quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

CELESC E CERTI INSTALAM DOIS ELETROPOSTOS EM FLORIANÓPOLIS.


Em fevereiro, Florianópolis ganhará dois eletropostos para abastecer veículos e bicicletas elétricas; no campus da Universidade Federal de Santa Catarina, no estacionamento da Fundação CERTI e o outro, no posto Ilha Bela, no bairro Itacorubi. Além desses dois, há ainda o eletroposto implantado recentemente em Araquari, no posto Sinuelo, no norte do estado.

Com recursos do Programa P&D ANEEL/Celesc e parceria da Fundação CERTI - Centros de Referência em Tecnologias Inovadoras, esse projeto viabiliza o primeiro Corredor Elétrico da região Sul, que contará ainda no primeiro semestre com uma estação de carregamento de veículos elétricos (VEs) em Balneário Camboriú.

O eletroposto da UFSC oferecerá carregamento semirrápido, mais adequado para as pessoas que trabalham, estudam ou fazem compras nos arredores do Campus, pois o carregamento pode levar de três a oito horas, dependendo do veículo. As demais estações são do tipo carregamento rápido, tornando possível reabastecer o VE em 20 minutos.

O presidente da Celesc, Cleverson Siewet, destaca que o projeto consolida compromissos corporativos: "Queremos crescer como player do Setor de Energia; o que envolve esforços em várias frentes de trabalho, como essa, associada às novas tecnologias de transporte seguro e sustentável. Para tanto, contamos com a parceria significativa da Fundação CERTI, outro importante player das áreas de pesquisa tecnológica e de inovação".

Inovador - De acordo com o diretor do Centro de Referência em Energia Sustentável da Fundação CERTI, eng. Cesare Pica, "o eletroposto da UFSC será o primeiro protótipo com tecnologia nacional (hardware e software), o que é inovador no País".

Ele explica ainda que, para tornar a solução mais atrativa, o software de controle permite o gerenciamento do uso da energia, que é gerada por placas fotovoltaicas. O usuário contará também com um aplicativo para controle do carregamento em tempo real: "Esses eletropostos vão permitir que o público se familiarize com a tecnologia, pois o uso de carros elétricos já é viável na realidade brasileira e, à medida em que as pesquisas avancem, esses veículos elétricos ficarão muito mais acessíveis, do ponto de vista financeiro", resume Cesare.


Elenita Fogaça Comunicação/ 1ªVia.