sexta-feira, 9 de junho de 2017

EDUCAÇÃO.
Por José Renato Nalini*

A vida é preciosa

O presente gratuito da existência é um valor incomensurável. Por isso é que “vida” é um supra-direito: é pressuposto à fruição de qualquer direito. Tanto que “direito” é um verbete que pode ser utilizado de forma intercambiável com “bem da vida”.

Pois essa dádiva nem sempre é valorizada como se deve. Há muita gente que resolve partir da vida e interrompe um ciclo vital que poderia se prolongar por muito tempo mais. O suicídio é a causa de uma morte a cada 40 segundos no mundo! De acordo com a Organização Mundial da Saúde, o fator de risco mais importante é a tentativa prévia.

O suicídio continua a ser um enigma. Existe uma relação nítida entre distúrbios suicidas e mentais, com depressão, abuso de álcool e dependência de outras substâncias. Mas também ocorrem suicídios por impulso nos momentos de crise.

A psiquiatria aponta o colapso na capacidade de lidar com os estresses do cotidiano, o despreparo para enfrentar adversidades, decepções amorosas, problemas de falta de dinheiro. O psiquiatra José Manoel Bertolote escreveu o livro “ O suicídio e sua prevenção”, publicado pela Edunesp e constatou preocupante aumento de tentativas de suicídio em São Paulo, particularmente entre jovens do sexo masculino de 15 a 30 anos.

É importante que todos estejamos atentos. Quantas vezes bastaria uma palavra, um gesto, um carinho para que o provável suicida fosse salvo. A escola é um lugar em que às vezes se agravam problemas que poderiam ser mitigados com a compreensão, a compaixão e a amizade.

A crueldade não é monopólio dos intrinsecamente maus. É comum que os gracejos, as “gracinhas”, a maledicência bem-humorada venha a afligir aquele que já está a enfrentar conflitos íntimos. 

O mundo precisa de mais misericórdia. As cruzes a carregar já são bem pesadas. A vida contemporânea exige muito de cada um e a policrise pela qual o Brasil atravessa nos últimos tempos não anima aqueles mais frágeis e vulneráveis.

Por isso, é importante que tenhamos consciência de que podemos ser peça fundamental no prolongamento da vida de quem já desistiu dela.







José Renato Nalini é secretário da Educação do Estado de São Paulo, Imortal da Academia Paulista de Letras e Membro da Academia Brasileira da Educação. 
Visite o blog: renatonalini.wordpress.com.