa variam de motores movidos a diesel e gás natural a plataformas híbridas e elétricas, além de tecnologias relacionadas, incluindo sistemas de baterias, sistemas de combustível, controles, tratamento de ar, filtragem, soluções de emissão e sistemas de geração de energia elétrica. Presente no país desde 1974, atende diversos segmentos do mercado, entre caminhões de todos os portes, pickups, ônibus, aplicações estacionárias, máquinas de construção, equipamentos agrícolas, máquinas para mineração e aplicações marítimas. Sua principal unidade fabril está localizada no município de Guarulhos (SP), onde estão as áreas de motores, geradores, turbos e soluções de emissões. E em Bonsucesso, a unidade de filtros. Para mais informações sobre a Cummins Brasil, acesse www.cummins.com.br.

quinta-feira, 9 de julho de 2020

FCA ULTRAPASSA MARCO DE 3.000 RESPIRADORES PRODUZIDOS NA ITÁLIA


Em apenas três meses, o marco de 3.000 respiradores produzidos para a resposta à emergência de saúde pública do Covid-19 foi alcançado e ultrapassado na Itália. Esta é uma conquista extraordinária para a cooperação entre a FCA, o Departamento de Proteção Civil italiano, seu Comissário Especial para o surto de coronavírus Domenico Arcuri e a Siare Engineering, com sede em Valsamoggia (perto de Bolonha) - a única empresa na Itália que produz esses dispositivos médicos elétricos específicos. O projeto foi liderado por Giuseppe e Gianluca Preziosa da Siare; pelos funcionários italianos da FCA sob o comando de Luigi Galante, Head de Manufatura de Marcas Premium da FCA para a região EMEA; por Ennio Meccia, diretor de Engenharia de Manufatura da FCA para a região EMEA; e por Carlo Di Giacomo, diretor da planta de Cento, perto de Bolonha, na Itália.

Antes do início da pandemia, a produção mensal da Siare Engineering era de cerca de 125 máquinas. Com base no know-how de produção e gerenciamento da divisão de Engenharia de Manufatura da FCA na região EMEA – baseados nos métodos WCM (World Class Manufacturing) - o negócio foi repensado. Com a assistência de todas as partes envolvidas, a produção passou de 8 para 80 unidades por dia.


Uma força crucial na nova organização de trabalho foi a possibilidade de fabricar válvulas solenoides - o “coração pulsante” de um respirador - na fábrica da FCA de Cento, uma joia na produção de motores de alto desempenho para todos os mercados do mundo. Ao mesmo tempo, foi encontrada uma solução tecnológica ideal para adaptar a linha de produção nos laboratórios da Siare Engineering, em Bolonha, para as válvulas solenoides produzidas pela unidade de Cento. Com o incentivo de todas as partes envolvidas na operação, a produção das válvulas solenoides na planta da FCA resultou em uma redução de pelo menos 30 a 50% no tempo necessário para produzir um dispositivo acabado na fábrica de Valsamoggia.

Fiat Chrysler Automóveis

Leia> O Brasil Sobre Rodas

INDRA REALIZA VOO PIONEIRO COM DRONE DE 1,25 TONELADA

Intitulada Targus, a aeronave facilitará o trabalho de atender missões de vigilância, combate a incêndios e colaborar em operações de busca e salvamento. Com o êxito dos testes realizados na Espanha, a aeronave agora migra para a fase final de aprovações.



A Indra, empresa global de consultoria e tecnologia, e a Gaerum, companhia de engenharia e aeronáutica, realizaram um fato pioneiro: conseguiram colocar no ar com sucesso um drone opcionalmente tripulado (OPV, na sigla em inglês) de 1,25 toneladas e 11 metros. O êxito foi obtido em uma série de voos experimentais, realizados em espaço aéreo não segregado.

Para obter sucesso, as companhias projetaram o drone de modo que tivesse espaço (opcional) para um piloto dentro da aeronave. Durante os testes, um piloto esteve presente no Targus e se encarregou para realizar a manobra de decolagem para que, uma vez no ar, pudesse ceder à estação de controle em terra o comando da aeronave.

A fim de assegurar a máxima segurança para todos, os engenheiros da Indra e Gaerum se encarregaram de verificar que todos os sistemas de controle de voo e sensores funcionaram corretamente. Além disso, foi estabelecido um protocolo especial de comunicação com o controle aéreo do aeroporto de Santiago de Compostela a respeito da aeronave.

Os testes foram realizados na Espanha e representam um marco bastante significativo, já que nenhum outro Veículo Aéreo Não Tripulado (VANT) havia obtido permissão antes para realizar voos como estes anteriormente. Ambas as companhias acreditam que se trata de um passo importante para trazer cada vez mais inteligência e tecnologia ao setor.

Com o êxito, o projeto migra agora para a última fase a fim de completar o desenvolvimento do veículo com pilotagem opcional (OPV, na sigla em inglês). A ideia é que, ainda este ano, o Targus possa ser reconhecido como a aeronave mais eficaz e avançada para realizar missões de vigilância e salvamento marítimo, controle de áreas de pesca, proteção ambiental, detecção de derramamentos no mar, controle do uso do solo, do patrimônio e apoio na luta contra as queimadas.

Indra 


A Indra é uma das principais empresas globais de tecnologia e consultoria e parceira de tecnologia para as principais operações comerciais de seus clientes em todo o mundo. É uma fornecedora líder global de soluções próprias em segmentos específicos dos mercados de Transporte e Defesa e uma empresa líder em transformação digital e consultoria em Tecnologia da Informação na Espanha e na América Latina através de sua subsidiária Minsait. Seu modelo de negócios é baseado em uma oferta abrangente de seus produtos próprios, com uma abordagem de ponta a ponta, alto valor e um componente de alta inovação. No final do exercício de 2019, a Indra alcançou receitas de 3.204 milhões de euros, mais de 49.000 funcionários, presença local em 46 países e operações comerciais em mais de 140 países.

Presente no Brasil desde 1996, a Indra é uma das principais companhias de tecnologia e consultoria do país. Conta com mais de 8.500 profissionais, escritórios distribuídos nos principais estados brasileiros e quatro Centros de Produção. A companhia faz parte de alguns dos projetos mais inovadores para o desenvolvimento econômico e tecnológico do Brasil nos setores de Transporte & Defesa e de Tecnologia da Informação (TI), os quais estão agrupados em sua filial Minsait.

quarta-feira, 8 de julho de 2020

RENAULT DO BRASIL PARTICIPA DA CONSTRUÇÃO DAS “ROTAS DIVERSIDADE E LONGEVIDADE 2035”


Material conta com um livro e um roadmap elaborados pelo Centro de Inovação Sesi em Longevidade e Produtividade com foco nos temas “Diversidade e Inclusão” e “Longevidade”


Na última semana, ocorreu o lançamento das “Rotas Diversidade e Longevidade 2035”, material composto por um livro e um roadmap que apresentam direcionamentos para construir ambientes corporativos mais igualitários e que ofereçam oportunidades para todos. A Renault colaborou com o desenvolvimento do material que contou com a participação de especialistas de diversas organizações e foi elaborado pelo Centro de Inovação Sesi em Longevidade e Produtividade.

Para iniciar os estudos e a elaboração do conteúdo, foram realizados dois painéis, voltados para os temas Diversidade e Inclusão, e Longevidade. O material final contém um detalhamento das ações propostas para cada um dos temas, levando em consideração a situação atual, fatores críticos e possíveis visões de futuro para cada uma das duas áreas.

“O conteúdo e a temática abordadas são extremamente relevantes para o momento que vivemos, em uma sociedade de constante transformação. Diversidade, inclusão e longevidade são temas atuais que precisam estar cada vez mais presentes nos debates, seja nas organizações ou em nosso dia a dia”, comenta Fernanda Stocco, gerente de comunicação da Renault do Brasil e especialista participante no tema Diversidade.

Na área de Diversidade e Inclusão, foram 25 especialistas envolvidos; 111 planos consultados; e 127 ações consolidadas. Já na área de Longevidade, foram 29 especialistas envolvidos; 50 planos consultados; e 142 ações consolidadas.

“As Rotas da Longevidade e Diversidade fortalecem a indústria e a sociedade, trazem luz ao tema e revelam ações consistentes de inclusão. As Rotas pretendem inspirar e contribuir no planejamento e execução de novas iniciativas transformadoras. A participação da Renault na construção deste trabalho foi muito relevante e significativa trazendo os propósitos de uma empresa que valoriza o tema e que se dedica a construção de uma sociedade mais inclusiva e igualitária”, aponta Maria Cristhina de Souza Rocha, gerente de Projetos Estratégicos do Sistema Fiep.



Diversidade na Renault do Brasil


A diversidade é um fator crucial para o Groupe Renault, que promove e valoriza a inclusão entre diferentes perfis e personalidades nas equipes.

No último ano, a Renault do Brasil recebeu o troféu ouro no prêmio WEPs – Empresas Empoderando Mulheres, iniciativa baseada nos Princípios do Empoderamento das Mulheres (Women’s Empowerment Principles), que reconhece empresas com o empoderamento das mulheres e equidade de gênero.

Desde 2010, a Renault conta com o grupo Women@Renault, que realiza ações focadas em promover um ambiente inclusivo, que respeite a diversidade, e pautado pela equidade de gênero. Por meio desse grupo, a Renault atua no desenvolvimento de projetos para fomentar a diversidade dentro da empresa, tornando as mulheres cada dia mais protagonistas de suas carreiras.

Também em 2019, a Renault do Brasil conquistou o prêmio AB Diversidade, desenvolvido pela Automotive Business em parceria com a MHD Consultoria, que reconheceu organizações que promovem ambientes mais plurais e inclusivos.

Além de patrocinar e participar de vários fóruns e eventos de promoção da equidade de gênero, a Renault do Brasil é signatária da campanha mundial “He for She” (“Ele por Ela”), também promovida pela ONU, de engajamento na promoção dos direitos das mulheres. O Instituto Renault também é responsável por práticas que refletem a política inclusiva da empresa. Um exemplo é o projeto de apoio à Associação Borda Viva, que tem como um dos seus objetivos a capacitação e para a geração de renda das mulheres na comunidade de Borda do Campo, região de baixa renda de São José dos Pinhais (PR), onde está localizada a fábrica da Renault.

Centro de Inovação Sesi


Os Centros de Inovação SESI desenvolvem soluções em Saúde e Segurança no Trabalho (SST) com alto valor agregado para atender às necessidades da indústria brasileira. O objetivo principal é promover a saúde dos trabalhadores e aumentar a eficácia das práticas nas empresas.

Distribuídos em nove estados, os Centros de Inovação SESI trabalham, cada um, em uma temática de interesse da indústria: economia para saúde e segurança, ergonomia, estilo de vida e saúde, fatores psicossociais, higiene ocupacional, longevidade e produtividade, prevenção da incapacidade, sistemas de gestão em SST e tecnologias para saúde.

Renault do Brasil

Leia> O Brasil Sobre Rodas

CHUMBO GORDO.
Por Carlos Brickmann*

AGORA É NO GOGÓ 


É entusiasmante ouvir o superministro Paulo Guedes, o Posto Ipiranga da Economia: disse à CNN (a propósito, é bom acompanhar a CNN: tem feito um belo trabalho, com a divulgação de notícias exclusivas) que "o Brasil já está saindo do buraco", que as vendas para a China nos mantêm equilibrados, e que o Governo prepara quatro grandes privatizações no próximo trimestre.

É decepcionante acompanhar o destino de promessas anteriores. Há onze meses, Guedes apresentou lista de 17 estatais a ser vendidas de imediato. Há poucos dias, seu secretário especial de Desestatização, Salim Mattar, disse que o Governo quer privatizar ao menos doze estatais. Destas, seis estavam na lista do Posto Ipiranga, de empresas a vender imediatamente em 2019. E quando Mattar espera privatizá-las? Em 2021. Isso se não houver problemas. A julgar pela propaganda oficial, talvez haja: diz a propaganda que em 2015, final do Governo Dilma, as estatais davam enorme prejuízo, e agora, com um ano e pouco de Bolsonaro, dão bilhões de lucro. A propósito, não podemos esquecer o Plano Marshall (ou PAC 2) oficialmente anunciado: por sua concepção, vai precisar de estatais para tomar conta dele. E há ainda a aproximação do Governo Bolsonaro com o Centrão: o presidente precisa dos parlamentares para manter-se no cargo, e os parlamentares precisam de cargos para reeleger-se. Estatais, pois.

Prometer é fácil – tanto que Guedes, confiante na falta de memória, promete a mesma coisa várias vezes.

Como diria Tite...

Por falar em prometer, Guedes prometeu, em vídeo, que a aprovação da reforma tributária ocorrerá neste ano. Disse que o projeto está pronto para enviar ao Congresso e espera vê-lo aprovado em 90 dias. Mas o próprio Posto Ipiranga mostra que isso será muito difícil: gostaria, por exemplo, de propor um Imposto sobre Valor Agregado (IVA) de 10 ou 11%, mas para isso precisaria ter a "tributação digital" (imposto sobre movimentação bancária), "e infelizmente o Congresso interditou esse debate". No Congresso, diz, há propostas de IVA de até 30%, que, a seu ver, "quebra o comércio e o setor de serviços". Como se vê, um debate difícil (e longo). Bolsonaro já disse que é contra a tal "tributação digital", identificadíssima com a velha CPMF.

Como debater com o Congresso sem apoio do Executivo? Indo mais longe: em novembro há eleições municipais, e o Congresso se esvazia. Depois das eleições, vêm as festas de fim de ano. Retoma-se o trabalho no ano que vem.

...fala muito!

Mas imaginemos que tudo fique prontinho a tempo de ir ao Congresso e torcer pela aprovação neste ano. A reforma administrativa de Guedes está pronta e com Bolsonaro desde meados de fevereiro. De lá não saiu até hoje.

O importante é ter saúde

O presidente Bolsonaro estar com coronavírus é algo a se lamentar. Saúde é o que todos devem desejar-lhe, sejam favoráveis ou contrários a ele. A vida de um ser humano, já ensinava o pastor John Donne há mais de 500 anos, é parte da vida de toda a Humanidade. E a quem o acuse de debochar da grave doença, um lembrete: se Bolsonaro errou, seja diferente, não repita este erro.

A volta do general

Lembra-se do general Santos Cruz, amigo de Bolsonaro, afastado do cargo de ministro-chefe da Secretaria de Governo depois de uma guerra que lhe foi movida pelos seguidores de Olavo de Carvalho, entre eles pelo menos um dos filhos do presidente? Santos Cruz está de volta, com disposição para briga. Abriu processo contra Olavo de Carvalho, o guru da "ala ideológica" do bolsonarismo, e dois militantes, acusando-os de ofensas nas redes sociais. Pede indenizações que, somadas, atingem R$ 140 mil, e irão para instituições de caridade. As investigações passarão, informa, pelo entorno de Bolsonaro.

Família é entorno?

Flávio, o filho 01, Carluxo, o 02, Eduardo, o 03, enfrentam problemas que podem levá-los a julgamento. Santos Cruz não quer que ninguém lhe peça perdão, mas garante que não vai transigir. "Vou até o fim", disse à revista Época, "com qualquer consequência. Não é só pela honra pessoal. É funcional também. Eu era ministro! Quem é que tem a ousadia de fabricar um documento grotescamente falso e fazer chegar ao presidente da República? É crime. É uma ousadia, porra! Quero saber como isso chegou ao celular do presidente. Quem enviou?"

O presidente recebeu mensagens de WhatsApp atribuídas a Santos Cruz em que teria se referido desrespeitosamente a ele. Completa o general: "Esses vagabundinhos que fizeram isso foram tão amadores que sequer checaram que na hora da falsa mensagem eu estava em voo. São amadores, para minha sorte." E para azar do presidente, que também não verificou esse pequeno detalhe.

Questão de utilidade

O Gabinete de Segurança Institucional não verifica currículos. Nem mensagens. Ou não é acionado para isso. Em qualquer caso, qual sua função?

Carlos Brickmann é Escritor, Jornalista e Consultor, diretor da Brickmann & Associados Comunicação
Leia o Chumbo Gordo, informação com humor, precisão e bom. 
Assine a newsletter: chumbogordo.com.br
carlos@brickmann.com.br

terça-feira, 7 de julho de 2020

TRANSMITIDA VIA LIVE, 9ª EDIÇÃO DA PIZZA SOLIDÁRIA VAI ARRECADAR VERBA PARA O HOSPITAL CRUZ VERDE

Nesta quinta-feira, 09 de julho, acontece a 9ª edição da Pizza Solidária. O evento é uma ação especial para arrecadar fundos para o Hospital Cruz Verde, referência no tratamento de paralisia cerebral grave na América Latina. Capitaneada pelo jornalista e apresentador Flávio Prado e pelo ex-jogador de futebol Juninho Paulista, a ação contará com a participação especial de apresentadores, jogadores e ex-jogadores de futebol.



Nos anos anteriores, eles foram convidados para atuar como garçons por uma noite. Mas, neste ano, como o evento foi adaptado para manter o isolamento social, os pedidos serão entregues por delivery. Enquanto as pessoas saboreiam sua pizza em casa, Flávio Prado e Vampeta comandam uma live com a participação virtual de outros ídolos do futebol.

A transmissão acontece pelo Canal de Youtube Rede Contínua, a partir das 20h. Entre as atrações confirmadas estão os ex-jogadores Basílio, Neto, Oscar, Rivelino e Zico, o técnico Tite e o apresentador Carlos Alberto de Nóbrega.

As encomendas devem ser realizadas pelo telefone ou WhatsApp da Pizza Paulista 10, tradicional pizzaria do bairro do Tatuapé, em São Paulo. Além da arrecadação de verba com a venda dos alimentos e bebidas, um link será disponibilizado para quem quiser realizar doações em dinheiro.

Há 61 anos, o Hospital Cruz Verde trata de pacientes com sérias lesões neurológicas e agravos clínicos associados. A instituição recebe recursos públicos que cobrem cerca de 60% de suas despesas, e o restante é arrecadado por meio de doações e eventos solidários. “Nós atuamos com poucos recursos. Ações como essa são fundamentais para a manutenção do nosso trabalho e, mesmo em momentos complicados como este, contamos com o apoio de importantes parceiros como o Flávio Prado e o Juninho Paulista, que abraçaram a nossa causa”, conta Flavio Padovan, presidente do Hospital Cruz Verde.

SERVIÇO
9ª edição da Pizza Solidária em prol do Hospital Cruz Verde
Data: 09 de julho, quinta-feira
Horário: A partir das 20h
Live: Canal Oficial da Rede Contínua
Encomendas(Telefone e WhatsApp): 2098-1010 (As entregas serão realizadas por delivery para endereços com distância de até 10 km do estabelecimento, localizado no bairro do Tatuapé, em São Paulo)

Sobre o Hospital Cruz Verde


Fundado há 61 anos, o Hospital Cruz Verde é referência no tratamento de paralisia cerebral grave para a América Latina, e recebe recursos públicos que cobrem cerca de 60% de suas despesas. Para manter as atividades e atendimento de alta qualidade no Hospital e no Ambulatório, além da manutenção das salas de reabilitação, consultório odontológico e piscina aquecida, a Cruz Verde conta com outras formas de arrecadação por meio de doações e realização de eventos. O Hospital recebe pacientes com sérias lesões neurológicas e agravos clínicos associados. Na quase totalidade dos casos, os internos vêm de famílias com renda insuficiente e crianças abandonadas.

O Cruz Verde presta assistência integral, fornecendo alimentação com dietas específicas, medicamentos, vestuário, instalações apropriadas, equipamentos especiais e adaptados às necessidades de cada paciente, numa proposta de atendimento individualizado. O paciente tem acesso a uma equipe multidisciplinar que envolve neuropediatra, fisioterapeuta, terapeuta ocupacional, psicólogo, fonoaudióloga e algumas vezes professores especializados. O ambulatório realiza em média 8.000 atendimentos por ano através de consultas pré-agendadas, onde o paciente passa por uma triagem médica e multiprofissional para uma avaliação e a partir daí são estabelecidos os programas terapêuticos de cada área.


domingo, 5 de julho de 2020

AZIMUT YACHTS LANÇA TECNOLOGIA INÉDITA PARA OFERECER AR PURO A BORDO

O estaleiro global Azimut Yachts, com filial produtiva no Brasil, é o primeiro a escolher um sistema patenteado pela Nasa para renovar e higienizar o ar a bordo dos seus iates. Chamado de MMVS, a tecnologia será implantada nos novos modelos começando pelo Magellano 25 Metri.



Azimut Yachts introduziu um sistema inovador ao mercado náutico mundial chamado de MMVS. Com objetivo de proporcionar o melhor em termos de conforto, qualidade dos materiais a bordo e segurança, a tecnologia irá integrar os novos modelos da marca. Baseado na patente da Nasa e originalmente desenvolvido para uso em missões aeroespaciais para higienizar o ar, o primeiro iate com MMVS será o Magellano 25 Metri, um modelo notável do estaleiro italiano que será lançado em setembro durante o Cannes Yachting Festival.

“Azimut Yachts sempre monitora grandes pesquisas e avançadas tecnologias para oferecer aos clientes ao redor do mundo as melhores e mais seguras experiências a bordo”, destaca o CEO da Azimut Yachts no Brasil Davide Breviglieri.

“Durante o Cannes Yachting Festival, se tudo ocorrer dentro do previsto, pretendemos apresentar esta e outras inúmeras novidades aos nossos clientes da América Latina”, anuncia o diretor comercial da marca no Brasil Francesco Caputo.

Sistema de higienização e renovação de ar dentro dos iates


Produzido pela empresa italiana BCool Engineering, especialista na produção e comercialização de itens de conforto térmicos e energia a bordo, MMVC é um sistema “Split” centralizado através de dois decks, garantindo uma completa mudança de ar a cada hora.

Portanto, o ar no interior do barco está sempre na temperatura escolhida, além de ser continuamente purificado pela higienização segura, eficaz e abrangente dos dutos, das superfícies e dos componentes técnicos do ar-condicionado. O resultado final é ar fresco, limpo e higienizado, a uma temperatura condicionada constante, para os hóspedes respirarem a bordo.

Com base na tecnologia PCO™ (Photocatalytic Oxidation), o sistema imita e reproduz o processo que ocorre na natureza, explorando a ação combinada dos raios produzidos por uma lâmpada UV especial e uma estrutura catalítica, sem afetar a potência e o consumo do iate.

Pioneirismo no mundo náutico


A Azimut Yachts, a primeira empresa do setor a oferecer esse sistema em novos modelos, decidiu introduzir essa tecnologia em resposta a uma necessidade cada vez mais atual. A qualidade do ar que respiramos tem um impacto na qualidade das vidas. E, ao contrário da poluição atmosférica, que tem sido um foco de atenção há muitos anos, a necessidade de examinar mais detalhadamente a poluição em ambientes interiores emergiu apenas mais recentemente, principalmente devido à crescente quantidade de evidências científicas alarmantes que surgem sobre os impactos na saúde em razão desse fenômeno. A Azimut Yachts responde a uma necessidade crescente que reflete um novo estilo de vida cada vez mais saudável e natural.

Esse sistema inovador se une a uma longa lista de outras soluções que o Estaleiro apresentou de forma pioneira no mundo náutico - de estabilizadores giroscópios a sistemas de manobras por joystick, e desde a tecnologia de propulsão IPS e sistemas integrados de controle e monitoramento até o ajuste automático de compensação – confirmando a sua capacidade de antecipar necessidades e desejos de clientes em todo o mundo.

Azimut Yachts é uma marca do Grupo Azimut | Benetti. Com suas coleções Atlantis, Verve, Magellano Flybridge, S e Grande, oferece a maior variedade de iates de 34 a 120 pés. Está presente em 80 países por meio de uma rede de 128 centros de vendas e assistência, além de agências de representação e assistência direta em Xangai, Hong Kong, Fort Lauderdale (EUA) e Itajaí (Brasil). Além disso, conta com fábrica no Brasil desde 2010 que produz embarcações entre 40 e 100 pés

CHUMBO GORDO.
Por Carlos Brickmann*

O PAÍS DO TIRIRICA 


Há 50 anos, na ditadura que dizem que não houve, Carlos Lacerda estava preso na Fortaleza de Santa Cruz, no Rio, e fazia greve de fome. Já passava mal, mas não desistia. Seu médico lhe disse: "Carlos, hoje é feriado, a praia está lotada, ninguém vai perceber se você morrer hoje. Você quer ser Shakespeare no país da Dercy Gonçalves". Lacerda desistiu, voltou a comer.

* O presidente da Embratur, Gilson Machado Neto, que cuida de atrair os turistas estrangeiros, tem inglês comparável ao do técnico Joel Santana. www.metropoles.com/brasil/video-presidente-da-embratur-se-atrapalha-no-ingles-e-vira-piada

* Gabinete do presidente Bolsonaro. O presidente da Embratur canta uma composição de louvor a seu chefe e se acompanha na sanfona. Deprimente. https://www.youtube.com/watch?v=xykmnlTz_Ho

*Ministro do STF, Alexandre de Moraes dança com índios (lembra de Chico Anysio, "Pezinho pra frente, pezinho pra trás"?) Deprimente. https://videos.bol.uol.com.br/video/indigenas-fazem-pajelanca-para-moraes-em-seu-escritorio-04028D98386CC8996326

*Lembra do sujeito que pôs fogo num ônibus em frente ao Palácio do Planalto, dia 25, gritando "Fora, Bolsonaro"? Foi detido. E libertado no dia 27. Segundo a Justiça, sua conduta foi grave, mas "não causou significativo abalo da ordem pública nem evidenciou periculosidade".
Sem comentários.

Então, tá

Mas ele, diz a Justiça, tem condições pessoais favoráveis. É primário, tem bons antecedentes, residência fixa, trabalho lícito. Mesmo assim, está proibido de sair do Distrito Federal por mais de 30 dias e mudar-se sem avisar à Justiça. Tem de comparecer a qualquer ato do processo. Sem moleza.

Serra na mira

A Operação Lava Jato denunciou o senador José Serra, ex-governador e ex-ministro, PSDB, por lavagem de dinheiro. Diz a denúncia que Serra, quando governador, recebeu propinas da Odebrecht em troca de benefícios na obra do Rodoanel, estrada que liga as rodovias que chegam a São Paulo e, quando pronta, terá 176 km de extensão. A Odebrecht teria pago a Serra R$ 27,8 milhões, via empresas no Exterior, para encobrir o destinatário da propina. A filha de Serra, Verônica, também foi denunciada.

Serra reage

O senador Serra reage de duas maneiras: nega ter recebido dinheiro ilegal e diz que a denúncia não poderia ter sido feita, porque o caso já foi julgado pelo STF, que decidiu pela prescrição. É verdade: fatos anteriores a 2010 já estavam prescritos. O inquérito nascido da delação da Odebrecht foi enviado à Justiça Eleitoral e lá arquivado (ou seja, não havia prova de culpa). Pela lei, uma pessoa não pode ser denunciada duas vezes pelo mesmo fato. Serra já tinha sido denunciado e recebido a decisão do Supremo e do TSE.

A brecha

A Lava Jato alega que, embora as propinas de que acusa o ex-governador tenham ocorrido antes de 2010, a movimentação do dinheiro, para escondê-lo, havia ocorrido até 2014, pelo menos. Desta maneira, a denúncia de agora não seria a mesma que já foi rejeitada pelo Supremo. É briga de porte.

Acredite se quiser

A Lava Jato de Curitiba incluiu, numa ação que investiga doações ilegais de campanha eleitoral, o nome dos presidentes da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado, David Alcolumbre. Os dois têm foro especial e não podem ser julgados por juiz singular, de primeira instância. Mas o juiz aceitou receber a ação, por não reconhecer a maneira curiosa pela qual Maia e Alcolumbre foram citados: "Rodrigo Felinto" e "David Samuel". Não está errado, mas não são os nomes que usam no dia a dia, nem seus nomes parlamentares. Rodrigo Felinto Ibarra Epitácio Maia é o nome completo de Maia, e David Samuel Alcolumbre Tobelem o de Alcolumbre. A Lava Jato alega que não usou os nomes truncados para que ficassem despercebidos e o processo fosse aceito: põe a culpa num "assistente inexperiente", que não sabia os nomes e os truncou. O juiz que substituiu Sérgio Moro em Curitiba, Luiz Antônio Bonat, disse que não sabia de nada. Há um outro probleminha: a questão já estava no Supremo. Uma pessoa não pode ter duas denúncias por um só caso.

Voltando a Tiririca

A mulher do governador de São Paulo, Bia Doria, presidente do Fundo Social, destinado a amparar as pessoas mais pobres, disse em entrevista que não é correto dar comida ou roupa a moradores de rua. Bia Doria falou com Val Marchiori, estrela do reality Mulheres Ricas. E por que negar auxílio a moradores de rua? "Porque – disse Bia Doria - eles precisam saber que têm que sair da rua, um local que hoje é confortável para eles. A pessoa (...) quer receber comida, roupa, uma ajuda, e não quer nenhuma responsabilidade. Isso está muito errado".
João Doria (PSDB) quer ser candidato à Presidência.

Carlos Brickmann é Escritor, Jornalista e Consultor, diretor da Brickmann & Associados Comunicação
Leia o Chumbo Gordo, informação com humor, precisão e bom. 
Assine a newsletter: chumbogordo.com.br
carlos@brickmann.com.br

sábado, 4 de julho de 2020

CIDADE MINEIRA RECEBE USINA SOLAR FOTOVOLTAICA DE 1MW PARA ATENDER APROXIMADAMENTE 50 EMPRESAS

O projeto realizado pela VISION SOLAR ao custo de R$ 6 milhões é o maior do país a utilizar os inversores SMA Sunny Highpower PEAK3



Uma história que começou com a chegada do trem de ferro ao norte de Minas Gerais. Na rota da velha Maria Fumaça e nos trilhos do desenvolvimento da região, surgiu um município progressista. Capitão Enéas, localizado a 471 Km de Belo Horizonte, tem uma população de aproximadamente 20 mil habitantes.

Com duas indústrias que geram empregos e movimentam a economia local, a cidade dá mais um passo em seu desenvolvimento com a inauguração da primeira usina solar fotovoltaica da região, que deverá fortalecer ainda mais os negócios, gerar economia em eletricidade para diversas empresas, além de dar exemplo de sustentabilidade.

Trata-se da UFV SOLAR VISION I de 1 MW de potência, idealizada pela VISION SOLAR, uma empresa mineira especializada na instalação e gerenciamento de usinas solares. A empresa disponibiliza o aluguel de cotas em suas fazendas solares e toda a energia gerada é creditada na conta de energia de empresas, condomínios ou indústrias, com investimento de mais de R$ 6 milhões no projeto.

A modalidade de Geração Compartilhada, criada a partir da Resolução 482 da ANNEL (Agencia Nacional), possibilita compartilhar energia advinda de micro ou minigeração entre um grupo de pessoas (CPF ou CNPJ) que estejam na mesma área de concessão ou permissão, por meio de consórcio ou cooperativa em locais que sejam atendidos pela mesma rede distribuidora de energia. No caso de Capitão Enéas, a usina fotovoltaica é ligada à concessionária CEMIG por meio do sistema ON GRID.

De acordo com Júlio Kierulff, CEO da VISION SOLAR, parte do GRUPO VISION “os benefícios para as empresas que aderem ao consórcio solar são inúmeros, tais como: não precisar investir em equipamentos próprios para a geração de energia, desconto sobre a tarifa da conta de luz que pode chegar até 25% dependendo do plano escolhido, economia a longo prazo, fornecimento de energia contínua garantido pela concessionária e colaboram com a sustentabilidade e a reponsabilidade socioambiental”, explica.

A usina solar de Capitão Enéas, que atenderá 50 clientes de baixa tensão para áreas comuns de condomínios e empresas, foi projetada com 2.400 placas solares da Canadian e sete (07) inversores SMA Sunny Highpower PEAK3 de 150-20 kW. 

Os inversores PEAK3 possuem design compacto e máxima densidade de potência com peso mínimo, que proporcionam transporte mais barato e instalação simplificada. Para grandes projetos de montagem no solo, o PEAK3 da SMA oferece a solução mais econômica e a maior produção de energia.

“A escolha pelo PEAK3 foi estrategicamente pensada. Pelo tamanho da usina, pesquisamos bastante os melhores inversores para o projeto e a SMA foi a melhor solução e a mais vantajosa tecnicamente, elogia Júlio Kierulff. Que complementa “ficamos tão satisfeitos que ampliamos o portfólio de soluções SMA com a contratação do pacote profissional do SMA Sunny Portal, o maior portal online para monitorização, gestão e apresentação de sistemas fotovoltaicos”.

Pedro Alves, Country Manager da SMA no Brasil, afirma que as usinas fotovoltaicas construídas Vision Solar em Minas Gerais, representam o maior projeto do país a utilizar os inversores SMA Sunny Highpower PEAK3. “É um orgulho saber que nossos inversores equipam usinas modernas e estrategicamente pensadas para abraçar a sustentabilidade e gerar economia na conta de luz a centenas de empresas mineiras. A confiança da Vision Solar em nossos produtos confirma que a SMA é uma das maiores provedoras de soluções tecnológicas do mercado de energia solar”.

A partir da inauguração da UFV SOLAR VISION I, em Capitão Enéas, outras quatro usinas serão instaladas pela Vision Energia em municípios mineiros até o final do ano, totalizando 22 MW de potência, 80 inversores SMA Sunny Highpower PEAK3 e um investimento de aproximadamente de R$ 100 milhões. As usinas solares a serem instaladas são:

UFV SOLAR VISION II – 2,5 MW em Francisco Sá – MG
UFV SOLAR VISION III – 2,5 MW em Itaobim – MG
UFV SOLAR VISION IV – 2,4 MW em Mateus Leme – MG
UFV SOLAR VISION V – 2,5 MW em Arcos – MG
UFV SOLAR VISION VI – 2,4 MW em Iguatama – MG
UFV SOLAR VISION VII – 2,0 MW em Curvelo – MG
UFV SOLAR VISION VIII – 2,0 MW em Amenara – MG

Ao todo, as usinas devem gerar mais de 3.466.330 KWh por mês, energia para abastecer aproximadamente 23.000 casas.

GRUPO SMA

Como especialista líder mundial em tecnologia de sistemas fotovoltaicos, o Grupo SMA estabelece hoje os padrões para o fornecimento descentralizado e renovável de energia do futuro. O portfólio da SMA contém uma vasta gama de inversores FV eficientes, soluções de sistemas holísticas para sistemas FV de todas as classes de potência, sistemas inteligentes de gestão de energia e soluções de armazenamento de baterias, bem como soluções completas para aplicações híbridas de FV a diesel. Serviços de energia digital, bem como serviços abrangentes até e incluindo serviços de operação e manutenção para centrais elétricas de FV completam a gama da SMA. Os inversores da SMA com uma potência total em torno de 85 gigawatts foram instalados em mais de 190 países em todo o mundo. A tecnologia multipremiada da SMA está protegida por mais de 1.500 patentes e modelos de utilidade. Desde 2008, a empresa mãe do grupo, a SMA Solar Technology AG, está listada no Prime Standard da Bolsa de Frankfurt (S92) e está listada no índice SDAX.

STAUFEN TEM NOVO CEO NA ALEMANHA

A Staufen está passando por uma mudança de geração. Após 25 anos à frente da consultoria, que foi fundada por ele por e por Ralf Stokar von Neuforn, Martin Haas deixa a presidência do grupo para assumir o comando do Conselho Fiscal. Wilhelm Goschy, que é membro da Diretoria Executiva por muitos anos, assume como CEO.


Wilhelm Goschy, então COO, assume a função no lugar de Martin Haas, fundador da empresa, que passa a liderar o Conselho Fiscal

Martin Haas assume o cargo de presidente do Conselho Fiscal no lugar de Ralf Stokar von Neuforn, que passa a ser a partir de agora membro honorário. Haas e Stokar von Neuforn fundaram a Staufen em 1994 e desde então estiveram à frente dos negócios da consultoria. Durante anos, a Staufen tem sido continuamente reconhecida como a melhor consultoria Lean da Alemanha. Markus Franz e Thorsten Bücker completam o atual Conselho Fiscal juntamente com Haas. Franz e Bücker substituem os ex-membros do Conselho de Supervisão Sebastian Müller e Dr Jürgen Schilde.

Wilhelm Goschy assume também como presidente do Conselho de Administração. Desde 2011, ele já era membro do Conselho Gestor e a partir de agora se torna responsável pelo desenvolvimento de negócios em mercados e indústrias estratégicos.

O foco do trabalho de Goschy é voltado aos conceitos de fábrica orientados pelo fluxo de valor, implementação de sistemas de criação de valor e treinamentos para executivos. Além disso, ele se envolveu significativamente na expansão de negócios da Staufen nos últimos anos.

Dentro de cada empresa existe uma ainda melhor


Desde sua fundação, há 25 anos, a Staufen se transformou em uma das principais consultorias de Lean Management do mundo. Hoje, mais de 340 funcionários de todo o mundo dão suporte a clientes de vários setores. E sempre seguindo o lema: "Dentro de cada empresa existe uma ainda melhor!". Além da presença na Alemanha e em outros países da Europa, a Staufen também está firmemente ancorada na Ásia e nas Américas do Norte e do Sul há muitos anos com seus próprios funcionários e escritórios. 

No Brasil, já são mais de 19 anos de atuação, aumentando a eficiência e a produtividade de grandes empresas nacionais e multinacionais, como Volvo, Thyssenkrupp, Itaú Unibanco, Construtora Tenda, Marcopolo, Randon, Copersucar, Valmet, Mahle, entre outras.

Haas vê a internacionalização e o desenvolvimento temático como futuras tendências: "Com a Staufen Digital Neonex, S.QE e Staufen Valuestreamer, fundamos várias subsidiárias bem-sucedidas nos últimos anos. Além disso, o Grupo Staufen agora combina exclusivamente consultoria especializada e desenvolvimento organizacional. Conseguimos estabelecer um novo benchmark no mercado de consultoria com o nosso modelo de parceria Best Practice lançado em 2016. Temos muito orgulho hoje da posição que conquistamos e da confiança e cooperação junto aos nossos clientes - muitos dos quais são empresas líderes em seus segmentos", afirma o novo presidente do Conselho Fiscal. "Nossa jornada não tem fim", continua a Haas". As mais de 4000 aplicações a vagas em nossa empresa por ano mostram quão interessante a Staufen é para especialistas experientes do setor e a jovens potenciais. Com Wilhelm Goschy e sua equipe no conselho, Michael Hahn e Markus Riegger, estamos perfeitamente posicionados para continuar nossa jornada de sucesso", avalia.

Para manter o sucesso, você precisa mudar


O novo CEO disse estar ansioso para assumir total responsabilidade operacional junto à equipe. "Especialmente porque Martin Haas continuará a nos apoiar diretamente com sua experiência e sua rede global de relacionamentos". E ele dá um conselho, que serve não apenas para momentos turbulentos como estes: "Para manter o sucesso, você precisa mudar! Não apenas uma vez por ano, mas diariamente. Não apenas em um ponto, mas em toda parte. A Staufen é o parceiro perfeito para promover as mudanças certas e desenvolver uma cultura sustentável de transformação", finaliza Wilhelm Goschy.